Depois dos 60 anos, não se faz sexo pelo prazer do momento

Depois dos 60 anos, os olhos querem, trocam, mas já compreendem que a sedução é mais do que o ato em si

Depois dos 60 anos, os olhos querem, trocam, mas já compreendem que a sedução é mais do que o ato em si

Déa Januzzi –

Por um momento nossos olhos se cruzaram. Um único instante, depois de tantos anos de acusações, de farpas, de culpas engasgadas na garganta. Por um momento nossos olhos se cruzaram sem a presença de outras pessoas para vigiar, disciplinar, julgar. Nossos olhos se cruzaram por um rápido instante e quase se engoliram. Nossos olhos fizeram sexo como se ainda fôssemos jovens. Mas se desviaram a tempo, porque não há mais chance para os olhos do passado.

Depois dos 60 anos, não se faz sexo pelo prazer do momento nem pelo tesão descontrolado dos hormônios, porque há muito eles se foram. Depois dos 60, o sexo vira amor e os olhos querem mais do que fúria. Querem calmaria. Depois dos 60, os olhos querem delicadeza, ternura, compartilhamento. Os olhos não se enganam mais, sabem vasculhar a alma, enxergam os erros, veem as consequências dos atos tresloucados do sexo sem cumplicidade.

Depois dos 60 anos, os olhos querem, trocam, mas já compreendem que a sedução é mais do que o ato em si. Os olhos querem ser abraçados, tocados, compreendidos em sua vastidão, em toda a sua profundeza. Não há mais tempo do sexo fugaz que pode pesar a vida da mulher. Depois de tudo, ela vai carregar um filho no ventre e nas costas por toda uma vida. O filho é a parte saudável e não pesa tanto quanto o momento de prazer sem compromisso. Afinal, o filho é a prova de que por um instante os pais se amaram. Ou fizeram sexo com paixão.

Mas depois dos 60 anos, os olhos não se enganam mais, estão acostumados com a falta de compromisso e de compaixão do outro, com o amanhã da solidão, com o anteontem das separações, brigas e falta de amadurecimento para ser pai e mãe de verdade.

Tenho amigas que descobriram o beijo na boca depois dos 60– e chegaram às nuvens. Nesta nova fase da vida, sexo tem que fazer cafuné na alma. E sabem onde fica o Ponto G dessas mulheres? Fica no coração, que tem de ser tocado com maestria, talento e competência, como se fosse uma música de Vivaldi, de preferência uma das Quatro Estações. As preliminares depois dos 60 podem durar a noite inteira, até acordar em gozo, gemendo de amor.

Por um momento nossos olhos se cruzaram e se reconheceram. Os olhos se lembraram das tentativas, do projeto de formar uma família, de viver junto, de construir uma vida em comum. Por um momento, os olhos se lembraram da primeira vez, da emoção de ter um corpo dentro do outro. Das lágrimas derramadas pela primeira e ardente vez. Da paixão que fulminou a razão.

Mas os olhos não mentem e se desviam rapidamente, sem outra chance. Os olhos se lembram de que foram aqueles mesmos olhares que seduziram uma mulher de 20 anos, que foi abandonada, sem gentileza, sem escrúpulo, sem resposta para toda a vida. Que foi degredada e teve que aprender sozinha a criar filho, mas com o apoio de outras mães sozinhas, de uma rede de solidariedade feminina.

Depois dos 60 anos, os olhos compreendem que é melhor não cair em tentação. E que é hora do adeus. Os olhos se cruzaram, se desviaram e se despediram.

19 comentários

  1. Coisas que desejamos falar…verdade de vida. Gostaria de enviar para algumas pessoas amigas. Muito bom!

  2. Que vida triste esta, muitas palavras, lembranças, desculpas e muita solidão, a vida é hoje… sem desculpas ou culpas… as vida não acaba nos 50 ou nos 60 anos, a vida é aquilo que fazemos ou acreditamos…

  3. oi, Roberto que não tem nem sobrenome, minha vida não é triste, mas fica melancólica quando encontra pessoas como você. Quem é você, cara, que nem se identifica. Dê as caras, Roberto, diga quem você é e a que veio em vez de deixar comentários como esse.

  4. PARABÉNS PELA DELICADEZA NA ABORDAGEM DESTE TEMA AINDA TÃO ESTIGMATIZADO, INCLUSIVE POR MUITAS MULHERES…..

  5. Que lindo!….você, com sua maestria nas palavras e na escrita, disse tudo o que minha alma sente….obrigada!

  6. amei amateria tocou meus sentimentos meu coraçao.

  7. O que dizer, PERFEITO!

  8. Viver hoje intensamente, pois não sei o dia de amanhã,
    BOM DIA

  9. Fantástico.é assim que nós mulheres nos sentimos,pena que os homens são tão egoistas e irracionais que jamais sentirão o amor assim e a gente morre na solidão.

  10. Ah, as mulheres entenderam direitinho. E para agradecer, publico aqui o comentário da designer Mary Arantes, que além de fazer coisas maravilhosas para enfeitar cabeças, pescoços, mãos e braços das mulheres escreve lindamente: “Querida Déa, ano que vem farei 60, mas meu olhar sempre foi ancião, com ele bebo o Moreco inteiro, com ele, procuro a cada dia, nele, o moço que amarei. O sexo, passa sim a não ser o fundamental numa relação, e o embasamento quando sólido, passa a ter outros tipos de gozo. Vindo esta semana do caminho do aeroporto, Moreco lembrou do meu amor por jabuticabas, e comprou uma sacolinha pra mim. Foi como se tivesse me dado, um cartão dizendo que me amava, é que as palavras e as letras, vêm também, depois dos 60, escritas em outras grafias…”. Impecável o texto dela, vocês não acham?

  11. Realmente esse texto é lindo. Agradeço a DEUS pelos meus 60 anos. Vivo intensamente um amor, tive sorte!

  12. A CADA DIA ESTOU AMANDO A MINHA IDADE,ISTO, DEPOIS QUE ESTOU TE SEGUINDO BJS

  13. ‘Depois dos 60 anos, não se faz sexo pelo prazer do momento nem pelo tesão descontrolado dos hormônios, porque há muito eles se foram”.
    Foi esta frase que meu ginecologista me disse esta manhã, (com outras palavras claro) é o momento de novos desafios, novas descobertas,mais tolerância conosco, um novo aprendizado, com mais calma, com mais diálogo entre os casais, afinal agora é só deitar e rolar.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos marcados com asterisco são obrigatórios. *

*