Arquivos de Tag: déa Januzzi

A extraordinária Lélia Salgado, por Déa Januzzi

Não perguntem à arquiteta e urbanista Lélia Wadick Salgado, de 66 anos, se ela é mulher do fotógrafo Sebastião Salgado, de 70. Pois ela responderá prontamente: “Ele é que é meu marido”. Nem tentem usar o velho jargão “atrás de um grande homem há sempre uma grande mulher.” Lélia não gosta, porque os dois estão juntos há 51 anos, um ... Leia Mais »

Uma sensação de aconchego, de colo de mãe

Déa Januzzi Sempre que ela sai com a blusa de crochê, tecida por Rosângela com todo o esmero, as pessoas a param na rua, elogiam, ressuscitam memórias afetivas de tias e avós que teceram o fio de uma longa e doce história. Nada como remexer o baú e reencontrar sentimentos vivos, ainda mornos, dentro do peito. Ela se lembra da ... Leia Mais »

O fantasma de Frida Kahlo, por Déa Januzzi

Hoje amanheci com a síndrome de Frida Kahalo, com vontade de pintar o mundo ao contrário, com rasgos de vermelho. Comecei procurando entre os guardados uma colcha dessas bem rubras, confeccionada nos tempos em que Amélia, minha mãe, ainda tecia crochê. Era uma colcha para cada filha que ia casar. Depois, uma para cada neto que nascia, como se a ... Leia Mais »

O dom de transformar moda em gritos de dor

Déa Januzzi        Primeiro, conheci as bijuterias dela que eu ficava horas namorando nos shoppings e nas lojas mais charmosas da Savassi, em Belo Horizonte. Bijuterias com design, cheias de graça, de vida e de ousadia. Diferentes de tudo, bijuterias com trama, com história, como se fossem bordadas: colares, anéis, tiaras, pulseiras a envolver o corpo das mulheres.         Poesia ... Leia Mais »

Confesso que hoje estou precisando de mãe

Esta crônica de Déa Januzzi é dedicada às mães de todas as idades, casadas e solteiras, alegres e tristes, abnegadas e descoladas. É dedicada também às mulheres que se tornaram mães por desejo, aquelas que, mesmo  sonhando muito, nunca conseguiram embalar um filho em seus braços. Déa Januzzi Confesso que, hoje, mais do que em todos os outros dias, estou precisando ... Leia Mais »

Eles são filhos sem Deus!

Déa Januzzi Eles não têm religião nem sentem culpa de nada. Morrem de rir dessa tal culpa católica, que, para eles, não quer dizer nada. Eles não pedem desculpas nem quando cometem a loucura de viver. Eles bebem demais, mas não têm ressaca moral. No dia seguinte, só pensam no que fizeram quando estão passando mal. Aí todos à volta ... Leia Mais »

Ela insiste em ver, apesar da miopia e da escuridão

Déa Januzzi Ai, que vontade de dar colo para essa menina míope, que vê o mundo embaçado e a lua maior do mundo. Só os míopes conseguem enxergar a lua em todo o seu esplendor, como uma bola esfumaçada, enorme, branca e poderosa. Só os míopes tentam adivinhar a dimensão de um universo difuso, completamente etéreo e vago. Só os ... Leia Mais »

Os novos velhos

Déa Januzzi A construção de um cenário para o envelhecimento digno no ano de 2050 já começou. Os protagonistas da mudança de paradigma são os próprios idosos, que, cada vez mais, tomam para si as rédeas do futuro. Para quem ainda pensa que passar dos 60 é tornar-se incapaz de ter os mesmos desejos e de fazer as mesmas atividades ... Leia Mais »

Déa Januzzi: Procura-se companhia para sair de vez em quando

Déa Januzzi Mulheres sem paciência para relacionamentos sérios e longos procuram uma companhia para sair de vez em quando, que goste de comida japonesa, incluindo os shashimis, que tome vinho e se embriague numa taça de cristal, dessas enormes, com profundidade suficiente para mergulhar os pensamentos. Ou que queira experimentar um suco verde da culinária viva de vez em quando, ... Leia Mais »

O asilo dos meus sonhos

Déa Januzzi Um dia, ainda vou construir um asilo para velhos. Mas a primeira medida que vou tomar será achar um outro nome para asilo, que não lembre morredouro, como proclamou Simone Beauvoir, no livro Envelhecer, para definir um lugar onde os velhos são depositados para morrer. Não vou mudar só o nome, mas também a filosofia. Vou pintar as paredes ... Leia Mais »