Arquivos de Tag: déa Januzzi

Precisamos fazer a revolução dos cabelos brancos

Christine Lagarde

Déa Januzzi – Acordei de madrugada com vontade de escrever uma carta a mão, com papel de linho e caneta tinteiro. Caprichei na caligrafia, afinal, tenho letra bonita, redonda, igual à de uma professora primária. Será que hoje é ensino fundamental? Não sei mais, mas vou desenhar as letras, bordar palavra por palavra, porque perdi a medida do tempo, confundi ... Leia Mais »

‘Eu me recorto, me estraçalho, para voltar sempre inteira”

Anoiteci com a síndrome de Frida Khalo.Tingi minha alma de vermelho, apesar de nunca ter mexido com pincéis e tintas

Déa Januzzi Hoje amanheci com a síndrome de Frida Kahlo, com vontade de pintar o mundo ao contrário, com rasgos de vermelho. Comecei procurando entre os guardados uma colcha dessas bem rubras, confeccionada nos tempos em que Amélia, minha mãe, ainda tecia crochê. Era uma colcha para cada filha que ia casar. Depois, uma para cada neto que nascia, como ... Leia Mais »

Depois dos 60 anos, não se faz sexo pelo prazer do momento

Depois dos 60 anos, os olhos querem, trocam, mas já compreendem que a sedução é mais do que o ato em si

Déa Januzzi – Por um momento nossos olhos se cruzaram. Um único instante, depois de tantos anos de acusações, de farpas, de culpas engasgadas na garganta. Por um momento nossos olhos se cruzaram sem a presença de outras pessoas para vigiar, disciplinar, julgar. Nossos olhos se cruzaram por um rápido instante e quase se engoliram. Nossos olhos fizeram sexo como ... Leia Mais »

Para quem não quer ouvir o grito do silêncio

Tudo rodava à minha volta e sob meus pés. Fiquei sem chão e não possuía asas para voar

Déa Januzzi Não, eu não quero o melhor convênio médico. Nem tenho como pagar caro porque tenho mais de 60 anos. E me obrigam a pagar o preço de estar envelhecendo. Não, eu não quero a medicina tecnológica com exames cada vez mais digitais. Máquinas que fazem diagnósticos precisos e elaborados. Não, eu não quero médicos que entopem os pacientes ... Leia Mais »

Nunca escondi a idade, porque nunca tive motivos

Continuo achando que ainda tenho tempo de planejar um futuro que nunca esteve nos meus planos

Déa Januzzi Vivi os 20, 30, 40, com tamanha intensidade que às vezes parecia exagerada. Confesso que hoje só bebo vinho, mas continuo cometendo excessos aos 60 ou mais. Tenho sede de poesia e da embriaguez dos sentidos, voo demais e por isso nunca me lembro das coisas objetivas. Confesso que quero parar de fumar. Todas as amigas da minha ... Leia Mais »

Juntas vamos envelhecendo

Como eu, Frida está envelhecendo, mas não sabe que a idade traz riscos

Déa Januzzi Frida também está envelhecendo. Ela não conhece as estatísticas sobre o envelhecimento populacional, mas neste momento ela está internada em uma clínica se recuperando de uma cirurgia de retirada do útero e dos ovários. Com muitos miomas nos órgãos reprodutores que nunca foram usados, Frida sofre por causa de uma cirurgia de risco, que exigiu assinatura dos responsáveis ... Leia Mais »

O Asilo dos Meus Sonhos

Asilo-dos-meus-sonhos2 (1)

Déa Januzzi Um dia, ainda vou construir um asilo para velhos. Mas a primeira medida que vou tomar será achar um outro nome para asilo, que não lembre morredouro, como proclamou Simone Beauvoir, no livro Envelhecer, para definir um lugar onde os velhos são depositados para morrer. Não vou mudar só o nome, mas também a filosofia. Vou pintar as ... Leia Mais »

Cada um tem uma. Qual é a trilha sonora da sua vida?

Maria-Bethania

Déa Januzzi – O vídeo de Maria Bethânia cantando “Tocando em frente”, de Almir Satter e Renato Teixeira, surgiu certa manhã no facebook, compartilhado por alguém que não conheço. Nem está na minha lista de “amigos”. Automaticamente, liguei o som do vídeo que me levou para o ano de 2008, quando minha mãe, de 91 anos, estava internada num hospital ... Leia Mais »

O dom de arder

O dom de arder dentro de mim

Déa Januzzi A mulher que existe em mim está dormindo. Um sono tão profundo que nem príncipe encantado pode acordar. Nem Maria nem Madalena nem Verônica nem Amélia. A mulher que existe em mim não consegue lavar, passar, cozinhar, arrumar, sofrer em silêncio diante do calvário de um filho. Nem enxugar o suor que escorre da via-crúcis de todo dia. ... Leia Mais »