França cria vila para abrigar pessoas com a doença de Alzheimer

O espaço terá árvores e será construído de modo a auxiliar o senso de direção dos residentes, com indicações visuais para auxiliar a memória

Maya Santana, 50emais

A pioneira foi a Holanda, que construiu há poucos anos uma vila para abrigar pessoas com a doença de Alzheimer. Agora, é a França que adota a ideia de recolher portadores desse tipo de demência em um espaço que oferece tudo: lojas, supermercado, centro de saúde, cabeleireiro e biblioteca, porque o objetivo é deixar os doentes o mais independentes possível. Este é o primeiro projeto do gênero na França e, inicialmente, vai atender a 120 pessoas.

Leia o artigo publicado pela Época Negócios:

A França anunciou neste mês a construção de uma vila para receber pessoas que vivem com Alzheimer. Doença incurável, o Alzheimer leva à perda de memória e perda de habilidades cognitivas. Segundo o Fórum Econômico Mundial (FEM), o projeto prevê a construção de um espaço em Dax, cidade no sudoeste da França, que contará com supermercado, centro de saúde, cabelereiro e biblioteca. Lá, poderão viver 120 pessoas — além dos médicos, cuidadores, enfermeiros, psicólogos e terapeutas.

A construção do espaço será em Dax, cidade no sudoeste da França

A ideia, segundo o site do projeto, é manter as pessoas que sofrem da doença de Alzheimer o maior tempo possível na vida social — sem avental branco visível, sem uso de medicamentos pesados e apoiadas por uma equipe multidisciplinar de cuidadores e voluntários. A vila será organizada em 4 bairros de 8 casas, cada uma acomodando de 7 a 8 moradores.

Os moradores poderão caminhar pela vila com liberdade e segurança — o espaço será construído de modo a auxiliar o senso de direção dos residentes, com indicações visuais para auxiliar a memória. O escritório dinamarquês Nord Architects, que desenhou o projeto, se inspirou em fortificações medievais localizada em Landes, na França, segundo FEM.

O projeto da França não é o primeiro a focar na construção de locais para pessoas com demência. Hogeweyk, centro de cuidados em Amsterdã Holanda, é considerado a primeira vila com esta finalidade. Lá, os moradores vivem em casas compartilhadas de acordo com suas origens e interesses e podem ajudar a cozinhar, limpar e fazer suas próprias compras.

Área bonita da qual os moradores poderão desfrutar

Os defensores dessa nova maneira de cuidar dos portadores de demência dizem que os pacientes são mais ativos e sociáveis ​​e necessitam de menos medicamentos do que aqueles que moram em instituições de atendimento a idosos. Na nova vila da França, uma equipe de pesquisadores vai viver próximo aos residentes, conduzindo um estudo que vai comparar qual impacto o espaço terá na qualidade de vida dos pacientes .

A expectativa é abrir a vila em 2019. Segundo o FEM, a construção custará US$ 33,4 milhões e será financiada, em grande parte, pelo governo francês.

A demência é considerada um dos maiores desafios da saúde global no século 21. Segundo a Organização Mundial da Saúde, em relatório divulgado em dezembro de 2017, cerca de 50 milhões de pessoas no mundo sofrem de demência. Por ano, são dez milhões de casos novos. O Alzheimer é o tipo de demência mais comum, representando até 70% dos casos totais. De acordo com a OMS, os custos totais para lidar com a doença superam US$ 818 bilhões por ano.

Um comentário

  1. Néder Gomes dos Santos

    Prezados Senhores,

    Belo exemplo de um país sério, que se preocupa com aqueles que contribuiram com impostos, durante sua vida ativa. Espero que num breve tempo, nosso país se enquadre nessa lista e tenhamos meios eficazes de cuidar de nossos enfermos, especialmente os idosos. Tenho um irmão com alzheimer e sei bem o que é esta doença. Que o Senhor Deus ajude o povo brasileiro a mudar esse quadro, votando corretamente e tirando da política todos esses corruptos, que só pensam em si, tornando nosso país uma vergonha: sem saúde, sem educação, sem segurança.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos marcados com asterisco são obrigatórios. *

*