Onília, amor baiano de Saint Exupéry, autor de O Pequeno Príncipe

Trecho de O Pequeno Príncipe: “Os homens se metem nos trens, mas não sabem para onde vão. Não sabem o que querem nem o que buscar.” Seu autor enamorou-se de Onília, da Península de Maraú, na Bahia

Maya Santana, 50emais

Por ser uma história bonita e pouco conhecida no Brasil, resolvi contá-la aqui: o caso de amor do famoso escritor francês Antoine de Saint Exupéry(1900-1944), autor de um dos livros mais lidos do mundo, O Pequeno Príncipe, com a baiana Onília, da Península de Maraú. Alguém me mandou o vídeo por WhatsApp. Comecei a procurar informações sobre a história. Encontrei no site da Associação Baiana do Mercado Publicitário(abmp.com.br/), ilustrando um artigo do administrador de empresas Sérgio Siqueira:

“Arrumando o baú, achei parte da transcrição da entrevista feita com Onília pela jornalista Liliane Reis, quando estávamos gravando Dom Pepê em Maraú e procurávamos pistas do pouso do escritor Saint Exupéry naquelas paragens. Na península corria o boato que uma mulher nativa chamada Onília tinha tido um romance com o aventureiro escritor e fomos atrás desta história. Para minha surpresa ao chegar na casa simples de Onília encontramos uma cadeira de avião na varanda e para ficar ainda mais intrigante a coisa, antes de começar a entrevista, ela foi lá dentro e voltou com um exemplar do “Pequeno príncipe” em francês, com dedicatória de uma prima do piloto, que também esteve em Campinhos, atrás de rastros do escritor, buscando memórias.”

Veja o trecho da entrevista com Onília:

No artigo, Sérgio explica: “Achei a história tão fantástica e verdadeira que prossegui a pesquisa por um tempo, busquei alguém que tivesse conhecido Onília na época e encontramos um antigo caseiro de uma pensão aonde os franceses comiam e as pistas se tornaram mais reais quando ele falou de Onília : “ Onília era metida, se vestia igual as moças da cidade e não dava bola para os nativos, só queria saber de conversar com os gringos.

Milhões de cópias vendidas

A partir daí levei a história a Tania Gandon, historiadora, e ela ficou bastante impressionada, pois era praticamente uma confirmação de uma de suas teses, aonde ela descreve como contra espionagem os voos de Exupéry pela costa brasileira, incluindo sua passagem pela Bahia.

Em novas pesquisas achamos novos rumores do pouso dele na Península e diz a história ou a lenda, que ele classificou esse pedaço de terra como local precioso para descanso, para grande amores e grandes festas.”

Veja o vídeo sobre a história do escritor, que também era aviador, morto em um acidente de avião, durante a Segunda Guerra Mundial:

Compartilhe!

2 comentários

  1. Raquel Zari Matias da Silveira

    Aqui em Florianópolis temos um campinho no centro da nossa ilha no bairro Campeche onde ele pousava e pernoitava em suas viagens para a Argentina . Antigos moradores já falecidos guardavam alegres lembranças dele por ser uma pessoa alegre e muito simples . Aqui no sul do Brasil em seus pernoites deixou grandes amigos .

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos marcados com asterisco são obrigatórios. *

*