Dama dos palcos e das telas, Marieta Severo chega aos 70

Marieta como Dona Nenê, de A Grande Família, seu personagem mais popular

Marieta como Dona Nenê, de A Grande Família, sua personagem mais popular

Maya Santana

Dia desses, andando pelas ruas do Rio, vi Marieta Severo na calçada, à minha frente. Caminhava devagar, conversando com uma amiga. Sua figura mignon chamava a atenção pela elegância simples, discreta, como é a própria atriz, entrando agora em sua sétima década de vida. Ainda me lembro dela, bem jovem, em O Sheik de Agadir (1966), novela exibida pela TV Globo há exatos 50 anos. Hoje, aos 70, Dona Nenê – personagem que interpreta em A Grande Família e que a consagrou junto ao grande público – ela segue ativa, muito ocupada, trabalhando na televisão, no cno teatro e no cinema.

Leia esse breve histórico da longa carreira de Marieta Severo:

Em 1966, a filha de um desembargador, que sonhava ser bailarina mas se tornou atriz, integrou o elenco de uma novela na ainda incipiente TV brasileira – na Globo, que engatinhava. As novelas eram dramalhões mexicanos, só depois iam adquirir cara e formato nacionais. O Sheik de Agadir, de Glória Magadan, foi um grande sucesso na época. Uma jovem atriz fazia uma delicada princesa árabe. Seu nome – Éden. Na trama, ocorriam misteriosos assassinatos, atribuídos ao ‘Rato’. Surpresa no desfecho – o Rato era ninguém menos que Éden.

Marieta da Costa Severo deve rir lembrando-se disso. Um ano antes, em 1965, estreou no cinema em Society em Baby Doll, longa do diretor de teatro (e guru da contracultura) Luiz Carlos Maciel. E ainda em 1966 teve direito a um pequeno papel em Todas as Mulheres do Mundo, de Domingos de Oliveira, com direito a citação e tudo de O Sheik de Agadir. Desde então, tem sido uma trajetória e tanto de Marieta Severo – no teatro, cinema e TV. Nesta quarta, 2, ela completa 70 anos, mas só foi registrada no dia 3, porque o pai não queria saber de comemoração no Dia dois Mortos.

Leia também:
Mais do que rugas, eu me preocupo com a minha cabeça

Nasceu no Rio, foi casada com o compositor Chico Buarque de Hollanda, com quem teve três filhas (Helena, Luísa e Sílvia) e, desde 2004, namora o diretor (de teatro) Aderbal Freire Filho. Em 2002, recebeu o Troféu Oscarito em Gramado. Em 2005, com a amiga Andrea Beltrão, fundou o Teatro Poeira, no Rio. Para o público, será sempre – eternamente! – a Nenê de A Grande Família. Mas ela fez tanta coisa, e boa, que vale lembrar um pouco dessa carreira excepcional. Clique aqui para ler mais.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos marcados com asterisco são obrigatórios. *

*