Aos 55, pesa 130 kg. Você acha que ela pode ser ministra da Saúde?

Maggie de Block, 55, casada, dois filhos, é ministra da Saúde da Bélgica

Maggie de Block, 55, casada, dois filhos, é ministra da Saúde da Bélgica

Eu tomei conhecimento da existência de Maggie de Block ontem, quando troquei o canal que estava assistindo pela TV5, francesa. A apresentadora entrevistava uma senhora obesa. Embaixo, na legenda, vinha escrito: ministra da Saúde. Como o programa logo chegou ao fim, não consegui saber de que país era. Foi pesquisando na internet que cheguei até ela. Maggie de Block, ministra da Saúde da Bélgica, completou 55 anos nesta sexta-feira, 28 de abril. Ela pesa 130 quilos.

Uma das figuras mais populares do governo belga – chegou a ser cogitada para o cargo de primeira-ministra -, ela ganhou fama de muito dura quando era ministra da Imigração. Em outubro de 2014, ganhou a pasta da saúde. Desde então, é criticada por uma parcela da população, que acusa Maggie de não dar exemplo, num país onde a obesidade é um grande problema, pois quase metade de seus habitantes está acima do peso.

A ministra faz a festa dos cartunistas. Houve até uma exposição dedicada às caricaturas dela publicadas pela imprensa

A ministra faz a festa dos cartunistas. Houve até uma exposição dedicada às caricaturas dela publicadas pela imprensa

Mas Maggie de Block tem credenciais para desempenhar bem o cargo. É formada em medicina e, segundo seus colegas de trabalho no governo, conhece como ninguém as questões de saúde da Bélgica, pois trabalhou durante 25 anos como médica no serviço de saúde pública belga.

Veja a ministra neste vídeo, durante uma viagem de avião, quando é questionada por um passageiro se ela não deveria dar o exemplo. Entre outras coisas, ela diz que é muito difícil emagrecer e que muito pouco do seu peso tem a ver com alimentação. Infelizmente, as legendas são em inglês. Mas as imagens dão uma melhor ideia de como a ministra é:

Ouvida por Thamires Andrade, do Uol, que escreveu sobre o caso da ministra Maggie de Block, a psicóloga especialista em transtornos alimentares e obesidade Sabrina Gonzalez explica que os obesos enfrentam esse tipo de julgamento, pois são vistos como desleixados e sem força de vontade. “A sociedade acredita que só é obeso quem quer, não vê a obesidade como uma doença que é causada por um conjunto de fatores, não só por comer demais”, diz ela.

Outro pensamento do senso comum é que os obesos se alimentam mal e não cuidam da saúde, quando pode ser exatamente o contrário. “Tem gente que simplesmente não consegue emagrecer. Nem sempre só a força de vontade basta, pois existem inúmeras questões associadas à obesidade, inclusive problemas metabólicos que dificultam o emagrecimento”, explica a psicóloga.

Sabrina diz ainda que, como a sociedade acredita que só é obeso quem quer, as pessoas se sentem confortáveis para tecer críticas e discriminar quem está acima do peso. “Como se o fato de ser obeso apagasse outras qualidade e aptidões que a pessoa tem.”

É exatamente este o argumento da ministra. Logo depois que foi nomeada e começou a polêmica, ela rebateu: “Nos próximos 5 anos, vocês terão a oportunidade de julgar o que terei feito. Mas (o julgamento) não pode ter essa base (o físico dela). Isso eu não aceito.”

O que você, que acaba de ler esse artigo, acha desse caso da ministra da Saúde belga?

Compartilhe este postShare on FacebookShare on Google+Share on LinkedInTweet about this on TwitterEmail this to someone

Um comentário

  1. Profissionais médicos têm uma posição de linha de frente para mudar o viés contra as pessoas com excesso de peso e devem certificar-se de que os pacientes compreendem os muitos fatores que contribuem para o excesso de peso, incluindo a genética, química alimentar e a biologia da saciedade. Em seguida, mudar a conversa de perda de peso para comportamentos de saúde que os pacientes podem melhorar, independentemente do peso corporal.

    Os médicos e demais profissionais da saúde são seres humanos em primeiro lugar e estão sujeitos às mesmas doenças que o resto da sociedade. É um problema incrivelmente difícil e um desafio

    Talvez seja o momento ideal, na Bélgica, com sua ministra da saúde com problemas de obesidade, fazer chegar um esclarecimento massivo sobre o quão complexo é a obesidade – que não é apenas comer muito.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos marcados com asterisco são obrigatórios. *

*