Um lugar onde se vive por mais tempo e de maneira mais saudável

A ilha grega de Ikaria é uma das cinco regiões do mundo conhecidas como Zonas Azuis

Maya Santana, 50emais

Já falei aqui no 50emais da ilha de Ikaria, na Grécia, uma das cinco áreas do mundo conhecidas como Zonas Azuis, onde as pessoas têm uma qualidade de vida tal que vivem bem mais do que a média mundial. As outras Zonas Azuis são Sardenha (Itália), Nicoya (Costa Rica), Okinawa (Japão) e Loma Linda (Califórnia). No caso de Ikaria, um em três de seus habitantes tem mais de 90 anos. É comum encontrar pessoas com mais de 100 anos ainda trabalhando. Por que os moradores desse lugar vivem mais? É o que explica esta reportagem de Marissa Tejada para a BBC Brasil.

Leia:

Loanna Proiou desliza os dedos enrugados pela lã azul pastel estirada sobre o seu tear.

Cabelos brancos, presos de lado, e óculos de aros grossos, Ioanna trabalha no passo seguro de quem aperfeiçoou sua técnica por mais de 90 anos.

Aos 105 anos de idade, ela faz bolsas e roupas para vender em sua lojinha no vilarejo de Christos, na região montanhosa de Raches na ilha grega de Icaria.

Christos tem 300 habitantes e para chegar lá, é preciso fazer uma travessia de nove horas no mar Egeu a partir de Atenas.

Manuseando a avalanca em compasso rítmico, o tear chacoalhando ligeiramente, a tecelã diz que ainda é apaixonada por seu trabalho, mesmo após todos esses anos.

“Faça uma coisa na vida que desperte sua paixão”, ela recomenda.

“Quando meu marido morreu, décadas atrás, eu continuei fazendo o que amo. Anos depois, um homem me pediu em casamento, mas eu recusei. Já sou casada com meu tear.”

Ioanna Proiou recomenda adotar uma profissão que desperte sua paixão

Tranquilidade
Não muito distante da lojinha de Proiou, a pracinha de Christos Raches é um lugar de tranquilidade.

Os moradores bebericam café à sombra de pés de plátano e trocam um dedo de prosa do lado de fora das casas.

O comércio abre e fecha as suas portas à conveniência do dono, sem horário fixo.

Muitas lojas funcionam na base da confiança: os moradores levam o que querem e deixam o dinheiro no balcão.

É um cenário que poderia se aplicar a outras ilhas gregas, mas Icaria tem um diferencial: aqui, um terço da população da ilha ultrapassa os 90 anos de idade.

Assim como a Sardenha (Itália), Nicoya (Costa Rica), Okinawa (Japão) e Loma Linda (Califórnia), Icaria forma parte das Zonas Azuis, locais no mundo onde as pessoas vivem por mais tempo e de forma mais saudável.

As localidades foram identificadas pelo projeto Blue Zone (Zona Azul, em inglês), uma iniciativa do ex-explorador da National Geographic Dan Buettner – que desde então se converteu em autor de vários best-sellers sobre o tema.

Moradores de Ikaria participam de cerimônia religiosa na ilha

Segredo da vida longa
Especialistas normalmente citam uma dieta saudável e uma vida ativa como as chaves da longevidade.

Médicos e antropólogos ligados ao projeto Blue Zone também ressaltam a importância de laços familiares e religião.

Em Icaria, os indivíduos fazem um esforço para permanecer juntos de suas famílias e vizinhos. Os mais velhos desempenham um papel importante na comunidade. Avôs e avós costumam ajudar na criação dos netos ou tocar os negócios.

Proiou, a tecelã, credita sua longevidade à paixão pelo tear. “Não queira mais do que realmente precisa”, ela aconselha. “Ter inveja dos outros só traz estresse.”

Christodoulos Xenakis, um médico aposentado, tem outra teoria que explica como os moradores em Icaria fazem para evitar a ansiedade.

Nós nos encontramos rapidamente logo que eu havia chegado na ilha e marcamos de nos encontrar novamente, com mais tempo. Mas não foi fácil achá-lo de novo.

“Ninguém marca as coisas aqui”, ele encolhe os ombros quando finalmente o vejo, alguns dias depois. O tempo é uma parte essencial de Icaria, mas não como outras pessoas imaginam.

“É como dizer: ‘até de manhã, de tarde ou de noite'”, ele compara. “Não temos esse estresse.”

Os moradores locais preferem gastar seu tempo de forma prazerosa.

Xenakis, um senhor de 81 anos – considerado jovem para os padrões da ilha – descreve animado o seu mais recente projeto: a organização de uma regata sênior, onde a idade mínima para os capitães dos barcos é 70 anos.

Vinte equipes velejarão 14 milhas náuticas (cerca de 26km) da ilha vizinha de Samos a Icaria, ida e volta.

“A regata não é exatamente uma corrida”, ele esclarece, “mas é para mostrar que ainda podemos e somos capazes de fazer as coisas”.

“Sempre tem coisa para fazer com o seu tempo”, ele ensina. “Mas quando você usa seu tempo para fazer as coisas que te deixam feliz ou que deixam outras pessoas felizes, como não se sentir melhor e mais saudável?”

Compartilhe!

Um comentário

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos marcados com asterisco são obrigatórios. *

*