Remédio contra calvície criado pela UFMG está sendo exportado

Um total de 5% das mulheres brasileiras sofrem de alopecia, doença responsável pela queda de cabelos

Maya Santana, 50emais

Uma daquelas boas notícias: pesquisadores da Universidade Federal de Minas Gerais(UFMG) encontraram a fórmula de um tônico capilar que está sendo recebido pelo mercado como novo produto obrigatório para pessoas com tendência à calvície. Os resultados do uso do Sanctio, nome comercial do produto, foram tão bons que ele já está sendo exportado para os Estados Unidos. Aqui no Brasil, a fábrica que está produzindo, em Minas, teve que ser ampliada para atender aos pedidos que chegam de todas as partes do país. Os homens são bem mais propensos a sofrer de calvície. Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, 5% das mulheres brasileiras sofrem de alopecia, doença responsável pela queda dos cabelos.

Leia a reportagem de Elian Guimarães, do portal Uai:

Pessoas propensas à calvície ou com queda de cabelo já podem contar com um novo produto que atua diretamente na formação dos fios de cabelo, fortalecendo o folículo capilar e estimulando o crescimento das células que formam cabelo. O tônico capilar é resultado de 30 anos de pesquisas do Instituto de Ciências Biológicas (ICB) da Universidade Federal de Minas Gerais, e foi autorizada a produção em escala industrial pela empresa Yeva Cosméticos, situada em Itaúna, Região Central do estado, que precisou de ampliar suas instalações para atender ao crescente número de pedidos, no Brasil e nos Estados Unidos (ambos com autorização das instituições locais de vigilância sanitária para comercialização do produto).

A empresa trabalha com estimativa de produção e venda mensal de 150 mil unidades. O Sanctio, nome comercial do produto, já está à venda em sites de comércio eletrônico e redes farmacêuticas. Um frasco com 20ml custa entre R$ 130 e R$ 150, e dura em torno de 40 dias. O diferencial é que, durante a fase de testes, o produto não apresentou efeitos colaterais observados em outros medicamentos utilizados para esse objetivo. A patente da fase laboratorial pertence à UFMG, que firmou uma parceria com a indústria de cosméticos. Os royalties das vendas e uso do produto são direcionados à universidade e servem para financiar outras frentes de pesquisa. O início dos estudos foi há 30 anos, por meio do professor Robson dos Santos, que descobriu uma molécula presente no corpo humano e posteriormente capsulada com lipossomas (vesículas muito pequenas capazes de carregar princípios ativos) pelo pesquisador em nanotecnologia Fredeiric Frezzard.

A farmacêutica, professora do Centro Universitário UNA, Ana Paula Corrêa Oliveira Bahia, durante doutorado na UFMG, compôs grupo de pesquisadores que desenvolveu a formulação de lipossomas para uso tópico, a serem aplicados nas camadas da pele: “Os laboratórios dispõem de várias linhas de pesquisa, e nosso grupo passou a estudar a aplicação para crescimento de pelo”. A fase de pesquisa contra a calvície durou quatro anos. Os resultados foram enviados à empresa especializada em testes clínicos, em São Paulo, que selecionou 90 voluntários, registrando o aumento do crescimento dos pelos, mais em homens que em mulheres, sem deixar os cabelos oleosos, sem alteração das características do fio e sem qualquer reação alérgica.

O tratamento tem a duração mínima entre três e quatro meses para apresentar os primeiros resultados, explica a farmacêutica, e não há indicação de faixa etária para ser iniciado. “O importante é que a área onde será aplicado disponha de folículo piloso (ou folículo pilosebáceo), que é a cavidade na qual o cabelo nasce. O folículo morre com o tempo e então torna-se impossível recuperar a área atingida, por isso é importante começar o tratamento aos primeiros sinais de calvície”, alerta.

A formulação é leve, não oleosa, e consiste em um tônico que deve ser pingado durante a noite na região de controle da calvície e deixá-lo secar naturalmente. Ele deve ser de uso contínuo. O líquido atinge a camada mais profunda da pele, sem atingir a corrente sanguínea, nutrindo o fio e fazendo-o crescer. Clique aqui para ler mais.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos marcados com asterisco são obrigatórios. *

*