Aos 70 anos, Wanderléia dá show em musical sobre os anos 60

A cantora está no musical “60! Década de Arromba – Doc. Musical”, em cartaz em São Paulo

A cantora está no musical “60! Década de Arromba – Doc. Musical”, em cartaz em São Paulo

Maya Santana, 50emais

Qualquer que seja a manifestação artística sobre a década de 60, os anos da minha adolescência, tem forte apelo sobre mim. Lamento não ter visto o musical estrelado por Wanderléia, “60! Década de Arromba – Doc. Musical”, quando esteve em cartaz no Rio. As críticas são as melhores possíveis. Wanderléia, impressionantemente bem aos 70 anos, mostra todos os seus dotes artísticos neste primeiro musical do qual participa. Tomara que ela ainda tenha uma longa vida de sucesso, porque é uma artista digna de admiração. Incrível que outra estrela daquele tempo, Jerry Adriani, tenha ido embora tão cedo, pouco depois de ter completado 70 anos. Assim como Wanderléia, ele era um dos mais jovens integrantes da Jovem Guarda. O espetáculo que conta a história musical da turbulenta década de 60 agora está em cartaz em São Paulo, como informa este artigo do Uol.

Leia:

A cantora Wanderléa celebra seus 70 anos de vida com uma verdadeira volta no tempo. Ela é a protagonista do espetáculo “60! Década de Arromba – Doc. Musical”, em cartaz no Theatro Net São Paulo até 28 de maio, após temporada de sucesso no Rio.

Na obra, a musa da jovem guarda revive sua juventude e ainda a revolução sexual que marcou os anos 1960, com direito a muito rock’n’roll, da qual fez parte com suas pioneiras minissaias.

Mas o musical não se restringe a um gênero só, trazendo composições diversas que marcaram a década, que vão de Roberto e Erasmo Carlos a Tom Jobim e Vinicius de Moraes, passando por Elvis Presley, Beatles, Tony e Celly Campello, Edith Piaf, Milton Nascimento, Gilberto Gil e Caetano Veloso, Maysa e Geraldo Vandré, entre outros.

É a primeira vez que Wanderléia participa de um musical

É a primeira vez que Wanderléia participa de um musical

“Descobri durante o processo da peça que estávamos fazendo um documentário musical, em que cantamos toda a história sem utilizar personagens reais. A única personagem que trazemos para a cena é a Wanderléa, interpretando ela mesma. Um luxo”, afirma o diretor Frederico Reder.

Emoção
A eterna Ternurinha protagoniza pela primeira vez um musical. “Fiquei muito emocionada em receber esta homenagem justamente quando a Jovem Guarda completa 50 anos. Nunca havia imaginado integrar um grande musical”, confessa a cantora que admite ter participado da revolução jovem dos anos 1960.

A superprodução contou com pesquisa farta do dramaturgo Marcos Nauer e traz 24 atores e uma orquestra de 10 músicos. Pelo palco passam 20 cenários que pesam 10 toneladas. São utilizados mais de 300 figurinos.

As sessões são às quintas e sextas-feiras, às 20h30; aos sábados, às 17h e às 21h; e aos domingos, às 17h, com ingressos de R$ 40 a R$ 200. O Theatro Net São Paulo fica dentro do shopping Vila Olímpia, próximo à CPTM Vila Olímpia, em São Paulo.

As canções vão desde “Banho de Lua” a “Beijinho Doce”, de “Yellow Submarine” a “Pra Não Dizer Que Não Falei das Flores” e, claro, “Pare o Casamento”. Pelo jeito, nostalgia não falta.

Compartilhe este postShare on FacebookShare on Google+Share on LinkedInTweet about this on TwitterEmail this to someone

Um comentário

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos marcados com asterisco são obrigatórios. *

*