Guia de 1950 dá 18 dicas para mulheres serem “boas esposas”

Primeiro "conselho": Tenha o jantar sempre pronto. Planeje com antecedência. Esta é uma maneira de deixá-lo saber que se importa com ele e com sua necessidades

Primeiro “conselho”: Tenha o jantar sempre pronto. Planeje com antecedência. Esta é uma maneira de deixá-lo saber que se importa com ele e com sua necessidades

Maya Santana, 50emais

Em 1950, eu ainda não era nem nascida. Início da primeira década depois do fim da Segunda Guerra Mundial. Getúlio Vargas preparava-se para voltar ao poder. A população do Brasil não chegava a 52 milhões de habitantes. Asa Branca, música de Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira, era a música tocada nas rádios. E o Rio de Janeiro, então capital do país, estava no auge. A televisão nem havia chegado de fato ao país.Iria ser inaugurada no final daquele ano. Dou todos esses dados para situar a época em que circula no Brasil a Housekeeping Monthly, revista de prendas domésticas, com título em inglês. É esta publicação que traz em suas páginas “O Guia da Boa Esposa”. Antes de ler, tome um copo d’água para não se indignar tanto.

O bom de ler o “Guia”, publicado originalmente no blog awebic.com ,é que ele nos dá a perfeita noção de como os tempos mudaram. E de como o atraso pode levar à escravidão. É logico que precisamos evoluir muito mais do que o estágio em que nos encontramos. Mas, não há dúvida, que caminhamos. E, felizmente, as mentalidades de homens e mulheres continuam mudando.

Décimo-primeiro "conselho": Nunca reclame se ele chegar tarde, sair pra jantar ou outros locais de entretenimento sem você

Décimo-primeiro “conselho”: Nunca reclame se ele chegar tarde, sair pra jantar ou outros locais de entretenimento sem você

Leia os 19 “conselhos” dados pela revista à mulher casada:

1. Tenha o jantar sempre pronto. Planeje com antecedência. Esta é uma maneira de deixá-lo saber que se importa com ele e com sua necessidades.

2. A maioria dos homens estão com fome quando chegam em casa, e esperam por uma boa refeição (especialmente se for seu prato favorito), faz parte da recepção calorosa.

3. Separe 15 minutos para descansar, assim você estará revigorada quando ele chegar. Retoque a maquiagem, ponha uma fita no cabelo e pareça animada.

4. Seja amável e interessante para ele. Seu dia foi chato e pode precisar que o anime e é uma das suas funções fazer isso.

5. Coloque tudo em ordem. Dê uma volta pela parte principal da casa antes do seu marido chegar. Junte os livros escolares, brinquedos, papel, e em seguida, passe um pano sobre as mesas.

6. Durante os meses mais frios você deve preparar e acender uma fogueira para ele relaxar. Seu marido vai sentir que chegou a um lugar de descanso e refúgio. Afinal, providenciando seu conforto, você terá satisfação pessoal.

7. Dedique alguns minutos para lavar as mãos e os rostos das crianças (se eles forem pequenos), pentear os cabelos e, se necessário, trocar de roupa. As crianças são pequenos tesouros e ele gostaria de vê-los assim.

8. Minimize os ruídos. Quando ele chegar desligue a máquina de lavar, secadora ou vácuo. Incentive as crianças a ficarem quietas.

9. Seja feliz em vê-lo. O receba com um sorriso caloroso, mostre sinceridade e desejo em agradá-lo. Ouça-o. Clique aqui para ler mais.

6 comentários

  1. Ao publicar esse manual, se a intenção de provocar, conseguiu: provocou a minha ira.

  2. Me poupe! Mulher a escrava do lar! Era a época! Mas hoje os tempos sao outros,a mulher se arruma por ser da natureza vaidosa nao só para o marido como e principalmente pra si mesma! Graças a Deus!

  3. Achei um texto forte e quanto os homens dependiam ou ainda dependem da gente.
    Ser Mulher é muito fantástico e acredito que mesmo com toda as mudanças essas 19 dicas podem ser adaptadas para o momento atual.
    Amar é uma escolha, não podemos dizer que amamos se não nos preocupamos com o outro, se escolhemos estar unido a alguém e construir uma família porque não perceber o que pode deixar essa união mais harmoniosa? Acredito que não devemos deixar de ser Mulher em todos os sentidos inclusive a do Lar o que não quer dizer submissão, pois não seria mais uma união viraria escravidão.
    Para mim sempre terá as duas forças na natureza(Homem e Mulher) independente da opção sexual.

    • Finalmente alguém de bom senso! Tratar bem a quem se ama não é escravidão, é um prazer e uma opção. No mundo egoísta e hedonista que vivemos, sentir prazer em fazer o outro feliz é encarado como escravidão e dominação. Sou Advogada, tenho meu próprio dinheiro, mas amo fazer bolo todos os dias para meu marido! Me sinto feliz ao vê-lo feliz. Gosto de cuidar dele, de deixar um ambiente calmo e aconchegante para quando ele chegar do trabalho. Ser gentil e amorosa não é sinônimo de submissão, mas de amor. Claro que se eu não estiver bem, não farei e sempre deixei bem claro isso.
      Minha mãe foi casada por 50 anos com meu pai.Lavava as camisas, meias e cuecas dele com sabonete! Nem pensar jogá-las na máquina de lavar! Era de uma elegância no falar e nos modos impressionante. Nunca alterava a voz e nunca discordava de meu pai em público ou na frente dos filhos. Chamava-o para o quarto e lá conversavam. E se estava aborrecida com ele, não discutia nem fazia cara feia. Mergulhava num silêncio sepulcral que o tirava do eixo.
      Resultado? Meu pai a tratava como uma rainha. Mimava e dava-lhe presentes caríssimos e flores sem motivo algum. Aos setenta anos, a presenteava com se fossem recém casados. O casal mais FELIZ que já conheci.

Deixe seu comentário