A volta da bolsa-carteira e é para todas as idades

[tribulant_slideshow gallery_id=”12″]
Ana Maria Cavalcanti

Quando foram criadas na década de 20, elas eram bem pequenas, só cabia mesmo as chaves e alguma maquilagem. Com o passar dos anos, a clutch – ou bolsa-carteira – foi aumentando de tamanho e, hoje, estão enormes, cabe até livro dentro.

Para algumas mulheres, usar este acessório parece algo muito formal e antigo. Mas não é, muito pelo contrário. Agora elas são encontradas em todas as cores, tamanhos e materiais, caras e baratas. Tanto servem para acompanhar um traje sofisticado como esportivo, dando aquele charme ao visual. Veja alguns modelos e, principalmente, preste atenção como carrega-las, é muito importante. É preciso uma certa elegância, mas treine na frente do espelho, é bem fácil.

Elas podem ser de todos os tamanhos e formatos

Podem ser dos mais variados materiais

Por incrível que pareça as mulheres de “ boa família” só começaram a usar bolsas no século passado. Antes, seus pertences eram carregados pelos companheiros ou empregados. Chanel costumava fazer clutches usando o mesmo tecido do vestido. Em 1930 a carteira passou a ser associada á grife Hermès que, na época, começava a ganhar destaque com suas principal especialidade: as bolsas de couro.

A elegância da carteira-bolsa Hermés

A elegância da carteira-bolsa Hermés

As clutches de antigamente eram bem pequenas, cabia dentro da mão. Eram usadas à noite, em festas. Com a crise financeira de 1929, os fabricantes começaram a usar materiais mais baratos, como o plástico baquelite, duro e cintilante. As peles de cobra, jacarés, bezerros, e outros bichos, foram deixadas de lado até que os tempos melhoraram.

Antigamente,  a bolsa-carteira era bem pequena

Antigamente, a bolsa-carteira era bem pequena

Com as festas de fim de ano se aproximando, e com elas alguns dias para viajar, fica aqui algumas sugestões do 50e mais para vc incrementar seu visual, de noite e de dia. Um último lembrete: as clutches servem para todas as idades.

Compartilhe!

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos marcados com asterisco são obrigatórios. *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.