90% das mulheres afetadas pela fibromialgia têm de 35 a 50 anos

Dor, cansaço, falta de energia e disposição para realizar atividades rotineiras são os principais sintomas da fibromiagia

Maya Santana, 50emais

Se você quer saber mais sobre a fibromialgia, doença que se caracteriza pela dor crônica, precisa ler esta entrevista feita pelo Dr. Dráuzio Varella com Dra. Lin Tchie Yeng, médica fisiatra, que trabalha no Grupo de Dor do Serviço de Ortopedia do Hospital das Clínicas de São Paulo. Segundo ela, a doença está relacionada ao sistema nervoso e “acomete de 7% a 9% da população, especialmente as mulheres na faixa dos 35 aos 50 anos, mas pode também aparecer na adolescência.”

Leia:

fibromialgia, doença identificada apenas nas últimas décadas, caracteriza-se por dor crônica que migra pelo corpo e manifesta-se predominantemente em um de seus lados, embora o outro também seja sensível.A principal característica da fibromialgia é a dor crônica, que começa em um determinado ponto e se irradia pelo corpo. Em 90% dos casos a doença atinge mulheres de 35 a 50 anos e está relacionada ao sistema nervoso. Uma das medidas utilizadas para aliviar as dores é a prática regular de atividade física.

São nove os pontos fundamentais de cada lado em que a dor pode instalar-se:

1) na região subocciptal (atrás da cabeça);

2) no músculo trapézio (em cima do ombro e nas costas);

3) na região supraespinal;

4) na altura das vértebras cervicais;

5) na articulação condrocostal, onde a segunda costela se insere no osso esterno;

6) no joelho, especialmente na parte de trás do joelho;

7) no trocanter, área onde o fêmur se encaixa na bacia;

8) na região glútea;

9) do lado do cotovelo.

Em 90% dos casos, a doença atinge as mulheres, o que de certa forma confundiu o diagnóstico, uma vez que, por machismo, atribuía-se a dor à somatização de possíveis problemas psicológicos. Hoje, sabe-se que a fibromialgia é uma doença relacionada com o funcionamento do sistema nervoso central e o mecanismo de supressão da dor. Além da dor, ela provoca outros sintomas como fadiga, falta de disposição e alterações do sono.

CARACTERÍSTICAS E FREQUÊNCIA DA DOENÇA

Drauzio – A fibromialgia é uma doença muito frequente?

Lin Tchie Yeng – Estudos internacionais sugerem que a fibromialgia acomete de 7% a 9% da população, especialmente as mulheres na faixa dos 35 aos 50 anos, mas pode também aparecer na adolescência.

Drauzio – Quais são as principais características dessa dor e quanto ela interfere na rotina diária dos pacientes?

Lin Tchie Yeng – Dor, cansaço, falta de energia e disposição para realizar atividades rotineiras são os principais sintomas. Muitos pacientes se referem, também, à cefaleia (dor de cabeça), funcionamento inadequado do intestino (cólon irritável), sensibilidade durante a micção (síndrome da bexiga irritável) e ao sono pouco reparador, o que faz as pessoas já levantarem cansadas.

IMPORTÂNCIA DO DIAGNÓSTICO

Drauzio – Existem nove pontos em cada lado do corpo em que a dor pode instalar-se. Como isso ocorre?

Lin Tchie Yeng – Normalmente, a dor da fibromialgia aparece num ponto determinado. A pessoa se queixa, por exemplo, de dor no braço e o médico suspeita de tendinite ou LER (lesões por esforços repetitivos). No outro dia, ela reaparece no ombro ou nas regiões lombar e cervical. É uma dor migratória que, na ausência de diagnóstico e tratamento adequado, pode espalhar-se por todo o corpo.

Drauzio – Você poderia explicar o que é LER?

Lin Tchie Yeng – LER (lesões por esforços repetitivos), ou DOT (distúrbios osseomusculares relacionados ao trabalho), é uma doença bastante comum atualmente. Estima-se que, em São Paulo, de 5% a 8% dos trabalhadores apresentem dor no braço ou na região cervical como consequência de suas atividades profissionais. No Hospital das Clínicas, mais ou menos 30% das pessoas com tendinite provocada pela repetição contínua de certos movimentos, sofrem também de fibromialgia e isso causa diagnósticos e tratamentos equivocados.

Não se sabe ainda explicar, porém, se a falta de tratamento adequado faz com que essa dor de início localizada se irradie por todo o corpo. O que se sabe é que nessas pessoas o sistema supressor da dor, que coordena a relação entre dor e analgesia, não funciona direito.

DOR TÍPICA DA FIBROMIALGIA

Drauzio – Quando você atende um paciente que se queixa de dor no braço ou nas costas que persiste por alguns dias quando escreve no computador por mais tempo, o que a faz suspeitar de que esse sintoma não seja resultado da má postura e da repetição dos movimentos, mas indique um processo de fibromialgia em desenvolvimento?

Lin Tchie Yeng – Sabe-se que 70% a 80% das pessoas já sentiram, em algum momento, dor nas costas. Essas dores, no entanto, são benignas e costumam melhorar espontaneamente, sem tratamento. As dores da fibromialgia duram pelo menos três meses e, em geral, não apresentam resposta satisfatória aos tratamentos clássicos com analgésicos, anti-inflamatórios e fisioterapia. Por isso, quando a dor for crônica, é importante procurar um especialista para diagnóstico preciso e indicação de tratamento adequado.

Drauzio – Você acha que talvez muitos médicos ainda menosprezem esse tipo de quadro de dor migratória e generalizada?

Lin Tchie Yeng – Nos Estados Unidos, até aproximadamente quatro anos atrás, apenas 25% dos profissionais reconheciam a existência de fibromialgia. No Brasil, a tendência maior tem sido atribuir a causa dessa dor a fatores de ordem psicológica ou familiar. Assim, é comum receber pacientes tratados sem sucesso durante cinco ou seis anos e aos quais foi indicado consultar um psicólogo ou psiquiatra. Clique aqui para ler mais.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos marcados com asterisco são obrigatórios. *

*