Depois dos 50, é preciso tomar a vacina contra o herpes-zóster

Também conhecido como “cobreiro”, o herpes-zóster provoca dores lancinantes

Maya Santana, 50emais

Este artigo, escrito por Juliana Conte para o site do Dr. Dráuzio Varella, fala da importância de pessoas com mais de 50 anos serem vacinadas contra o herpes-zóster, uma doença que provoca dor intensa e, se não tratada a tempo, pode levar à morte. Menciono novamente o caso da minha irmã, 66 anos, que teve esse tipo de herpes e por pouco não morreu. Os médicos demoraram a fazer o diagnóstico. A doença evoluiu para encefalite herpética. Ela ficou oito dias internada. Eelizmente, está bem. É preciso ficar atento: ao primeiro sinal, vá ao médico. A única maneira de se proteger contra a doença é tomar a vacina, que não está disponível nos postos de saúde do SUS, apenas em clínicas e laboratórios particulares. O preço, em São Paulo, está em torno dos 450 reais.

Leia o artigo:

Poucos sabem, mas existe uma vacina disponível no mercado que previne o herpes-zóster (cobreiro), uma doença que vai acometer uma a cada três pessoas ao longo da vida. Na prática, qualquer indivíduo que teve catapora ou contato com o seu causador, o vírus varicela zóster, pode em algum momento ter herpes zóster. Mas como o tempo de incubação é longo, mais de 60% dos casos ocorrem após os 50 anos, por isso a indicação da vacina é para pessoas a partir desta faixa etária.

O grande problema do herpes é que ele pode causar aos portadores dor intensa, que muitas vezes impossibilita movimentos simples, como vestir uma peça de roupa, deitar na cama ou até mesmo se mexer. Denominada nevralgia, essa dor pode durar de três semanas a seis meses dependendo do paciente, e exige prescrição de remédios potentes para ser atenuada. A enfermidade provoca lesões avermelhadas num único lado do corpo e pode atingir diferentes locais, como perna, coxa ou cabeça.

Aprovada pela Anvisa no ano passado, a vacina pode ser administrada mesmo que o paciente já tenha tido um episódio de herpes na vida. Segundo Eliane Tiemi Iokote, infectologista do Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo, é importante o paciente considerar ser vacinado, principalmente se ele possui mais de 50 anos, quando o risco de infecção é elevado. “Mesmo que a doença já tenha aparecido, vale a pena tomar a vacina, pois ajuda a reduzir a dor aguda ou crônica que costuma vir associada ao herpes.” Apesar dos benefícios, o grande entrave da vacina é o preço (ela não faz parte do calendário do SUS). Nas clínicas de São Paulo, o custo está em aproximadamente R$450.

Como toda vacina, as contraindicações são específicas. Nesse caso, os pacientes que fazem uso frequente de corticoides devem perguntar ao médico antes se podem ser imunizados ou não. Além disso, aqueles com imunidade baixa e gestantes não devem tomá-la.

Importante lembrar que existem oito vírus diferentes da família Herpes que podem causar doença em humanos. Os Herpes tipo 1 (herpes oral), 2 (herpes genital) e 3 (herpes-zóster) provocam quadros semelhantes de lesões de pele que podem reaparecer após um período variável de ausência de sintomas. A vacina é somente para o tipo 3.

Um comentário

  1. Joceli aparecida botges buyno

    Minha neta teve herpes zoster aos 11 anos é horrível a ferida que faz na pele

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos marcados com asterisco são obrigatórios. *

*