Fevereiros: documentário mostra toda religiosidade de Bethânia

Maria Bethânia, 72, homenageada da Mangueira – carnaval de 2016

Maya Santana, 50emais

Quem gosta de Maria Bethânia e quiser saber mais sobre a religiosidade da cantora de Santo Amaro da Purificação, na Bahia, não pode perder Fevereiros, documentário dirigido por Marcio Debellian a partir da participação dela no desfile da Mangueira Estação Primeira, em 2016, quando foi a grande homenageada da escola, campeã naquele ano.

Dois pontos do filme, lançado em circuito nacional na quinta-feira, 07 de fevereiro, me chamaram a atenção. A gente sabe que Maria Bethânia é mística. Isso permeia todo o trabalho dela. Mas o documentário mostra esse lado da artista baiana com toda a profundidade que a questão religiosa tem na vida dela. Ela passa todo fevereiro na casa da família, na sua Santo Amaro, participando das festas populares. É devota, de carregar andor em procissão, de Santa Bárbara.

Também captou minha atenção o relacionamento bonito que Maria Bethânia tem com os irmãos Caetano e Mabel. Muita afetividade, respeito e admiração é o que sobressai nos comentários que os dois fazem da mais jovem da família. Caetano chega a contar que Mãe Menininha do Gantois(1894-1986) dizia que ele e Bethânia eram uma só pessoa. Quer maior declaração de amor? É um documentário bonito.

Veja o trailer:

Um comentário

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos marcados com asterisco são obrigatórios. *

*