A idade da liberdade

Cris Campos, 65: Depois dos 50, me dei conta de que não precisava de um sapo pra chamar de príncipe, pra ser feliz

Cris Campos, 50emais

Quando a Maya Santana sugeriu que eu falasse sobre meu envelhecimento, lembrei da famosa frase do Tom Jobim: O Rio é uma merda, mas é bom; Nova Iorque é bom, mas é uma merda.

Quando jovem, eu era bonita e tinha energia pra dar aos meus 3 filhos e ainda sobrava pra vender ao mercado publicitário. Ganhava bem, viajava muito, frequentava bares e restaurantes da moda, cinemas, teatros, shows e por aí vai.

No entanto, sofria loucamente nos relacionamentos amorosos. Tinha uma tendência de me anular quando me apaixonava. Literalmente,“comprava” os valores dos parceiros. Ao término dos casamentos ou namoros já não sabia mais quem eu era.

Foram anos de divã pra descobrir. Quando isso aconteceu, gostei do que vi. Depois dos 50, me dei conta de que não precisava de um sapo pra chamar de príncipe, pra ser feliz.

Aí veio a fase das reinvenções: aos 55, não tinha mais emprego no mercado publicitário. Prestei um concurso público e me tornei escrevente do TJSP. Aos 65, sobreveio uma artrose grave no joelho que me pendurou numa bengala. Implantei uma prótese há 3 meses.

E depois de fugir da academia a vida inteira, estou frequentando uma 3 vezes por semana. Também achava que meu sobrepeso era irreversível. Reduzi restaurantes e deliverys, voltei a cozinhar e adotei uma alimentação mais orgânica.

Emagreci pra caramba! Mas a melhor coisa da maturidade é a liberdade. É dizer o que penso sem medo de perder amigos no facebook ou de contrariar os conservadores da família.

O triste de envelhecer é se despedir de amigos queridos. Por outro lado, o privilégio de continuar viva me dá a chance de aproveitar as novas tecnologias e apresentar aos meus netos os heróis e heroínas da minha infância que não pude mostrar aos meus filhos.

E, finalmente, com a idade, não caio mais em ciladas amorosas que violam a Lei de Murphy, só porque a cantada massageou meu ego. Essa parte deixo pra Danuza Leão e suas fãs.

Compartilhe!

15 comentários

  1. A idade da liberdade é realmente libertadora. Belo texto Cris. Quando a gente não precisa ficar tentando agradar, percebe que o simples é muito mais que satisfatório. É libertador.

    • Belo texto, concordo com a usuária participante, quando escreveu que melhor idade é pra curtimos sem a presença de um príncipe encantado. Seja você em qualquer circunstância. Viva a vida sem preconceito.

      • Norma Celia Medeiros Pasquali.

        Sou feliz aos meus 65 anos fiquei viúva depois de 33 anos de casada,agora danço como o que eu quero,faço o que tenho vontade,tenho boas companhias e posso escolher se quero ou não,viajo conheço novas pessoas,leio bons livros,acordo todos os dias a hora que eu quero,sou feliz comigo mesmo e passo essa felicidade ais outros.

  2. Gratidão a todas as nossas fases “lagartas”

  3. Léa Terezinha Baldini

    Lea T. Baldini
    Lea

  4. “Mas a melhor coisa da maturidade é a liberdade. É dizer o que penso sem medo de perder amigos no facebook ou de contrariar os conservadores da família.”…Eu ainda adendo que a adolescência também é uma merda, daí, que viver é que é a grande história. Uma vez que tudo movimenta e caminha, aproveitemos a vida na idade que for.

  5. Tudo isto é muito lindo e talvez até, fácil prá quem teve uma juventude produtiva profissionalmente………..mas quantas chegam aos 60 tendo somente o benefício do INSS……filhos…cada qual com seus próprios problemas…..E aí ? Dá prá se ter toda essa autonomia?

  6. Eu sempre acho que nós somos resultados das nossas escolhas!! Na minha juventude deixei passar muitas oportunidades …queria ter sido advogada, mas minha mãe decidiu que eu seria professora. Mas, graças a Deus e a minha índole de independência, não sou hoje uma mulher de “prendas do lar”, pois o o meu ex marido queria uma mulher para “cuidar deles e dos filhos”. Foi qdo eu dei o meu grito de liberdade…”Só me caso qdo terminar os estudos e poder trabalhar”!…ainda bem que ele aceitou, fui professora e nunca ensinei, pois fiz concurso para um banco federal e hoje sou aposentada graças ao meu esforço.

  7. Tudo na vida depende de nós. Sou talvez a.pessoa mais feliz do mundo.Fui criança feliz,adolescente muitoo feliz, jovem feliz, casada mais feliz, mãe feliz até demais,serventuaria da justiça muito feliz, aposentados felizes.Fizemos agora em dezembro uma revisão em nossa vida.Felizes,bem sucedidos,realizados.Casal mais que felizes.

  8. Aproveitei bastante qdo adolescente e jovem. Fui bastante independente quanto aos estudos e trabalho. Não estudei o que queria mas o que precisava, e foi uma ótima escolha. Qto aos amores, tive muitos e nesse caso me doava 100% e sofria e chorava e perdia. Pois não conseguia ficar sozinha. Até que quase aos 50 anos me encontrei em alguém sem “sofrência”.
    E agora, aos 65, estou em paz. Vivendo um dia de cada vez.
    Mas sinceramente, continuo tendo pânico de ficar sozinha. Preciso sempre de um “amor” ao meu lado. Combinamos eu e meu companheiro que vamos desencarnar juntos!

  9. Cris, Muito bom seu texto!!! Realmente não precisamos de um sapo pra chamar de príncipe para ser feliz!!!

  10. Tive independência quanto aos estudos e trabalho. Estudei o que quis. Casamento com o homem que amei intensamente e hoje está na eternidade.Tive outros amores que também me doava e não dava certo por N razões. Sofria sim. pois não conseguia ficar sozinha. Até que perto dos 60 anos me encontrei sem alguém e sendo feliz.
    Vivo cada dia como se fosse o último.

  11. …Viver é um exercício contínuo…
    É PRECISO ser feliz só …e ser feliz c outro alguém…
    …A maturidade pode trazer a noção do essencial…
    Tenho 52 anos…de aprendiz

  12. Tenho 65 anos.Vivi por 21 anos um casamento insatisfatório.Era sufocado, o companheiro.Após terapia e gotas d’agua Resolvi me separar.Dai foi dedicação plena ao trabalho e aos filhos.
    Não abri portas para novos relacionamentos, não achei que valia a pena.Sou satisfeita por minhas conquistas, por minhas viagens e por conservar família e amigos.
    Comecei a me cuidar físicamente( pilates, treinamento funcionar, holding)
    Estou bem, gosto de estar só , ter um espaço para mim.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos marcados com asterisco são obrigatórios. *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.