A Fifa e a copa no centro das manifestações no Rio

Copacabana: 500 bolas simbolizando os 500 mil assassinatos no país em uma década

Copacabana: marcadas com uma cruz, bolas simbolizam 500 mil assassinatos em 10 anos

Maya Santana

O Rio de Janeiro amanheceu neste sábado dando sinais de que pretende levar adiante as manifestações iniciadas há 9 dias. A associação do protesto à copa do mundo está por todo lado.

Uma Ong, a Rio de Paz, acomodou nas areias de Copacabana 500 bolas de futebol, cada uma estampando uma cruz, simbolizando as 500 mil pessoas assassinadas no Brasil, na última década. Nas imediações, instalou faixas reivindicando investimentos em saúde, educação e segurança pública no “padrão Fifa“.

Comentando o pronunciamento da presidente Dilma Rousseff em cadeia nacional, na noite de ontem, o presidente da Rio de Paz demonstrou não ter ficado satisfeito com o que ouviu. E comentou: “É sintomático o fato de as manifestações terem ocorrido em plena Copa das Confederações. O brasileiro até agora não aceitou ter havido tamanha vontade política para construção de campos de futebol sofisticados, num cenário de escolas e hospitais em péssimas condições e profunda desigualdade social”.

O cerco ao governador Sérgio Cabral numa rua do Leblon, no Rio

O cerco ao governador Sérgio Cabral numa rua do Leblon, no Rio

A poucos kms do belo cenário de Copacabana, em pleno Leblon, um grupo permanece  acampado perto do prédio onde vive o governador Sérgio Cabral. O protesto começou na noite de sexta-feira, quando manifestantes, vindos de Ipanema, caminharam até o local. Exibem cartazes pedindo melhorias na saúde e na educação, cobram explicações sobre o patrimônio do governador e criticam os investimentos em obras para a Copa.

E tudo mostra que as manifestações não devem continuar só aqui no Rio. Na edição de hoje de O Globo, o jornalista Ilmar Franco assina a seguinte nota: “O serviço de Inteligência das Forças Armadas alertou o Planalto de que os protestos que sacudiram o país “vão continuar crescendo”. Informe dos militares destacados para apurar a origem e características dos protestos diz se tratar de ação “espontânea”, “instantânea”, “sem agenda”, “sem líderes”. Em Brasília, quarta-feira, a Inteligência identificou, nas redes sociais, 30 pessoas agindo como multiplicadores: em 30 minutos de mobilização, 500 pessoas estavam na rodoviária central.”

Leia também: O legado das ruas, de Rosiska Darcy.

Compartilhe!

Um comentário

  1. Sim boa hora para as manifestacoes,o mundo todo nos acompanha, uma vergonha para o nosso governo, eh agora, vamos sim, todos lutar para Termos um Paiz mais honesto, e seguro vamos la brasileiros bola pra frente com bastantes gols e uma bela vitoria………..

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos marcados com asterisco são obrigatórios. *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.