Video de avós experimentando maconha faz sucesso

13 milhões de pessoas já assistiram ao vídeo

13 milhões de pessoas já assistiram ao vídeo no youtube

Este vídeo está bombando na internet, porque mostra uma cena inusitada: três senhoras sentadas em volta de uma mesa fumando maconha. O vídeo, segundo este artigo da BBC Brasil, foi feito no estado americano de Washington, onde a maconha acaba de ser discriminalizada – a lei não considera mais crime a posse de uma pequena quantidade.

Leia:

Um vídeo que registra a reação de três senhoras americanas ao fumar maconha pela primeira vez faz sucesso na internet e já foi assistido mais de 13 milhões de vezes.

No vídeo, produzido pelo grupo Apropos e publicado no YouTube, as três “avós” fumam maconha em um narguilé e seguem conversando. As mudanças em suas reações ficam visíveis e podem ser acompanhadas na tela em um clipe de seis minutos que resume os quarenta e cinco minutos de duração da experiência:

À medida que o tempo passa, cresce a descontração do grupo, o riso se torna mais abundante e as três aparentam uma crescente dificuldade de manter a concentração.

Em um momento, uma das senhoras comenta que sente seus músculos em volta do pescoço mais relaxados. As duas outras ouvem com atenção e, ao final, uma delas diz, sorrindo, que não conseguiu acompanhar o que a outra explicava. “Eu me perdi completamente e não sei do que você falava.” As três caem na risada, dizem que gostaram da experiência e que poderiam voltar a fumar.

A iniciativa marca a discriminalização do uso da maconha no Estado de Washington.

A nova lei não considera mais crime a posse de pequenas quantidades da droga (até 28 gramas).

0 Compart.

4 comentários

  1. Vamos lembrar que há um consumo grande de maconha entre os idosos. Começaram a fumar nos anos 60. Gostaram e mantiveram o hábito até hoje. Conheço muita senhora de 70 que adora um baseado. As “velhinhas transviadas”. rs

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos marcados com asterisco são obrigatórios. *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.