Tarot da Semana: Reerguer-nos depois da queda

Esperança é uma potentíssima alavanca para nos reerguer depois da queda

A esperança é uma potentíssima alavanca para nos reerguer

Alexandre Moreira, Tarólogo

Às vezes nada dá certo. Aliás, parece que o Universo conspira contra nós, desfavorecendo nossos desejos, não atendendo aos nossos pedidos e nos deixando sós, abandonados em meio ao caos que a Vida parece se tornar.

Tudo parece absolutamente injusto, afinal trabalhamos tanto, construímos tanto, nos esforçamos ao máximo para alcançar determinado objetivo e, quando estamos quase lá, quase chegando ao ponto máximo onde a fama, a glória e o poder nos aguardam, a coisa toda começa a ruir. Tal qual um castelo de cartas, vemos nossos sonhos desmoronarem e, pior, nos vemos caindo com eles, naufragando no mesmo aterrorizante remoinho, em meio a lágrimas, suspiros e desilusões.

A Torre, arcano XVI do tarot, é a carta que comumente nos fala sobre o desmanchar dos sonhos, o findar das ilusões. Representa a perda da segurança física, social e emocional, dos colapsos nervosos. Simboliza, na maior parte das vezes, a perda do status social e econômico, tudo aquilo que construímos sem bases sólidas, concretas, verdadeiras, mas calcados sobre orgulho, pretensão, riscos mal calculados, ânsia de poder. É quando, levados por nosso Ego, num estado muito exaltado, fantasiamos ser superiores aos demais. Quando nos isolamos numa torre de marfim, criando nossas próprias versões da verdade e, pior, acreditando nelas!

A Torre é o retrato da arrogância, da sofisticação postiça, estudada, usada somente no intuito de impressionar. É o pavonear-se, acreditando-se melhor que todos os demais. É tapear a si mesmo, construindo uma máscara para os outros admirarem e temerem, porém inócua, vazia, sem consistência, para, num determinado momento, sucumbir sob o peso da própria alegoria que criou para refugiar-se da baixa autoestima, do medo, da dificuldade pessoal em relacionar-se. A Torre, mais do que um castelo, é uma prisão onde a alma vagueia em busca de luz, em busca da verdade.

A carta da Torre vem depois do Diabo (o Erro, a Mentira) e antes da Estrela (a Esperança, a Fé). Não é a toa. É preciso recuperar a Fé, acreditar que existem forças poderosas que regem o equilíbrio de todos os corpos e mentes que ocupam o Universo. É necessário humildade para reconhecer a Mentira, para corrigir o Erro. E muita Esperança, que é uma potentíssima alavanca a nos reerguer depois da queda, de todas as quedas.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos marcados com asterisco são obrigatórios. *

*