A vida é muito curta para morar no Rio de Janeiro

O Rio continua lindo, mas está extremamente violento

O Rio continua lindo, mas está extremamente violento

Mariliz Pereira Jorge, Folha de São Paulo

Eu era a paulista mais carioca que meus amigos conheciam. Tinha a tal alma, roupas coloridas, conta na barraca do Leandro, no Posto 12, mesa cativa no Jobi, chamava os garçons pelo nome, tomava cerveja na calçada, banho de mar à noite no verão. Estava com uma mala sempre pronta, e a poltrona 8F no avião religiosamente reservada para ver lá de cima a cidade chegando.

A vida é muito curta para não morar no Rio, diziam. Eu ria, mas voltava feliz para o meu caos organizado em São Paulo, às segundas pela manhã. Até que uma proposta de trabalho me trouxe de mala e mudança. Depois do primeiro mês, a lua de mel com a cidade acabou e eu me perguntava: como as pessoas moram aqui?

Demorou, mas não sou mais solitária nesse questionamento. Vejo amigos e conhecidos compartilhando em redes sociais uma pesquisa feita pela ONG Rio Como Vamos, que mostra que 56% da população tem vontade de ir embora da cidade. Em 2011, esse percentual era de 27%.

O que faz os moradores quererem fazer as malas é o aumento da violência. Roubos na rua assustam mais as classes mais altas, enquanto as balas perdidas são o terror na vida da população menos favorecida. Mas os problemas do Rio vão muito além disso, e é um espanto que apenas tiro, porrada e bomba tenham acendido o alerta de que a Cidade Maravilhosa é uma farsa. Uma paisagem espetacular, recheada de problemas escandalosos.

Essa visão de que o Rio é o melhor lugar do mundo para se viver é um tanto provinciana e romântica, além de cega, de uma maioria que mora e trabalha na zona sul – e parte da zona oeste– e só de vez em quando tem o doce cotidiano chacoalhado pela violência que atravessa o túnel Rebouças. Gente que vive numa bolha, que eventualmente estoura num assalto com morte.

Vida que segue. A gente se deslumbra com a belezura da geografia e aprende a conviver com malandragem generalizada, falta de pontualidade, incompetência disfarçada de informalidade, hostilidade travestida de espontaneidade, infâncias miseráveis, pobreza, falta de tudo.

O Rio é só uma cidade decadente que vive de um glamour passado, num presente melancólico. E parte da sua população sempre foi conivente com tudo que nos fez descambar para essa triste realidade. Como fechar os olhos para uma parte gigante da cidade que apenas sobrevive?

Praias, lagoas e baía não ficaram poluídas da noite para o dia. Ainda assim, as areias estão sempre cheias, mesmo nos dias em que o mar não está nem para peixe nem para gente. O negócio é mergulhar no cocô para se refrescar, tomar uma cervejinha e tirar foto do por do sol. Com sorte, daqui uns anos ainda reste o por do sol.

Chamar favela de comunidade não muda o fato de que centenas de milhares de pessoas continuam vivendo sem saneamento, sem saúde, sem educação, reféns ora do tráfico ora da milícia. Mas é bonito subir o morro, ir ao sambinha, postar foto na “comunidade” e fazer de conta que ela está integrada. Não está. Fica bonito na letra de música, na poesia, mas é apenas gente esquecida –e tolerada– em troca de status de cartão postal.

Mas tudo bem, a gente dá uma maquiada, ergue muros nas linhas Amarela e Vermelha para que os turistas não vejam o lado mais feio, miserável e perigoso da cidade – além de evitar que balas atravessem a pista e matem os desavisados. De quebra, nós mesmos esquecemos que existe o lado mais feio, miserável e perigoso por onde só passamos a caminho do aeroporto.

O coro de “nunca pensei que diria isso, mas penso em ir embora do Rio”, tomou o lugar de posts babaovistas com legenda “Rio, eu amo eu cuido”, “Eu moro onde as pessoas passam as férias”. Férias é somente o que uma pessoa com juízo faria aqui. Vem, passa o dia na praia, torce para não ser vítima de um arrastão, passeia pelos pontos turísticos, toma um chopp aguado, come um bolinho no Braca, vai no ensaio da escola de samba, se o tráfico não estiver em pé de guerra, pega o avião e vai embora.

Para quem mora aqui, o jeito é torcer. O que nem sempre é suficiente. Para muita, gente a vida tem sido muito curta para morar no Rio. Juan, um ano e dois meses. Giselle, 34. José Josenildo, 31. Foram mortos nas últimas semanas. Bala perdida. Tentativa de assalto. Emboscada. Não há paisagem que valha a pena morrer tão cedo.

Obviamente, criminalidade, pobreza, corrupção e falta de toda a sorte de serviços básicos são problemas em maior ou menor grau em todas as capitais brasileiras, mas nenhuma se vende como Cidade Maravilhosa. E antes que algum ofendido venha me mandar embora, só tenho uma coisa a dizer: É o que eu mais quero. Eu e os 56% dos moradores do Rio.

Compartilhe este postShare on FacebookShare on Google+Share on LinkedInTweet about this on TwitterEmail this to someone

148 comentários

  1. Que triste realidade o Rio vive no agora.

    • REALMENTE É UMA TRISTE REALIDADE! MAS NÃO DO RIO DE JANEIRO E SIM DO BRASIL!
      QUAL SERIA A ALTERNATIVA? SÃO PAULO OU CURITIBA COM A MESMA CRIMINALIDADE LATENTE!
      A UNICA SOLUÇÃO É PASSAR O BRASIL A LIMPO PARA QUE O POVO TENHA SEGURANÇA DENTRE OUTROS FATORES DE BEM ESTAR QUE NÃO TEMOS.

      • Pode falar de qq outra cidade grande. Mas o Rio é o Pior. Nao tem comparação. Muitos acham que se Rio esta violento o Brasil também está. Pelo contrario, Aqui onde tem arrastoes de fuzis. Marginais descendo dos morros e matando inocentes. Aqui ficou o pior lugar de se viver. Isso estou dizendo pq moro na ZS Imagine em é da baixada ou de comunidades tomadas por facções criminosas

        • Realmente, moro em Nilópolis e o que mais vemos em páginas do facebook, são notícias de assalto, mortes e tudo que tem de ruim! Infelizmente essa é a realidade. Evito ao máximo não andar tarde pelas ruas, mas trabalho na zona sul e tenho aula às terças no centro, sendo esse o pior dia da semana, pois a aula termina tarde e tenho que voltar de ônibus pela Av.Brasil em obra. Enfim, o Rio de Janeiro está meio abandonado. Digo meio, pois ainda é possível viver “menos ruim” na zona sul… eu acho!

        • Isabel Sylvia Azevedo

          Eu moro no Rio Comprido e estou cansada de esperar o tiroteio parar pra poder trabalhar! Triste e extremamente desanimador continuar morando nessa cidade. Mas eu tenho filhos e netos morando aqui e seria devastador na minha idade (66) me afastar dos meus familiares. Acho que o melhor seria termos governantes que nos permitissem uma qualidade de vida menos violenta e cheia de incertezas!!!!! Estamos falidos! a muito tempo! Não temos educação, saúde, reféns de nossas próprias casas, e com salários (quando o governo paga) que beiram a vergonha! Não é boa a nossa situação!

        • Tenho parentes que moram na Baixada fluminense e ela não é mais ou menos violenta que a cidade do Rio de Janeiro. Moro agora em Brasília, onde tive o carro arrombado 3 vezes. Nunca tinha acontecido isso no Rio. Muitas grandes cidades do Brasil são muito violentas sim. Verifiquem as estatísticas. Tb em Brasília já ocorrem tiroteios em plena luz do dia. Não tem lugar seguro neste Brasil.

      • Verdade isso não é só no Rio de Janeiro,São Paulo e outras cidades grandes tem seus problemas, em 2006 foi o ano que São Paulo parou mais de 500 mortes em um dia,mas como a matéria é feita por uma paulista é claro que vai falar dos problemas do Rio e não da sua cidade.

      • Conhece Belo Horizonte? Mil vezes melhor que o Rio.
        Conhece Curitiba? Mil vezes melhor que o Rio.
        Conhece São Paulo? Mil vezes melhor que o Rio.

        Infelizmente, é como a autora falou: O Rio é bom para visitar rapidamente e tchau.

        • Belo Horizonte até acho melhor, Curitiba com certeza. Mas SP? Acho SP tão ruim quanto no Rio (melhor na violência e pior em poluição) e a única cidade grande que ainda salva no Sudeste é BH. Lembrando que a violência lá tb aumentou muito, assim como em Curitiba. Rio sempre foi mais violento e como cresceu a violência, está em níveis absurdos, assim como SP, apesar de mais seguro que o Rio, está indo para o mesmo caminho. Com o passar dos anos, o Brasil inteiro vai estar nessa guerra que é SP e Rio…

        • A verdade:
          https://www.cartacapital.com.br/sociedade/brasil-tem-19-cidades-entre-as-50-mais-violentas-do-mundo
          Na décima posição no ranking, Natal é a cidade mais violenta do País, com 69,56 homicídios por 100 mil habitantes. O município é seguido por Belém e Aracaju.

          A lista inclui ainda Feira de Santana (15º), Vitória da Conquista (16º), Campos dos Goytacazes (19º), Salvador (20º), Maceió (25º), Recife (28º), João Pessoa (29º), São Luís (33º), Fortaleza (35º), Teresina (38º), Cuiabá (39º), Goiânia (42º), Macapá (45º), Manaus (46º), Vitória (47º) e Curitiba (49º).

    • A realidade do RJ sem duvida é muito triste , mas acredita se quiser, Brasil a fora é pior ainda. O RJ está um inferno e não está nem perto das cidades mais violentas do Brasil. Quem duvida é só pesquisar no Google. Aposto que nessa pesquisa mencionada as pessoa querem sair do Brasil !!!

      • “Mais nem está perto de ser uma das cidades violentas?” Vc tem noção da merda que achou dr falar?Vê jornal,acessa internet,mora em marte? Sr for alguma dessas opções está desculpado. Rio de Janeiro está sendo comparado com os paises como o Iraque! Vc está achando pouco,acordar de manha e a primeira coisa é pedir a Deus pra voltar viva pra casa. É ouvir troca de tiros diariamente entre traficante e policia. É ouvir fogos de artificio e se abaixar achando que é tiro. Tá achando pouco???Vem morar aqui!

        • Concordo em grau número e gênero com sua colocação… Pra mim todos os dias e noites são de ansiedade, temor e verdadeiro desespero, cruzo a cidade de norte a sul diariamente, se fossem apenas os mal educados do trânsito ok, mas além disso a cidade está cheia de blitz falsas, locais inacessíveis e uma polícia que clama por reorganização, todas as tardes saio da zona norte, onde moro, vou para o centro, e depois disso vou trabalhar na zona oeste, onde chego por volta de meia noite, já fui parado em blitz falsa, já fui perseguido, quando me aventurava de moto, fui assaltado e eu e minha esposa apanhamos apenas pelo fato de estamos na hora errada no local errado, o bandido decidiu que atiraria em mim porquê eu tinha jeito de policial… Fui salvo acreditem pelo outro “garoto” que socava a cabeça da minha esposa enquanto ela não tirava seu capacete, depois disso ele ainda tentou rasgar sua roupa…saímos dali sem sequer os R$0,60 que estavam em meu bolso, nos levaram até a vontade de permanecer morando aqui… Quanto a violência paulista me arrisco a dizer que ao menos eles contam com uma polícia menos “velho oeste” e a população é bem menos alienada, acho que os cariocas se dividem em três grupos, os alheios a tudo (que querem levar vantagem até na fila do banheiro, que compram tudo o que o camelô, que vende as cargas roubadas oferece), os românticos, que acreditam que um dia essa farra toda vai ter fim, e os reféns, segundo o terceiro parágrafo da matéria são 56% da população, tristemente eu e minha família estamos no último grupo…

    • Marcelo Guerra Alves

      Nasci , cresci e vivo nessa maldita cidade que sempre odiei que sempre disse que se valia de uma porcaria de paisagem e que confiou nisso até hoje pra se manter achando q é a melhor cidade do mundo só que não, não passa de uma cidade falida com seus cidadãos ridiculos que acham que moram na Califórnia Brasileira!

    • Ely Pereira Werneck Junior

      Trânsito caótico, população mal educada, lixo nas ruas, povo estressado, violência absurda, desigualdade maior entre as cidades, cidade dividida entre zonas, pobreza, homicídio com índices de guerra, egocêntricos, moradia cara é de péssima qualidade, saúde caótica, estado falida, educação a pior entre os estados do sudeste e sul. E com certeza esqueci outras coisas……

    • São Paulo a pouco tempo estava sitiada com toque de recolher e casando policial para exterminar mas através de um acordo do governo com a facção criminosa deu uma acalmada. São Paulo aumentou o índice de violência no norte e nordeste com as mortes nos presídios. São Paulo está exportando trafico mortes roubos até para os países da América latina. Se você quer segurança e bem estar acredito que não seja em São Paulo.

    • Estou como mãe de filho bandido. Com muita raiva de você por ter aberto ainda mais a minha ferida. Meu Rio pobre cidade que tanto amo. As vezes vislumbro a solução: Mandar embora todos que não nasceram aqui, quem sabe, com menos povo melhoraria tudo. Colocar todas as faculdades distribuídas pelas pequenas cidades, assim menos gente moraria aqui. É tanta utopia na minha cabeça que só choro de saudade de um Rio que vivi e não viverei nunca mais.

    • Não entendi, moça. Então o fato da cidade ter chegado a níveis babilônicos é suficiente pra dizer que uma cidade não vale a pena? Porque foi essa a impressão que o seu texto me deu…

      Todos nós vivemos em bolhas, tenho certeza que em São Paulo, em Salvador e em Santiago também existem muita violência e muitas bolhas. O Rio está em uma crise horrível, a desigualdade é gritante, mas se liga que tem gente tentando mudar. O Rio é bonito demais e não se trata só de paisagens.

      Abraço

      • Cara os últimos governos que passaram por aí afundaram o Rio, tenho visto noticiário, internet, jornais e infelizmente faliram essa cidade. Onde estão as pessoas que você diz que estão tentando mudar o Rio.
        Já está mais que na hora de aparecerem e mostrar a que vieram.

    • Desculpe pelo q vou dizer: Opinião de paulista com raízes quatrocentonas q vê o Rio como Balneário de paulista, para paulistas e com expectativa de um paulista, é mais provinciana do que o provincianismo q ela alega q o Carioca tem para defender o Rio decadente em que vivemos. Desculpe, mas este tipo de opinião superficial de paulista q vem beber cerveja de sunga e havainas achando q entende mto os problemas do Rio, é mais ou tão superficial do que passeio em shopping de paulista no fim de semana para comprar calça da Daslú. O Rio tá uma merda, mas SP já é uma merda faz tempo, para comprovar, se hospede no centro de SP, ali perto do Bar da Brahma, bem na boca do lixo e ao lado da cracolândia com aquele monte de zumbis, e me diz depois se não é tão ou mais perigoso do que o Rio. Não existe nada mais decadente do q hipocrisia de um paulista q lê Estadão e Folha, adora criticar o Rio, mas lá no fundo, bem no fundo, vota em PMDB e PSDB. Rio é cosmopolita e internacional, seja para o bem ou mal, mas este gostinho de ser lembrado primeiro qdo se fala sobre Brasil, este eles não vão ter nunca!

      • Vicente Luís Vidigal

        Rapaz… Você tem certeza de que leu o texto dela?
        Paulista não vê o Rio como balneário. Paulista, quando vai ao Rio, como turista, é porque quer conhecer as maravilhas que a cidade e seus moradores afirmam que tem. E, com uma série de descontos, a única coisa que sobra é a beleza natural da geografia da cidade.
        Talvez você precise ler o texto novamente para ver que ela MORA no Rio. Há anos.
        Talvez você precise circular mais por São Paulo para saber que é muito, muito mais que Av. Sao João com Ipiranga, esquina do Bar Brahma. Infinitamente mais. E que paulistas/paulistanos estão aprendendo a frequentar novamente o Centro da cidade, abandonado justamente por esta insegurança que você mencionou, por iniciativa de empresários que se negam a deixar sumir uma parte importante da história da cidade.
        Não se trata, de qualquer forma, de uma comparação entre São Paulo e o Rio. Se trata de reconhecer o que o Rio se tornou. E que não é o Rio que é vendido, mais. Infelizmente.
        O que está no texto é que o Rio está do jeito que está exclusivamente porque os habitantes da cidade, cariocas ou não, deixaram chegar a este ponto.
        Jogar o lixo no lixo não é uma obrigação do Estado, mas da população. Cumprir com suas obrigações não é também obrigação do Estado. Entregar o que é vendido, idem. E a lista é longa. Desafios morais e profissionais do ser humano, do brasileiro. Não só dos que moram no Rio.
        Não é o por-do-sol que faz da cidade ser maravilhosa. É o ser humano que faz.

  2. Sou uma carioca da gema , que mora em SP há 25 anos e sofre muito em ver a cidade desse jeito.. Cd notícia triste é um sofrimento!.Sofri lendo o q vc escreveu mas infelizmente vc está certa..De Maravilha só a geografia da cidade!!! Infelizmente a violência e o descaso com as cidades, fizeram todas as cidades perderem muito. Qdo me mudei P/ SP, ficava impressionada com a segurança, ocompromisso , profissionalismo e educação dos paulistas Mas algo de muito sério aconteceu Q isso se perdeu. Só preciso te dizer q o jeito simpático do carioca ajuda muito a viver nessa cidade tão gde Q infelizmente tb está um caos..

  3. o Rio é o espelho do país. como povo, escolhemos fazer de conta que nosso país ou cidade, não é nossa casa. o social é lá e eu estou aqui. vivemos o não pertencimento de inúmeras maneiras. algo como um estado de alienação paira sobre nossas cabeças. os políticos são povo, não esqueçamos disso. é um estado de consciência que precisamos urgentemente mudar. que cada pessoa faça diferente, questione, crie novas formas de cidadania.

  4. Bernard Vital Rosenthal

    sim O Rio de Janeiro está sem Governo, cade o Governador? e o vice? e o Prefeito ?….. tudo sumido porquê ? eles foram eleitos para a dar uma minima satisfação ao Povo…. sumiram todos…

    Os servidores sem salários
    os agentes de saúde , da policia, etc também
    médicos, enfermeiros e Hospitais idem
    os Policiais….
    cade o dinheiro do Rio de Janeiro ? o do Petróleo, e os impostos arrecadados? tudo roubado ? não não é possível que nesse 4 meses de 2017 estamos na metade de maio, e não se arrecadou o quê ? ah o Rio deve a União? e daí ? não foram os profissionais que o fizeram, …. e sim a saída desses recursos tirado do Rio, e que nos defende? sumiram covardes ! soube que a casa do Pezão fora assaltada… hoje é possivel isso ?
    quando abri o Link sobre que A VIDA É MUITO CURTA… JURO EU IA CONVIDAR A VOLTAR DA ONDE VEIO, MAS NÃO você tem razão dá vontade de ir embora.
    Mas eu sou Carioca de coração ( sou Belga de 62 anos no Brasil ) e sou otimista as coisas iram melhorar se fizermos as coisas certas .
    vocês tem uma arma na mão o titulo de eleitor é saber escolher que pode ou não o estado, o País ! as eleições estão aí 2018 logo chega e temos que achar uma pessoa agora sem compromisso com esses politicos de carreira

    • Bernard, concordo! Temos uma arma nas mãos, o título de eleitor. Mas enquanto não tivermos uma educação de qualidade que torne os indivíduos críticos, se manterão no poder os mesmos governantes e é isso que eles querem, uma sociedade alienada. Enquanto a legislação eleitoral não mudar, também nada se muda com o voto. Que democracia é essa? que direito ao voto é esse? que direito de escolha é essa? ou seja, no fim, a mesma elite política permanece no poder!

    • Agora a galera é muito perdida viu? Porque diabos botaram Crivella pra ser prefeito??? Realmente acreditaram em toda aquela bobagem? De uma chance pro novo! O Rio grita por ajuda a anos!!!

  5. Oi Maya, tudo bem?
    Eu, assim como você, sou paulista e moro aqui no Rio de Janeiro, mas por escolha minha. Vim de alma aberta para recomeçar minha vida nesta cidade há, pelo menos, dois anos. Fiquei muito perplexa e chateada com o seu ponto de vista sobre o Rio, não porque esse lado não exista, mas principalmente porque este não é o único ângulo possível para enxergar esta cidade. Eu me abri para visitar todos eles, ao contrário de você (aparentemente).

    Não, eu não idealizo o Rio não, vivo na zona Oeste, numa comunidade bastante movimentada, controlada pela milícia, sei de tudo o que você disse não apenas por ouvir falar. Acontece que, ao longo da minha curta vida, até agora, descobri que como nos enxergamos por dentro é a forma como vemos o lado de fora. Ouso dizer que, talvez, o seu problema com o Rio possa ser um reflexo pessoal e interno.

    Se posso te dar um conselho?! Experimente se autoconhecer, descobrir de verdade a sua beleza interior, a felicidade que existe dentro de você e aí pouco vai importar o lugar onde você está, porque olhar o mundo vai passar a ser mais bonito a partir de então. E o Rio vai continuar sendo lindo – como nunca deixou de ser.

    • Laís, você se enganou. Sou mineira e vivo no Rio há mais de sete anos. Apesar de todas as mazelas da cidade, sobretudo a violência, foi o lugar que escolhi para envelhecer. O artigo que você leu é de autoria de Mariliz Pereira Jorge, publicado na Folha de São Paulo. Simplesmente o reproduzi no 50emais, por acreditar que muito do que a autora diz é verdadeiro. Lamento terrivelmente que o Rio tenha resvalado para o caos. Como moro sozinha, fico amedrontada. Mas continuo morando na cidade mais linda do Brasil, embora cada vez mais perigosa. Grande abraço pra você e volte sempre ao 50emais!

      • Ué, se o texto não é seu, cade os devidos créditos da autora?

        Não vi nem mesmo aspas.

        Isso é plagio, alem de desrespeito com o trabalho alheio.

        • Manuela, me desculpe, mas não entendi seu comentário desnecessariamente tão agressivo. Deduzo, pelo que me acusa, que você não leu o artigo. Se tivesse lido, veria bem no alto o nome da autora e do veículo que publicou o artigo: Mariliz Pereira Jorge, Folha de São Paulo. Sou jornalista, tenho 66 anos. Trabalhei nos veículos de imprensa mais importantes do Brasil. Morei quase 17 anos na Inglaterra, dos quais 14 trabalhando na BBC. Jamais poria em dúvida minhas credenciais profissionais enganando meus leitores, assinando um texto que não é de minha autoria. A grande força do http://www.50emais.com.br reside exatamente em lidar com seus visitantes de maneira honesta e transparente. Se você realmente não leu o que Mariliz Pereira Jorge escreveu sobre o Rio de Janeiro, por favor, clique aqui para ler: http://www.50emais.com.br/40701-2/

        • Minha xará, Leia direito antes de atacar. Os créditos estão lá, bem na cabeça do artigo, é em negrito, pra quem quiser ver! Pra que tanto rancor? rsrs

      • Concordo tanto com a autora do texto como quem escreveu esse comentário. Sou carioca e moro fora da cidade a mais de 4 anos e hoje por mais apaixonado que sou pela cidade, tenho que dizer, que o RJ é uma cidade maquiada para o turista e que a vida so é bela e similar com as novelas de Manoel Carlos quando voce mora, trabalha, vive e se diverte pagando 23 mil no metro quadrado no Leblon. O carioca gente fina, que anda de havainas e sempre simpático com a vida é o carioca da gema, pois no suburbio e na baixada é um pouco diferente.. la falta educacao, infra estrutura, saude e seguranca como qualquer outro lugar. Da uma dor no peito em ver que a cidade mais bonita do Brasil, quem dira do mundo pois so aqui vi um mix de urbano com natureza convivendo tao bem, se acabar com problemas socias.

    • È EVIDENTE QUE ESTE COMENTARIO VIRIA DE UM (A) PAULISTA!!!!

      SAO PAULO NO QUESITO VIOLENCIA EM NADA È DIFERENTE!!! E O QUE È PIOR O DESLOCAMENTO È INEVITAVEL NAO RESTANDO NEM AA REDOMAS E O QUE DIZER DO TRANSITO E RODOZIO?…. PARA PIORAR AINDA TEM O MORUMBI COM PARAISOPOLIS…..
      SEJAMOS FRANCOS, O PROBLEMA È DO BRASIL, RN, MG, SP, PE, ES…. TODOS OS ESTADOS CONVIVEM COM PROBLEMAS BASICOS QUE MUITAS VEZES VAO BEM ALEM DA VIOLENCIA!!!!!

      TENHO 34 ANOS SEMPRE MOREI NO RIO, PASSEI A ADOLESCÊNCIA E PARTE DA JUVENTUDE INDO EM TODOS OS LUGARES MAIS SIMPLES, COMO BAILE FUNK, SAMBAS, SUBURBIO ETC…

      NUNCA PASSEI POR NENHUMA SITUAÇÃO E MAIS, NAO ME RECORDO DE TER VISTO ALGUMA SITUAÇÃO DESSA!!!

      O PROBLEMA EXISTE TEM QUE SER TRATADO!!! AGORA A MIDIA ADORA BATER
      NESSA TECLA E ALIMENTA COMENTÁRIOS MAL INTENCIONADOS COMO O SUPRA CITADO!

      • Concordo com sua colocação!
        Faço das suas palavras as minhas também,e acrescento o RJ está igual as outras cidadrs desse Brasil .
        Noutro dia disse que iria para Portugal,mas era brincadeira!
        Sou carioca da gema,amo essa cidade linda que muitos invejam.
        Vai melhorar!
        Tenho esperanças!

    • Sou do Nordeste e em 2007 cheguei em terras cariocas para trabalhar. Continuo morando aqui, mas se é um reflexo interno da minha pessoa, deve ser um reflexo que mostra que minha visão está cem por cento e meu coração continua com a mesma sensibilidade que sempre tive, pois diferente de 2007 não chamo mais amigo algum para trabalhar comigo aqui.
      Não existe benefícios no Rio. É bonito? Sim, mas as belezas naturais eu encontro em Natal, lugar onde morei por mais de uma década. O Brasil está um caos, e achar que o Rio de Janeiro não sofreria um grande impacto ou insistir que essa cidade continua maravilhosa e que o problema deve ser da “minha alma”, só pode ser opinião de alguém muito ingênuo ou que não caminha pela cidade.
      Como a autora do texto, quero ir e estou em planejamento. O triste de tudo isso, é que vou embora sem saudades ou vontade de voltar. Saudades mesmo, só sentirei do que eu imaginava ser o Rio de Janeiro antes de vir para cá. Agradeço a receptividade profissional que recebi aqui, e a ascensão da minha carreira, bem como alguns amigos,, mas nada mais além disso.
      Nada mais.
      Uma pena.

    • é verdade o que vc disse

    • Vc esta certíssima. Nao pidemos condenar o lugar onde vivemos se não estamos bem pir dentro. Nossa visão das coisas é um reflexo do nosso interior. Se olharmos ao redor de todo o planeta vamos descobrir situações piores daquelas de onde e cono vivemos. Precisamis focar o lado bom das coisas. O pensamento positivo reje nossas vidas. Patabens pela colocação. Abs.

    • Aliviada ! Sou mineira , morei no Rio 10 anos por opção e amo o lugar e a cultura . Moro em SP a trabalho e fico por opção , por saber de tudo que o texto acima colocou

  6. Sou carioca, morei a viida toda no Leblon, quando ainda era um bairro de galera, classe média morava tranquilamente. Em 1997 fui embora empurrada pela esculhambação e principalmente a violência. Fui pra SP onde me senti muito mais segura e respeitada, apesar de tb ser uma cidade violenta. Mas sempre achei q a despeito das maravilhas do Rio, tudo q acontece de mais absurdo no país, tem seu auge aqui no Rio.
    Em 2002 finalmente fiz um movimento maior e mudei pra Itaipava, onde moro até hoje. Cada vez q vou ao Rio misturo emoções de prazer e medo. O medo está sempre presente.
    Da última vez q fui à praia, olhei pro mar cheio de coisas boiando, senti o cheiro de esgoto no ar e não entrei na água. As pessoas q estavam comugo acharam a maior frescura e mergulharam.
    É lindo, mas me mantendo a 1 hora da Lagoa, ainda consigo diferencar a falta de educação do jeitão à vontade. Realmente, não acho a menor graça ou charme nesse tipo de coisa.

    • Faço minhas as suas palavras.

      É triste, frustrante e até mesmo intolerável assistir a tamanho descaso, de tantos governos que, estupida e acumuladamente, se não pela popukacao local e por mínima cidadania, nem mesmo pelo turismo nada fizeram para mudar o que há anos se arrasta.

      Crescimento de favelas, violência, falta de planejamento, mas…

      A verdade é que o Rio de Janeiro, exatamente por ser a cidade mais cosmopolita do Brasil, também é a mais visada e a mais noticiada, negativamente.

      Não é “privilegio” do Rio tantas mas notícias nas mídias, diariamente, detonando o Rio de Janeiro.

      Não que sejam notícias falsas, mas existe o outro lado, por exemplo o meu é de muitos amigos (as), que jamais fomos assaltados e nem mesmo nos sentimos inseguros no dia a dia, seja na zona sul, ontem temos apartamento, ou na zona norte (moro no Maracanã).

      Não consigo me imaginar morando em outra cidade. Meu dia a dia é na zona norte e, aos fins de semana, sempre que posso, passo na zona sul.

      Estamos – o Brasil – realmente precisando da ajuda dos governos, mas estamos – os verdadeiros cariocas, nativos ou de coração – firme e fortes, ao lado de nossa cidade maravilhosa.

      Felizmente a maioria não pensa como ele.

    • Você não se mudou para Itaipava, você se mudou para Petrópolis! Itaipava é um bairro, não uma cidade.

  7. ta esperando o que?

  8. o tal do complexo de vira lata.. por mim, paulistas de plantão, vocês nem pisavam na cidade que tanto criticam… agora, querer comparar o Rio com essa “cidade” que vocês vivem de céu cinza, é uma brincadeira de mau gosto. FICA EM SÃO PAULO PORRA

    • Que alívio, agora não preciso ir mais pro Rio…Cidade “maravilhosa”…sqn

    • Vc é a cara do carioca.. mal educado, indelicado e grosseiro.. sim, a tal liberdade de falar o que quer, xingar e se achar o tal.. argumento inteligente não se vê, é precisa?? Afinal, vc é exxxperto merrrmo!!

    • Guilherme, sou paulista e, bem diferente de você, não tenho o desejo de expulsar os cariocas de minha cidade quando se indignam com a desordem e violência de São Paulo, porque tenho a capacidade mental de entender que eles têm razão. O triste de se viver num país com gente de mentalidade imbecil como a tua é perceber que NUNCA vai melhorar pelo simples fato de que o primeiro passo para melhorar qualquer coisa é reconhecer que é ruim. A autora do texto aqui está apontando problemas que VOCÊ, como carioca, deveria reconhecer. Percebe-se que tua capacidade mental e/ou falta de humildade não estão para isso. RJ é um lixo, o que tampoco significa que SP não seja.

    • Querido, não sou paulista, mas o Rio está a frente de SP em questões naturais, localização geográfica, opções de ecoturismo. E o blog explana a realidade de que nem isso está sendo preservado. De resto realmente não tem o que comparar, em São Paulo, pelo menos, as coisas funcionam!

  9. Moro em Vitória ES, mas, com alguns familiares no Rio, desde bem pequena passava minhas férias no Paraíso. Depois vieram os filhos e procurei seguir o mesmo ritual. Feriado, jogo do FlaxFlu, íamos nós, afinal, apenas um voo de 40 minutos nos separa da entao Cidade Maravilhosa. As viagens Vix/Rio/Vix foram ficando cada vez mais raras, o que muito me entristece, mas sigo inclusive os conselhos dos meus familiares cariocas: Não Venham!!!!
    O Paraíso e A Cidade Maravilhosa ficaram para trás…

  10. Triste Rio…cidade bonita, mas ordinária!

  11. Tinha uma imagem muito positiva do Rio a ultima vez que fui foi 2004 realmente a cidade é um.belo cenario de novela.
    Agora com um filho de 2 anos nao me arrisco…

  12. Acho interessante como o texto começa com as vindas ao Rio de Janeiro e falando de voltar para o Caos organizado de São Paulo. De falar que o Rio de Janeiro vive sobre violência e medo. Desculpe, mas essa é uma realidade brasileira, a memória do brasileiro é curta e a visão é míope. Até pouco tempo São Paulo vivia sitiada com ruas fechas, transporte publico não rodando, policiais sendo assassinados na porta de casa e com o controle do PCC e até o presente momento pelo que sei ainda é uma realidade. A cracolândia em SPO expõe o que há de pior na nossa sociedade, a Hipocrisia. São Paulo de longe tem o maior índice de violência no Sudeste e chamar isso de Caos Organizado me parece uma piada de mau gosto, pois o problema do Rio sempre foi o problema do Brasil de norte a sul, é a inchaço da máquina pública, a bandalheira do dinheiro do contribuinte, o descaso com a população, a impunidade do delito e por ai vai…. Esse texto é mais um texto de quem pouco contribui com o debate da sociedade que mais importa. A SOCIEDADE BRASILEIRA, pois não antes de sermos cariocas, paulistanos, mineiros, gaúchos, nordestinos, somos brasileiros….vamos falar mais do problema do bairro do que do quintal alheio!!

    • Nem falemos dos sequestrou relâmpagos, em São Paulo… caótico.

      O Rio não será melhor porque São Paulo também é ruim – ou pior – mas temos de lutar para melhorar nossas cidades e não apenas as detonarmos.

    • São Paulo é o estado mais seguro do Brasil. Isso é estatística. Sua frase de que é a cidade mais violenta do sudeste é um escândalo, uma burrice de um tamanho inominável. Vá estudar e pesquisar os dados.

    • Silvio Passarini Jr

      Melhor avaliação disparado do texto… O brasileiro é muito resiliente. E o que tem que mudar é o Brasil!
      Porém, deixando de lado o bairrismo, tenho que concordar que o Rio de Janeiro está largado. O que era para ser o cartão postal do país, está longe de ser uma realidade aceitável…. (e quem fala é um carioca – 40 anos na cidade “maravilhosa”, hoje morando em Florianópolis, fugido da violência, assaltado com arma de fogo em set/2016).
      Temos muito o que mudar, no jeito de atuar na coletividade, no respeito mútuo, sermos menos tolerantes com as coisas erradas, e cobrar dos governantes as coisas certas.
      E cobrar investimentos em educação principalmente (o que vai garantir as gerações futuras), saúde e segurança!
      O projeto Brasil foi deixado de lado lá atrás infelizmente, quando o que satisfazia era o futebol e o carnaval uma vez ao ano. Estamos pagando a conta por conta desse descaso sistemático com questões importantes. O país estagnou na década de 90.
      Mas ainda existe esperança para o Brasil, e para o Rio de Janeiro. Eu acredito!
      Temos que iniciar essa mudança, votando melhor em 2018 e cobrando dos governantes atitudes que visem, mesmo que a longo prazo, a melhora das condições para uma sociedade mais justa e honesta, com investimentos concretos nas áreas onde hoje temos os piores índices!!!
      Voltando ao texto, é triste o Rio de Janeiro estar passando por esse momento, assim como outras cidades “maravilhosas” do nosso país. Tenho medo de pousar no Galeão, e de andar de carro no Rio de Janeiro! Mas minha família e amigos estão lá. E gosto da cidade em si, acho que realmente seja uma das cidades mais bonitas do mundo. Mas gosto também de São Paulo, Vitória, Salvador, Porto Alegre, Belo Horizonte, Maceió, Manaus, Curitiba… todas cidades tem cada uma sua peculiaridade!
      Então deixando o bairrismo de lado, acho que todos deveriam realmente lutar por uma SOCIEDADE BRASILEIRA melhor.
      Parabéns pela colocação Alexandre Vieira

    • Alexandre, me desculpe, sou carioca, nascido e criado no Rio, onde Graças a Deus, não moro mais. Por força do meu serviço vou frequentemente a São Paulo, onde passo muito tempo trabalhando e, por ter família no Rio, ainda vou ao sempre ao Rio. Creia, não tem como comparar. O Trânsito em Sampa é menos pior, a violência de Sampa é menos pior, e a organização de tudo, a disponibilidade, a competência profissional e a educação das pessoas no atendimento em Sampa são incomparáveis. Ir ao Rio de Janeiro, para mim, é um pesadelo. Sinto-me muito mais à vontade em Sampa que no Rio. Infelizmente é verdade.

      • Sou carioca e concordo com vc!!! Acho q o carioca perdeu o tesão pelo Rio por tantas coisas ruins q aconteceram ao Rio, tanto abandono, descaso, falta de pagamentos, de empregos decentes e etc. por isso ficaram ressabiados e mais grosseiros, por falta de perspectiva, talvez. Moro em São Paulo e vejo uma diferença grande. Vou duas vezes por ano ao Rio, mas com o pé atrás, só fui assaltada e arrancada do meu carro c uma arma na cabeça qdo ainda morava aí, uma vez, e isso foi em 1991, agora então só carro blindado p andar sem ter medo no Rio!! Triste realidade e não queiram dizer ao contrário, please!!! Vamos assumir q esses políticos safados destruíram o sonho dos cariocas, de se ter uma vida melhor!

    • Boa! Melhor resposta a um artigo cheio de preconceito com a cidade maravilhosa. Visão miope realmente e mais, viciada, especialmente se o parâmetro de comparação é a cidade de SP, que sinceramente está no topo dos indices de tudo que mais foi criticado no Rio. ( violência , corrupção, poluição , trafico de drogas, miséria, favelas, etc e tal) a única coisa não avaliada nesse discurso preconceituoso seu foi a pior das mazelas…esse ar de superioridade do paulistano e se achar com pedigree enquanto classifica o carioca como o vira lata. Desculpe, mas não aceito esse rótulo.

      • Perfeita colocação, eu iria escrever no post, mas quando li esse comentário vc mencionou exatamente td q eu queria dizer…

      • Teu comentário tem equívocos gigantes. SP está no topo dos índices simplesmente porque é 5x maior que o RJ. Em números proporcionais o RJ supera SP em TODOS os quesitos mencionados, e muito. E você ainda tem a coragem de falar em nível de corrupção… O RJ é reconhecido pela “malandragem carioca”… não é malandragem paulista. Qualquer site de estatística comprova o que estou falando, você precisa pesquisar melhor. Outra coisa: em nenhum momento a autora desse artigo classificou SP como melhor que o RJ. Acho que a síndrome de vira-lata está aí do teu lado porque você não consegue assimilar uma crítica totalmente verídica à tua própria cidade, não importa se a autora da crítica é paulista, gaúcha, mineira ou de Marte Em nenhum momento ela comparou Marte com a cidade do RJ. E tampouco ela disse que gostaria de voltar a SP… ela gostaria sim de sair do RJ, o que não significa necessariamente voltar a SP. O que falta aqui é humildade pra reconhecer que é realmente ruim… novamente, ninguém disse que SP era bom, isso foi você quem colocou.

    • CESAR FERREIRA GOMES

      Rio 40 graus? Cidade maravilha purgatório do caos
      E vi5 que segue

  13. O pior do Rio de Janeiro é o carioca, que reclama da cidade suja, mas joga o lixo na rua, afinal “o que é um papelzinho.”
    Que reclama da corrupção, mas adora tirar uma vantagem.
    Eu sou carioca, moro em Londres e tenho vergonha de dizer que vim do Rio de Janeiro, do Brasil.

    Sobre a carioca aí de cima. Rio de Janeiro já bateu sampa em índices criminais.

    Excelente análise e texto.

    • Concordo demais com você…. sou mineira e ficamos chocados com as diferenças de cultura nossa em comparação ao Rio…. a cultura do malandro e do mais exxxperto aqui nos choca um bocado …..

  14. talvez o rj melhore bastante se de fato 56% das pessoas que aqui moram partirem pra outro lugar….

  15. Tenho 52 anos. Sou carioca. Concordo em gênero, número e grau e vou msis longe. A geografia linda tem ressalvas. Vai muito de percepção. Olho para aqueles cartões postais do Rio antigo, suspiro e aí penso, isso sim era maravilhoso. Cidade com natureza genuína sem o enfeiamento dessa selva de pedra repugnante, agressiva de hoje. Quero ir à praia e ter paz, águas limpas e natureza, e não cimento, fumaça, buzina, arrastões, grosseria, a tal “espontaneidade” chucra que não passa de falta de educação mesmo. Meu pai tem 81 anos. Se aposentou, a primeira coisa que fez foi cair fora para Aracaju. Lá, com qualidade de vida, chegou a curar um câncer, e desapareceram espontaneamente os problemas alérgicos que o infernizaram a vida inteira. Eu, por minha vez, conheci a Itália ano passado. Com todos os problemas que sei que tem lá, mas que viram cosquinha diante dos daqui, voltei chorando no avião. Mistura de saudades de meus filhos, da família, com a convicção de que eles mereciam uma Roma, uma Verona, não o Rio para se viver. Amo minha família, meus amigos. Essa cidade, onde já fui assaltada três vezes e vivo engaiolada em casa com medo, não. Queria ver pelas costas. Fazer o que? Resta a fé. Parabéns pelo artigo.

  16. Infelizmente a realidade é ainda pior do que a benevolência da autora permite expressar em seu texto tão bem elaborado. Sou carioca e cresci no Rio, mas desde a adolescência curtindo as “noites cariocas”, o circo voador, o carnaval em escolas de samba, o futebol no maraca, as praias e todas as belezas naturais, mesmo assim eu já sonhava em sair de lá, pois já percebia o precipício que se aproximava e, hoje, graças a Deus, vivo no interior entre MG e SP.
    Para mim, pior que a realidade é a reação de alguns fanáticos às críticas, que respondem agressivamente a quem apenas expressa os fatos, os que se ofendem com a opinião dos “não cariocas” por acharem que estes não tem direito dizer o pensam e sentem. Pois bem, eu lhes digo, sou carioca, nascido na Tijuca, crescido e vivido na “cidade maravilhosa” e o que mais me irrita e sempre me irritou no Rio de Janeiro são os cariocas/fluminenses pseudo espertos, os que, mesmo com um péssimo rendimento escolar, se acham melhores e mais inteligentes que todo mundo que não nasceu aí. Os que dizem “naisceu” ou “douze” e se acham no direito de sacanear quem fala corretamente apenas por ter um sotaque diferente. Claro que não são todos assim, a maioria é gente boa, há também os bons e os bobões em todo lugar do Brasil (que graças a Deus pude conhecer quase todo), mas o Rio, pra mim, já acabou faz muito tempo. E pra esses manés que ficam aí ofendidinhos com quem critica, só tenho a dizer que é por causa de gente assim, que não aceita crítica e que prefere atacar apontando problemas alheios a enfrentar os seus próprios problemas que as coisas não vão melhorar nunca. Então, façam bom proveito, eu FUI!!!

  17. Primeiro de tudo, quando uma pessoa começa um texto falando que é Carioca de coração e na descrição do que é ser carioca de coração ela põe que é ter mesa cativa no Jobi, pra mim perdeu toda a credibilidade. Quanto as mazelas da cidade, concordo que com os atuais salários atrasados de servidores estaduais e com o completo desaparecimento do prefeito eleito as coisas deram uma piorada, porém, violência todos os estados tem, todas as cidades tem, o que acontece é que tudo que rola no Rio é supervalorizado por essa burguesia paulistana que escreve em jornal, cara não entendo porque acha a cidade tão ruim e continua vindo aqui, muito ajuda quem não atrapalha, pra falar mal da minha cidade tem que ser carioca de verdade, não precisa ter nascido aqui mas…tem que amar a cidade e querer que ela melhore, criticar por criticar não vai fazer a coisa mudar, sentar no Jobi e falar mal da cidade é mole, conheça o Rio de verdade. Falar mal das pessoas é uma sacanagem, quer dizer que aqui só tem preguiçosos e vagabundos? Ninguem tem compromisso com nada? Cariocas não trabalham!!! Visão idiota e preconceituosa de quem não conhece a cidade, do Jobi não da pra ver a galera encarando o trem pra Japeri, quase 3 horas de viagem pra chegar ao centro e fazemos tudo isso com nossa característica simpatia, tratamos todos bem, gostamos dos turistas. Ela também diz que mergulhamos no cocô, acho que ao invés de ficar na barraca do Leandro ela deveria ir até a beira da praia. Tenho certeza que temos muitos problemas no Rio, muitos mesmo, a cidade está se deteriorando cada vez mais, porém, gostando ou não é a Cidade Maravilhosa e sempre será, a natureza aqui é espetacular, Deus exagerou na beleza da cidade a ponto de fazer esse tipo de invejinha babaca surgir de vez em quando. Ahhhh e pra terminar, mesmo com todas as belezas, O MELHOR DO RIO É O CARIOCA! Procure sair do Jobi e conhecê-los de verdade!

  18. Prefiro correr risco de bala perdida todo dia a morar em sp.
    Digo isso depois de 3 anos em SP
    Viver em SP eh esperar a morte chegar.
    Os vcs fazem p se divertir e os fazemos qd não tem nada pra fazer.
    Com toda a violência não há nada melhor que isso aqui.

  19. Tudo verdade, mas sua São Paulo cheio de gente que se acha dona da verdade, que jogou o país no ódio e no golpe e ainda se acham superiores por estar na cidade mais rica construída a base de exploração de mão de obra desesperada, retirante da seca, não fica atrás na favelização e criminalidade. Paulista só pensa em consumir e exibir, mesmo que custe viver estressado e oprimido, sem esquecer de oprimir também. Quando fui lá, gostei dos serviços e atendimento, mas vi uma população cansada, oprimida e deprimida.

    • KKKKK de que planeta você vem? Exploração de mão de obra desesperada…??? Isso se chama “mercado de trabalho”. A partir do momento em que você tem gente retirante da seca que vem matar a fome na cidade grande, isso ocorre em qualquer parte do mundo. E acredite em mim, SP fica sim muito atrás na favelização e criminalidade. Proporcionalmente falando, acho que 40% do RJ é favela. SP não deve chegar a 10%.

  20. Esta turma que escreveu acima que ainda acha o Rio uma maravilha não me surpreende. Uma das caracteristicas básicas do ser humano é se acostumar com as piores situações e adversidades da vida, desde as favelas de Calcutá às “comunidades”das cidades brasileira, principalmente os poéticos morros da cidade.. Mas o carioca vai mais além, vangloria-se de viver com uma das piores qualidade de vida do país só porque tem praia ( mesmo com esgoto e cocô) e carnaval. Com esta atitude irrespons’svel e conformista vai continuar tudo assim, pois foi esta assim que colocaram um bando de bandidos no poder a começar com o Brizzola e mais recentemente com Eduardo Paes e o Cabral que sempre foram louvados em canto e verso como exemplo de grandes administradores pelo coitado do carioca, quando na verdade destruiam o paraíso. Brizzola, favelou tudo, e todos que viaram depois expandiram o caos enquanto enchiam o bolso de dinheiro. Pobre Rio, pobre povo.

  21. Nossos eleitos são burros, incompetentes ou coniventes com tudo o que ocorre aqui. Foram eleitos para administrar e dar reciprocidade ao cidadão, mas, são um clube de proteção recíproca entre eles. O “bom” disso tudo é que eles também estão começando a sofrer dos mesmos males que o residente, marginalizado, esquecido, sacrificado e enganado eleitor sofre. Pena que os que aí estão e os futuros eleitos só querem fumar, cheirar, injetar e se corromperem-se. E assim vai, não só a cidade, o estado, mas, o país rumo ao fundo da fossa que eles escavam sem a resistência do povo que não sabe é nem tem como resistir ao rolo compressor da desonestidade generalizada que vemos no dia-a-dia.

  22. Danilo de Carvalho

    Moça, pode ter certeza que vc só gosta do RJ pq vc vinha como turista e provavelmente ficava na zona sul. Essa sensação é constante de quem mora na zona norte

  23. Triste realidade do país minha cara.
    Deveria reescrever seu texto e citar o nosso país verde e amarelo. Do samba, do calor e do carnaval!!! Porém afundado nesse terror…
    O sudeste tomado pelo caos, o nordeste só pedindo pra sair e quiçá as demais regiões.
    Sou carioca, moro no RJ e quero muito tentar mudar a nossa realidade!!!
    Comecemos em casa, já é o início de tudo!!!

  24. Violência tem em SP também

    • Ninguém disse que em SP também não tem. O ponto em questão aqui é o RJ, não SP… por que é tão dificil admitir que a cidade é ruim, sem se importar com a origem da autora do texto???

  25. Concordo em gênero, numero e grau. O RJ é uma grande ilusão. Que linda geografia é essa? A zona sul da cidade? Uma cidade não vive apenas de Copacabana (um bairro decadente e super lotado), Ipanema e Leblon. O RJ só tem meia duzia de bairros decentes, o resto é de ruim para péssimo! Na zona norte mal se salva a Tijuca (salpicada de regiões decadentes), o resto é largado, feio, mal cuidado, quente e violento. Madureira, terra do samba. Como? com tiroteio e assalto comendo solto? Ah, mas tem a zona oeste com a Barra! A Barra e o Recreio, as crostas de prosperidade margeadas pela Cidade de Deus, Gardênia, Curicica. Pra lá do tunel do Recreio então, uma cidade longe e esquecida. Nem vou mencionar Benfica e Jacaré, que parecem cidades destruidas de filme de ficção. Baixada? Putz. Vontade de sumir daqui

  26. Já não foi em bora? vai tarde! E São Paulo é um paraíso? Acorda minha filha!

  27. Concordo com tudo que ela disse. Mas só faço a ressalva de que São Paulo é ainda pior, inclusive na violência.
    Não que isso seja mérito do Rio, é que parece que a autora esqueceu desse detalhe.

    Mas o texto é muito bom

  28. Cristina Patrocínio

    Conversei semana passada com alguns amigos exatamente sobre essa questão, concordo plenamente; existe um mundo paralelo que a maioria prefere não enxergar….” Chamar favela de comunidade não muda o fato de que centenas de milhares de pessoas continuam vivendo sem saneamento, sem saúde, sem educação, reféns ora do tráfico ora da milícia. Mas é bonito subir o morro, ir ao sambinha, postar foto na “comunidade” e fazer de conta que ela está integrada. Não está. Fica bonito na letra de música, na poesia, mas é apenas gente esquecida –e tolerada– em troca de status de cartão postal.”

  29. Rio está assim pois os PROPRIOS CARIOCAS a abandonaram! deixaram os ratos politicos livres! Quer sua cidade de volta? Parem de se vitimizar e peguem SEUS VEREADORES NA MAO eles sao pagos por NÖS ! E sao obrigados a fiscalizar a cidade. Boraaa AINDA DA TEMPO!!

  30. Eu concordo com texto.
    Já morei fora do Rio, duas vezes, Vitoria ES e Campinas SP, voltei para o rio por motivos familiares, mas contos as horas e os dias para sair daqui, assim como alguns amigos que postaram antes, também moro na zona Oeste, vou e volto para o trabalho sem ver pela janela do ônibus ou trem lotado países bonitas ou até mesmo maravilhosas. É uma vida sofrida e sem muitos momentos bonitos, mas fazer o que? Família é família.

  31. Não acredito em uma pessoa que escreve em seu texto estereótipos e argumentos falhos. Essa escrita o torna claramente preconceituoso e tendencioso.

  32. O que os mais bairristas parecem esquecer é que a cidade é maravilhosa apenas para aqueles que vivem à beira-mar. Como SP é legal para quem mora em bons bairros centrais.
    Sou de SP e acho a cidade boa porque moro perto de tudo, gasto pouco tempo no trânsito, vou a lugares legais e sempre vejo um monte de gente bonita. Mas sei que sou um privilegiado e que a realidade é bem diversa para a esmagadora maioria.
    O Rio é o único lugar no Brasil onde tiram onda com meu sotaque. Também me sinto como um pobre turista americano de quem querem tirar vantagem. Isso acontece no Nordeste, mas muito menos.
    Não generalizo. Há pessoas de todos os tipos no Rio como em qualquer outro lugar. Mas as impressões que ficam são geradas por comportamentos que insistem em se repetir.
    Alguns povos são mais afáveis que outros. Uns são mais educados que outros. Todos têm características boas e ruins e, na minha opinião as ruins prevalecem no Rio.
    Não me sinto melhor que nenhum outro brasileiro por ser paulistano, mas não admito ser tratado com ar de superioridade por ninguém, seja em Paris, NY, menos no Rio.
    A cidade do Rio é linda, e nada mais. Existem outras qualidades que determinam o bem estar de um cidadão.

  33. Vivo no Rio a 20 anos, vim por opção própria. Quando cheguei aqui trabalhava muito, mas a impressão era de sempre estar de férias ( talvez pq no RS só se vá a praia no verão, quando se está de ferias. Nunca me arrependi de ter mudado, penso realmente que moro nas férias de muitas pessoas do mundo e não só do Brasil. No comeco ficava decepcionada com a falta de pontualidade das pessoas ( muitos nao cariocas), mas depois acostumei e resolvi entender esse jeito de ser pq se não pode com eles, junte se a eles e foi o que fiz.
    Aqui tenho muitos amigos e a maioria não são cariocas, costumo dizer que o que menos se encontra no Rio são cariocas.
    Violência? o Rio não é o lugar mais violento do Brasil, mas o mais noticiado, isso com certeza. Todos os olhos voltados para o Rio, pois aqui tudo acontece.
    Mas hoje, apesar de amar o Rio, tenho muita vontade de ir embora, não do Rio, mas do Brasil. Desse pais que está uma vergonha e que não cuida de sua gente.

  34. Quem reclamou do texto não conhece essa bomba de lugar! Sim uma bomba e fica tictaqueando nos meus ouvidos. Moro no rio toda a minha vida, tenho 23 anos. Moro na baixada e odeio esse lugar com todas as minhas forças, e ainda tem quem pergunte: “porque não se muda então?” Como eu poderia? Tô desempregada, o pouco que tenho ainda aparece marginal pra tomar! Vejo constantemente amigos e vizinhos sendo assaltados dia sim, outro também no ponto de ônibus indo pro trabalho. O povo gosta de defender o rio como se não fosse o nojo que é, mas meu amor eu sei o que é ter uma arma na cara pra tomarem meus pertences! Então não sejam hipócritas, o Rio tá condenado e entregue a bandidagem que dia após dia se multiplica. E não digam que é por culpa da educação, porque eu já vi amigos de escola morrerem assaltando ou na boca e eu nunca me meti com essas coisas erradas!

  35. Volta pra são Paulo, aquele paraíso.
    Faz esse favor para nós cariocas.

  36. Vamos então falar de São Paulo? É muito diferente? E de Qual SP queremos falar? Das áreas nobres ou da periferia? Uma cidade incrivelmente segregada territorialmente certamente protege os olhinhos de quem vive numa bolha. No Rio tudo é explícito e mais democrático. Felizmente por um lado, infelizmente por outro.

  37. saindo da área dos cartões postais, se adentra nas regiões mortais

  38. Eu como Carioca, infelizmente concordo com tudo! Pois além de Carioca, conheço várias cidades mundo afora e posso te garantir que nunca vi nada igual ao que acontece no Rj!
    Vc não tem paz ao ir uma simples praia e falar num celular a vontade sem.o risco de ser assaltada ou sofrer violência!
    Como trabalho com TURISMO e já vivi em várias cidades mundo afora posso lhe garantir que o RJ virou uma cidade violenta, suja, um caos
    Tchauuuuuuuu hipocrísia que vem querer defender uma cidade que não tem justificativa dos absurdos que acontece devido ao descaso, abandono e alguns hábitos culturais…lamentáveis como exemplo eu moro em Ipanema pago um iptu caro e sou obrigada a não dormir devido a bailes FUNKS ocorrem de quinta feira a domingo varando a madrugada um alto barulho que não consigo dormir nem de janela fechada…. a total falta de lei e respeito ao cidadão que acorda cedo para trabalhar no dia seguinte, numa cidade onde não tem lei e vive o CAOS.

  39. Moro no RJ há 50 anos desde que nasci. Nunca fui assaltado e ando por todo lugar (bangu, Ipanema). Não ando nem com celular no bolso, se possível. E há 30 anos já andava com o básico. Sem chamar atenção. Sinto felicidade em acordar em qualquer lugar. Já fiquei 4 dias em Paris. Lindo. Maravilhoso. Mas não trocaria RJ por Paris. Acredito que a postura mental também auxilia, no sentido de não andar com medo. CAOS está geral. Basta mais um governo Dilma-Temer e ai sim poderemos pensar em sair do país.

  40. É realmente muito triste o que está acontecendo com o Rio, assim como com todas as grandes cidades do país! Os problemas são os mesmos! Umas piores do que outras, porém todas com problemas sérios!
    A pessoa que escreveu esse texto só vê defeitos no Rio, assim como nos cariocas, e não é assim! O Rio tem muitas coisas boas, alem da beleza natural. E o povo carioca é adorado por todos; felizes, receptivos….! Reconheço todos os problemas que a minha cidade tem, mas acho muito injusta a maneira que esta sendo detonada neste texto. Espero que a pessoa que escreveu já tenha ido embora daqui! Volte para São Paulo, vá viver aquela vida fria e sem graça. Mas pare de jogar pedra no telhado dos outros porque o seu também é de vidro!!!

  41. Algumas informações são verdade. Muitas opiniões extremas. Fácil dizer q é carioca e após eaclutinar os problemas reclamar do chopp aguado e do banho de côco nas noites de verão q tanto a agradaram. Enxergou, percebo e vivo toda a violência do Rio. Não na zona sul. Tão pouco na zona oeste. Vivo na zona norte. E na baixada. Leciono a maior parte da população a base operária moradora das favelas mesmo.
    Mas como dito antes este é um problema nacional, quiçá mundial. Na minha primeira viagem a São Paulo, que foi maravilhosa. Onde, como boa carioca, circuleo pelo centro com todas as técnicas de quem viveu a vida toda no Rio andando em todo lugar e evitando o perigo. E nada me aconteceu. Mas o amigo que ia me buscar para conhecer a noite paulista foi sequestrado ba porta da amida que ia pegar antes de mim. E só liberado tarde da madrugada. Violência não tem endereço. Vivo no Rio é twmo sua noite. Vejo todos meus amigos paulistas remendo os dias e noites em Sampa. Por isso, ridículo este discurso “bairrista” de que o Rio não presta. E os cariocas menos ainda por apesar de tudo. Apesar de como todos que nasceram e vivem em metrópoles em todo o mundo, prefiram a certa altura da vida de afastar dela. Mas jamais se desligar por completo.

  42. Li o texto e todos os comentários. Me chamou a atenção pela boa argumentação e fundamentação da crítica. Moro no interior do estado do Rio, em uma cidade média. Antes da crise, considerada a “capital nacional do Petróleo”. Deveria ser a Abudabi do Brasil. Mas, não é e nunca foi. Pelos diversos problemas citados pela maioria. Hoje, tão violenta quanto a capital, em suas devidas proporções. O problema não é o Rio nem os cariocas. Qualidade de vida no Brasil não existe mais, nem nos grandes centros nem nas cidades menores. As questões sociais são múltiplas determinações sócio histórico culturais, estão em toda parte, em menor ou maior proporção. Já olhou o Rio de Janeiro do alto? Ali chegando no Santos Dumond, vindo de São Paulo? A sensação é de estar chegando em um lugar lindo, cheio de energia boa, calor humano….em geral, gente que fala o s com som de x! Morei no Rio por muito tempo, nunca me senti sozinha. A violência é uma problemática que faz parte do cotidiano dos cariocas, como dos outros cidadãos Brasileiros. Agora, se há a disposição de criticar o Rio e afirmar que deseja ir embora é preciso estar aberta para ler argumentos contrários também. Tipo, eu acho São Paulo uma cidade cosmopolitana, mas muito feia! Incluindo as praias do Litoral. Do alto parece um lego com peças cinzas. Mas, não saio por aí criticando os paulistas, generalizar nunca é saudável. Conheço paulistas muito Gente boa!. Particularmente acho São Paulo uma cidade triste e o Rio uma cidade pulsante, um belo cartão postal no mundo! Quanto as praias, concordo em parte. Quem disse que praia é só para mergulhar? Deus do céu, carioca vai a praia para pegar bronze, jogar frescobol, papo fora, tomar picolé, uma cerveja gelada para o calor escaldante..correr no calçadão. Cidade sem praia me mataria de tédio! Se os​ cariocas​ quiserem​ de verdade tomar banho de mar em águas transparentes e limpas, não faltam opções! Na capital existem praias ainda preservadas, como a prainha. Tem Angra dos Reis com a Ilha Grande somente 2 horas de distância (nasci e fui criada lá), tem Paraty e as belas cidades praianas da região dos Lagos, como Arraial do Cabo e Búzios. E São Paulo? Guarujá? (Alto índice de violência! Estive há pouco tempo visitando) Santos? (Cidade médio grande, com boa qualidade de vida, mas uma praia muito feia). Enfim, injusto comparar. Cada cidade e estado com suas belezas e mazelas. Ainda assim eu não trocaria o Rio de Janeiro (Capital e Estado) por outro. Talvez pelo Nordeste, que também possui um belo Litoral. Em fim, muito ousado declarar este desafeto pelo Rio. Embora com argumentos pertinentes… Espero que encontre o lugar que mais combine com você. E que apesar dos fatores externos consiga ser feliz nele. Tem gente que mesmo indo para a cidade com maior índice de qualidade de vida do mundo, vai continuar infeliz.Em fim, o segredo é ser flexível sabe…tem sempre uma beleza oculta que não descobrimos ainda. E sempre há um lado para escolher, o dos que riem a toa, apesar de tudo, ou os que reclamam de tudo.

  43. Comentário vindo de uma Paulista?
    Perai, e seu estado?
    Me diz a diferença de SP para RJ? Não há!
    Felizmente sou ex esposa de um Paulista e que voltou para a cidade dele. Seria bom vc fazer o mesmo.

  44. Paulistinha recalcada de m…

  45. Faço parte dessa parcela da população que tem a consciência de que o Rio de Janeiro é, hoje em dia, a Cidade Maravilhosa vista do alto. Adeus Rio de Janeiro, adeus Brasil.

  46. Vou te mandar embora sim ! Para que você possa morar num lugar civilizado. Corra enquanto não te vitimaram com essa violência descabida. Corra, Mariliz, corra !
    Sou uma carioca que desistiu de morar no Brasil em 2004.

  47. Infelizmente as capitais brasileiras estao decadentes e deterioradas, mas não sabemos direito o que ocorre fora do eixo RJ-SP por questões bairristas e provincianas, sou carioca, mas moro em BH a 7 anos, meus pais vieram me visitar no natal de 2015 e sabem o que aconteceu ??? Meu pai foi assaltado em pleno centro de Belo Horizonte !!!
    .
    Um conselho: Quer fugir da violencia brasileira ??? Faca como meu irmao e alguns amigos meus, vai embora do Brasil !!!

  48. Tive a sorte de sair do RJ e morar na cidade de Torres-RS, fronteira com SC. Vivo tranquilo, tenho meu comércio meus filhos estudam vivem Bem. Ouvimos nas redes, e vemos no jornais as notícias do nosso Rio. Temos parentes, amigos e ficamos muito preocupados com tudo de ruim que a antiga cidade maravilhosa foi mergulhada. Anos de desleixo, má administração, corrupção. O Rio é o retrato cruel da falência do modelo administrativo, político e social da Nação. Me faz até ter saudades da época do Regime Militar, quando a bandidagem vivia presa ou no mínimo acuada e a população civil era Livre para circular em toda cidade, sem cercanias.

  49. Eu cresci em uma cidade do interior do Estado do Rio. Lembro que um professor meu dizia: “aqui você vive, no Rio você sobrevive e em São Paulo você sub-vive”. Continuo achando que ele estava certo.

  50. Sou carioca e o que tenho a dizer é que se São Paulo é uma cidade tão linda e segura, va lá e abra conta na barraquinha na beira do rio Tietê e apoie o movimento separarista. Afinal São Paulo é um lugar tão bom que deveria se chamar Nova Noruega né.
    Ninguém é obrigado a ficar aqui, inclusive você, e se 56% querem sair da cidade? Sejam livres pra isso.
    Outra coisa, carioca é quem é nascido e criado aqui, vc não passa de uma wanna be.

  51. Considerando que vc não é carioca e veio morar no rio a pouco tempo, essa é uma boa análise dos fatos. Mas só serve para desmistificar as coisas para os turistas ou para quem mora entre a Atlântica e a Delfim. Para quem não tá nesse raio,vc não contou nenhuma novidade. Frequentar posto 12 e comer nesses lugar que tu falou representa que sua rotina no Rio faz parte da rotina de classe média/alta, os inocentes do Leblon que tem a Bossa nova como a trilha sonora das suas vidas. Talvez por isso seu grande espanto em conhecer a realidade. Tem MT rio de janeiro pra depois do aeroporto, a zona norte e oeste é grande pra caralho!! Tá longe dá praia, tá longe do metrô, ta muito longe dessa análise que tu fez. Não é tudo bem ter acesso ao mínimo!!! Parte da populaçao carioca – posso arriscar dizer que a maioria está entre Méier é copacabana – que posta foto na pedra dá Gávea, que tem conta na barraca dá praia, que acha lindo conexão morro-asfalto, que frequenta baile de favela mas não mora lá, é a mesma que tem o privilégio de escolha e pode planejar sair dá cidade em busca de um lugar mais tranquilo pq não aguenta mais ser assaltada ou pagar aluguel caro. Enquanto existe esses 56% que querem sair, existe o resto que implora pelo direito de viver. Pelo direito de ir e vir na cidade. Existe a resistencia que sustenta a cidade e seus serviços,e sua cultura.
    Como carioca, favelada e militante de rua só posso dizer que tu não viu foi nada! O bglh aqui é doido pra quem tá na linha de frente dá guerra!! Pra quem precisa lutar pelo seu território pra sobreviver. Prós demais, que estão cansados de hipocrisia e assalto e podem conquistar seu território para viver em outro espaço, resta meter o pé mermo. Ou soma, ou rala! Paz!

  52. Sobre o caos urbano no Rio, o seu relato não traz novidades. Sobre a forma como trata a espontaneidade e forma de vida, espero que saia do Rio logo, assim voltará a ter uma vida melhor. Continuaremos aqui, na “Cidade Maravilhosa”. Fico à disposição para um dia no Rio e posso te mostrar o mesmo Rio que você viu, com o olhar de um apaixonado pela cidade.

  53. É, eu nasci carioca. Deixei o Rio em 1971. Chorei saudade por uns 5 anos. Mas, a realidade só vem piorando desde então. Hoje em dia, prefiro dizer que sou pau-de-arara. Não confesso que sou carioca. Causa medo entre os outros Brasileiros. Vejo um reflexo defensivo de segurar a carteira, entre as pessoas da região onde moro. Moro na cidade mais violente do Rio Grande do Sul, que ainda é um paraíso perto do Rio de Janeiro. Estou aqui desde 1993, e só vi um tiroteio, que a polícia ganhou, e prendeu os bandidos. Agora, já no Rio, quisera que o problema fosse só a violência. Tudo funciona pior do que em todo o resto do Brasil. O Correio não tem caixa de encomenda, o funcionário improvisa com papelão recolhido no supermercado, em pleno aeroporto Santos Dumont. O Banco do Brasil tem os balcões depredados, e de vez em quando fecha porque as caixas automáticas são arrombadas. O tal “Porto Maravilha” não tem radio taxi que aceite cartão de crédito. E pensar que eu moro a três horas do Chuí, minha rua não tem calçamento nem esgoto, mas a padaria da minha rua aceita todos os cartões. Você tem que aturar achaque de todos os taxistas da rua. E todo e qualquer vendedor, seja no restaurante ou no camelô tenta te cobrar preços extorsivos. Só pra citar uns poucos de muitos exemplos. Hoje em dia, eu só confesso que sou carioca em duas situações, quando estou atrasada, porque os cariocas, notoriamente, não são pontuais, ou quando ofendo alguém. Justifico dizendo “você sabe, né, carioca perde o amigo mas não perde a piada”. Ainda espero viver tempo bastante pra ver o Rio melhorar, mas não tenho certeza. Mas, enfim, a profissão do Brasileiro é a esperança…

  54. Uma pequena mensagem, Rio de Janeiro deixou de ser cidade maravilhosa, hoje está a cidade tenebrosa, sou carioca desde pequeno, mais hoje tenho vontade de sair daqui, uma pena chegar a esse ponto.

  55. Acredito, vejo, leio, conheço que o Rio de Janeiro não é sozinho uma das cidades mais violentas do Brasil, concordo plenamente que temos muito o que melhorar, fazer, no quesito geral do País, não somente o RJ.

    Mas fugindo um pouco dessa polêmica de estado, cidade, bairrismo. De todos os seus argumentos, críticas. O que você faz além de reclamar, criticar? Algum desses seus pontos citados, qual sua medida para resolução? Qual remédio para suas feridas que estão abertas?

    Nosso país, estado, vivem em colapso, por boa parcela de culpa nossa chamada sociedade, que acha que sabe de tudo, critica tudo e não faz nada para mudar, ajudar, compartilhar ou etc…….

    Me desculpa a sinceridade, mas o seu texto é o famoso, mais do mesmo, o dia que esse texto virar uma proposta do tipo “A vida é muito melhor, quando decidimos agir ao invés de reclamar” por favor me mande um email. Eu participarei.

    Forte abraço.

  56. Saudações senhores e senhoras desse mundo chamado web!!!

    Li o artigo e li algumas postagens também. Realmente é lamentável a situação atual do Rio, mas sabemos que isso não surgiu assim “como num passe de MILTON ROBERTO VAZ Foram necessários vários governos e desgovernos para que tudo isso que está aí. O quê dizer de um lugar onde as pessoas se tratam assim “eu moro na zona sul”, fulano é suburbano…” isso já demonstra por si a segregação em que as pessoas se colocam/se classificam aí. Sei que em outros locais também se tem esse tipo de postura, mas no Rio me pareceu algo mais tipo “tu é pobre por que mora na periferia e eu não, pois moro em bairro nobre, zona sul…”
    Isso sim é uma doença que os próprios cariocas construíram. Quem faz um lugar são as pessoas desse lugar, mas o imaginário coletivo no Rio de Janeiro é o pior possível…
    …resultado é essa desestruturação e violência que assola a cidade. Já nem existe mais Estado aí, ta um salve-se quem puder…
    …claro que não tenho a solução para isso aí, mas se cada umas das pessoas começar a mudar seu pensamento e transmitir isso aos outros , assim quem sabe um dia as coisas possam melhorar!!!

  57. Não existe diferença alguma na cidade do Rio para outras como São Paulo , Paraná e até Amapá onde a taxa de homicídio é muito mais alta. A diferença é a visibilidade que o Rio tem na mídia . ( minha opinião é claro )

  58. O modo de violência do Rio talvez seja o que assusta mais. Realmente o poder do tráfico é absurdo e o índice de roubos e furtos é alto.

    Mas, já que falamos de estatísticas, é bom lembrar que o Rio de Janeiro passa longe de estar entre as capitais mais violentas do País: http://exame.abril.com.br/brasil/capitais-mais-violentas-do-brasil/
    É muito mais provável que vc seja vítima de homicídio em outras 22 capitais do que no Rio de Janeiro.

    Meus amigos, o problema não é o carioca ou o Rio de Janeiro isoladamente. O maior problema é o brasileiro e a nossa cultura.

    Se você está acostumado com os EUA, Austrália, NZ ou com os países nórdicos, tenha a certeza de que o Rio de Janeiro não é O Inferno, mas um pedacinho dele! Se você só conhece o Brasil ou a América Latina, fique muito tranquilo. Aqui provavelmente é menos violento do que as outras capitais que você conhece.

    Por fim, uma dica: Se você quer qualidade de vida, saia das capitais. Se você puder.

  59. Vou comentar uma postagem de 2016, pode ser que a opinião da autora tenha mudado, mas duvido. Eu sou carioca. E sei que não existe outra cidade com a topografia mais linda que a do Rio de Janeiro, mar e montanha em perfeito entrosamento. As administrações corruptas fizeram dessa Cidade Maravilhosa – não é apenas um slogan – o caos que ela se tornou, nem a cidade nem sua população nativa tem culpa disso, problemas sociais existem no Brasil, não é privilégio do Rio, até muito piores do que aqui. Quem vem pra cá e não gosta, VAZA! Em sendo verdade que 56% quer sair, a cidade deveria estar vazia, por que não está? É simples responder uma pesquisa: Quer sair do Rio? SIM Vai sair? NÃO. Será que a pesquisa é tendenciosa? Não sei, sei que o Rio de Janeiro continua lindo e continua sendo Rio de Janeiro, Fevereiro e Março…

  60. É a cidade maravilhosa… para o rico, para o turista e para o bandido, principalmente.

  61. Se esses 56% que querem ir embora de fato fossem embora a cidade com certeza ficaria melhor. Principalmente pq desses 56%, uns 30% são de outras estados tentando a vida aqui.

  62. Ah ta. A vida e mto curta p se viver no rio, disse a Paulista. Pqp. E cada uma. Tdo violento mas a Paulista quer falar do Rio. Pq sera? Inveja ta no sangue da maioria dos paulistas, infelizmente. A cidade e maravilhosa sim! Sobrevoa o rio p ver. Mto belo mas violento como varias capitais do Brasil. Nunca vai deixar de ser maravilhosa assim como sampa nunca vai deixar d ser cinzento.

  63. Realmente eu nunca imaginei que um dia diria isso, porque amo esta cidade nasci aqui e vivi aqui na época da ditadura onde tudo funcionava, também. Jamais pensei em dizer isso, mas que tempo maravilhoso onde podíamos andar nas ruas, vir das discotecas de madrugada com os amigos ver o sol nascer no arpoador, tomar café da manhã tudo sem problemas, porém foi também nesta cidade que perdi minha há mãe em um assalto, e cada dia mais vemos desaparecer aquele Rio, hoje o rio de janeiro não continua lindo, só penso em sair daqui com muito pesar mas não quero mais vi de nesta incerteza de não saber se voltamos vi os pra casa. Porém ontem aconteceu algo que me deixou estarrecida, o saque feito na rua senador Pompeu onde fecharam a rua, ao lado da secretaria de segurança, do comando militar do leste e da delegacia, meus amigos fecharam a rua é levaram mercadoria em caminhões, e seus donos sentaram e assistiram e o mais incrível não teve uma autoridade para dar uma satisfação a população.. pode ter violência em outros lugares mas não como aqui, aqui estamos nas mãos dos bandidos e ninguém defende nada …..estou louca para poder sair desta cidade que amo, mas não é porque amamos que não iremos reconhecer que não temos mais condições de ficar. É o pior não vejo uma luz no finall do túnel, pois se a população for convocada para protestar ninguém aparece, só se for para o bloco do bola preta ou o da preta Gil aí todo mundo vai. Tudo isso é lamentável.

  64. O mais triste é que, a autora e que faz a crítica vem de São Paulo, uma cidade (e estado) em que os problemas citados acima são igual ou piores, pois o todos esses problemas existem em todo país, sobretudo em São Paulo por ser maior e haver mais habitantes e consequentemente mais violência, corrupção e etc. A única diferença é que não existe o “glamour melancólico” que há no Rio, por ser uma cidade cinza e com razão e conhecida como selva de pedra por razões óbvias, por isso não existe um carioca que vive na cidade “decadente” queira mudar para São Paulo, diferente da autora. Não há nada que atraia gente pra lá a não ser dinheiro, e o mesmo motivo não sendo o suficiente fazendo as pessoas voltarem pra cidade de origem, porque o dia a dia não vale a pena todo o dinheiro do mundo. Uma pena que a vida não sorriu pra você, Mariliz, um dia vinga! Boa sorte

  65. Sou carioca e não moro mais no Rio, assim como já morei em Sampa e não gostaria de morar novamente, as grandes cidades do Brasil estão um caos, e ser mais seguro que o Rio, não é vantagem alguma. Ia sempre a capital e era seguro demais lá e vai olhar hoje. Até o RS que a região de “primeiro mundo” no Brasil está marcado pela violência. Nao sei se é mais triste ver um carioca que não enxerga que o Rio não é mais a cidade maravilhosa, um Paulistano que acha que ser menos violenta que o Rio é vantagem (fora a poluição) ou mesmo o Brasileiro em geral, que não enxerga que a violência aumentou no Brasil inteiro (sim no Rio está pior, mas isso é alguma vantagem?).

    Quer uma cidade segura? Procure em outro país… Ahhh, mas esqueci que SP é menos violento que o Rio, então tá bom…

  66. Brasil tem 19 cidades entre as 50 mais violentas do mundo

    https://www.cartacapital.com.br/sociedade/brasil-tem-19-cidades-entre-as-50-mais-violentas-do-mundo

    Na décima posição no ranking, Natal é a cidade mais violenta do País, com 69,56 homicídios por 100 mil habitantes. O município é seguido por Belém e Aracaju.

    A lista inclui ainda Feira de Santana (15º), Vitória da Conquista (16º), Campos dos Goytacazes (19º), Salvador (20º), Maceió (25º), Recife (28º), João Pessoa (29º), São Luís (33º), Fortaleza (35º), Teresina (38º), Cuiabá (39º), Goiânia (42º), Macapá (45º), Manaus (46º), Vitória (47º) e Curitiba (49º).

  67. Falou a ex moradora da cidade de onde vem a maior facção criminosa do país. O Rio tem seus problemas, todos estes que mencionou, e outros que você ainda não teve tempo de perceber. Agora considerar São Paulo uma alternativa a estes problemas, é sofrer da mesma cegueira imputada aos cariocas. Boa parte desses problemas apontados também ocorrem por lá, de onde vem aliás a maior facção criminosa do país, o PCC.

  68. Os dados são de 2015, não encontrei os novos, mas dá pra ter uma idéia. Este é o ranking das taxas de homicícios, Rio e SP estão entre as capitais mais seguras. SP é a mais segura, e o Rio é a quinta mais segura, de um universo de 27 capitais.

    http://g1.globo.com/politica/noticia/2015/09/capitais-registram-um-assassinato-cada-meia-hora-no-pais-revela-estudo.html

  69. Esta colunista tem razão em alguns argumento, mas é um texto carregado de rancor disfarçado por fatos A vida é realmente muito curta para alimentar este sentimento.

  70. E então o que falar de Porto Alegre?o caminho da puc rio passa pelo leblon..gávea..porto alegre pelo arroio cheio de ratões..fedidos..assaltos,.ah por favor.o gaúcho se vende como o melhor, mas aqui os índices de homicídio estão bem piores. e ainda nao tem praia

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos marcados com asterisco são obrigatórios. *

*