“Técnica especial de respiração me tirou da depressão”

Yara Mutti se deprimiu profundamente apos a morte do marido

Aos 80 anos, Yara Mutti conta essa história maravilhosa: caiu em profunda depressão depois que o marido, com quem vivera quase 40 anos, morreu, vítima de um câncer. Segundo ela, quando se viu viúva, caiu em grande prostração. Só pensava em morrer. E somente voltou a ver a luz do sol, depois que descobriu uma técnica de respiração. Foi o que salvou Yara, como mostra este artigo de Bárbara Therrie, para o Uol.

Leia:

Yara Mutti estava no auge de sua aposentadoria quando um câncer no pâncreas tirou a vida do marido e ela entrou em depressão. E, como lembra neste depoimento, na época, “só sentia vontade de morrer?. Neste depoimento, ela conta como a técnica de respiração da Sudarshan Kriya a livrou da doença. Hoje, aos 80 anos, ela se levanta todos os dias às 5h da manhã para meditar e praticar a respiração ritmada.

Após 34 anos trabalhando como nutricionista, me aposentei em 1991. Tinha 54 anos. Como não queria ficar parada, resolvi me arriscar e comprei um quiosque, no Rio das Ostras [litoral norte do Rio de Janeiro]. Era uma delícia trabalhar na praia e ter um contato tão próximo com a natureza. Adorava tomar sol, entrar no mar e conversar com os clientes. Meu quiosque virou referência em sucos naturais. Fiquei três anos com o negócio. Foi uma experiência ótima.

Nos anos seguintes, fui curtir a vida e fiz a minha primeira viagem para a Europa, aos 62 anos. Um tempo depois de voltar ao Brasil, meu primeiro netinho nasceu. Cuidava dele durante o dia, enquanto minha filha e meu genro trabalhavam.

Foi um choque, estávamos juntos há 37 anos. Meu mundo acabou. Fiquei muito doente. Não tinha nenhuma doença, até então, sempre fui saudável. Em decorrência de todo o estresse, passei a ter pressão alta, arritmia e distúrbios gastrointestinais. Foi uma fase bem difícil. Além da perda sentimental, tive de lidar com várias questões burocráticas, envolvendo os negócios do meu marido.

“Só sentia vontade de morrer. Não suportei o golpe da morte dele e entrei em depressão. Não levantava da cama, ficava o dia todo deitada chorando. Tinha uma tristeza e um vazio que não sabia como preencher. Não queria mais saber de nada. Só sentia vontade de morrer. Fiquei um ano desse jeito.

Um dia, minha filha mais nova, Lisiane, e minha sobrinha, Renata, me falaram de uma técnica respiratória chamada Sudarshan Kriya, que ajudava a reduzir o estresse, a ansiedade e a depressão. Elas já tinham experimentado e me disseram que a prática promovia uma limpeza profunda no corpo e na mente –e melhorava o desempenho das funções cerebrais, hormonais e imunológicas.

Fui à primeira aula no Rio e a instrutora explicou os benefícios e me ensinou o método criado pelo guru indiano Sri Sri Ravi Shankar. Fiz a técnica da respiração ritmada com as pernas cruzadas, os olhos fechados e a coluna reta. Clique aqui para ler mais.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos marcados com asterisco são obrigatórios. *

*