Poema “Sou feita de Retalhos” não é de autoria de Cora Coralina

Cora Coralina, chamada por Carlos Drummond de Andrade de “Diamante goiano cintilando na solidão”

Maya Santana, 50emais

Desde que “Sou Feita de Retalhos” foi postado na página de Cris Pizziment, no Facebook, em 2013, o bonito poema caiu na rede e circula na internet como se fosse de autoria da grande poeta de Goiás Cora Coralina. Eu mesma caí nessa armadilha e publiquei o poema no 50emais como se fosse da lavra do “Diamante goiano”, como Carlos Drummond de Andrade se referiu a Cora Coralina.

Só me dei conta do erro quando uma visitante do blog me perguntou em qual dos livros da poeta encontra-se o poema. Depois de pesquisar muito sem encontrar a resposta, decidi ligar para o Museu Casa de Cora Coralina, na cidade de Goiás – ela morou com a família no local. Uma funcionária pediu que eu enviasse um e-mail com um trecho do Poema.

A autora Cris Pizziment

A resposta do Museu veio logo: Não, “Sou Feita de Retalhos” não é de Cora Coralina. No e-mail, assinado por “Marlene”, o agradecimento: “Muito bom vocês checarem a fonte, para certificar a veracidade dos poemas. Tem saído muita coisa que não é dela na internet.”

Descobri, então, que a verdadeira autora é a paulista Cris Pizziment. A você que veio ao 50emais e leu “Sou Feita de Retalhos” atribuído a Cora Coralina, as minhas mais sinceras desculpas pelo equívoco.

Para quem ainda não leu o poema em questão, aqui está:

“Sou feita de retalhos. Pedacinhos coloridos de cada vida que passa pela minha e que vou costurando na alma. Nem sempre bonitos, nem sempre felizes, mas me acrescentam e me fazem ser quem eu sou.

Em cada encontro, em cada contato, vou ficando maior… Em cada retalho, uma vida, uma lição, um carinho, uma saudade… Que me tornam mais pessoa, mais humana, mais completa.

E penso que é assim mesmo que a vida se faz: de pedaços de outras gentes que vão se tornando parte da gente também. E a melhor parte é que nunca estaremos prontos, finalizados… Haverá sempre um retalho novo para adicionar à alma.

Portanto, obrigada a cada um de vocês, que fazem parte da minha vida e que me permitem engrandecer minha história com os retalhos deixados em mim. Que eu também possa deixar pedacinhos de mim pelos caminhos e que eles possam ser parte das suas histórias.

E que assim, de retalho em retalho, possamos nos tornar, um dia, um imenso bordado de ‘nós’”.

27 comentários

  1. Obrigado Maya pela informacão..

  2. Boa noite Maya,

    Obrigada pelos esclarecimentos. Como boa goiana, sou fã da Cora, mas tenho muito cuidado antes de divulgar algo.
    Que bom que você nos deu “a fonte”. Obrigada!

  3. zenaide pontes monteiro

    obrigada pela informação

  4. Amo os texto da cora carolina, sempre pesquiso antes pra ter certeza e dela mesmo, e foi pesquisa que cheguei aqui, brigadim pela informação

  5. Obrigada por sua atenção em nos esclarecer.!

  6. Muito bom esse trabalho de definir autorias.
    Não se pode tributar a uma grande autora como a Cora, um texto bonitinho de autoajuda.
    O “Diamante Goiano” fazia POESIA; assim, maiúscula.

    • Nossa Tânia! Que feio!! Acredito que Cora, com a sensibilidade e simplicidade que tinha ficaria decepcionada de forma maiúscula com teu respeito tão minúsculo a Cris Pizziment, que aproveito para agradecer pelo lindo poema.

  7. Willams Brandão de Farias

    Elogiável o esclarecimento, nesse espaço cibernético tão pouco confiável. Para completar, com a devida licença, senti falta da indicação da fonte primária em que Cris Pizziment escreveu o trabalho.

  8. Obrigada Maya, pelo esclarecimento. Feliz natal. Bjs

  9. Grato pelo esclarecimento

  10. Maya, obrigada pelo esclarecimento saudável, até mesmo porque dá o devido crédito à autora do poema sem desmerecer, em qualquer momento, a grandiosidade de Cora Coralina. Ruim, MUITO RUIM mesmo, assim, com maiúscula, é ter de ler o comentário grosseiro e infeliz de 28 de novembro passado… Feliz 2018 a todos, que seja um ano de mais brandura !

  11. maria de fatima da costa

    Olá muito bom o esclarecimento ia publicar no trabalho bordado parte do poema resolvi pesquisar descobrir a autora de fato. É isso, muito obrigada a cultura brasileira agradece.

  12. Muito legal, Maya. Existem muitos textos circulando pela web atribuídos a Drummond, Clarisse Lispector, Vinicius de Morais, e por aí vai. Poucos têm a coragem que você teve de reconhecer o equívoco. Isso é respeito ao leitor. Parabéns!

  13. Maria Cristina Rocha Paula Rodrigues

    De quem é a autoria do”Sou feita de retalhos”?

  14. José Pereira da Silva

    Maya Santana, louvável seu esclarecimento, pois desagradável é ser fã de um poeta e ver sua obra ser publicada em nome de outros. Não desmerecendo quem quer que seja, mas vamos dar à César o que é de César! Para isso existe os direitos autorais, e, pessoas como você Maya que vai lá e confere. Parabéns!!!

  15. De quem é a autoria do poema ” eu sou feita vde retalhos”.?
    Conseguiram encontrar.?

  16. Quero deixar registrado que tbm encontrei esta publicação porque recebi o poema é achei estranho. E eis que encontrei esta informação de que não é.
    Legal você ter compartilhado a fonte!

  17. Amo essa poesia pois vejo minha vida escrita neste poema

  18. Amo essa poesia pois vejo minha vida escrita neste poema, lindo,lindo…

  19. Obrigada pelo esclarecimento Maya pelo esclarecimento!

  20. Obrigada pelo esclarecimento Maya!

  21. Obrigada pelo esclarecimento! Também adoro tudo que a maravilhosa Cora Coralina escreveu. Por isso sempre antes de compartilhar algo que não conheço procuro confirmar a autoria,

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos marcados com asterisco são obrigatórios. *

*