Cultura

Beth Carvalho: marchinhas que não se ouve mais no carnaval

Maya Santana, 50emais Para assistir a este vídeo, enviado pela grande e saudosa amiga Rachel Mattos, não é preciso gostar de carnaval. É um vídeo para relembrar. A cantora e compositora Beth Carvalho, 70, canta um pedacinho ( pot pourri) de praticamente todas as marchinhas carnavalescas que a gente gostava de cantar, nas décadas de 60 e 70 – quando ... Leia Mais »

Nesta quarta, o universal e eterno Tom Jobim faria 90 anos

Maya Santana, 50emais Universal e eterno. É assim que o jornalista e escritor Ruy Castro define o genial Tom Jobim neste artigo para a revista Brasileiros, a propósito dos 90 anos que o músico carioca faria nesta quarta-feira, 25 de janeiro. Tom morreu aos 67 anos, em consequência de um câncer na bexiga, em Nova York, no dia 8 de ... Leia Mais »

35 anos depois, o Brasil ainda chora Elis Regina

Maya Santana, 50emais Nesta quinta-feira, 19 de janeiro, completa exatos 35 anos que Elis Regina se despediu deste mundo. A adorada “Pimentinha”, nascida na Rio Grande do Sul, morreu em 19 de janeiro de 1982, aos 36 anos, em consequência de uma overdose de álcool e cocaína, no apartamento em que residia, nos Jardins, em São Paulo. Todo ano, nesta ... Leia Mais »

O Ano Novo, nas palavras e emoção dos nossos grandes poetas

Maya Santana, 50emais Para saudar 2017 e entrar o ano em boa companhia, selecionei estas pequenas maravilhas de quatro poetas maiores – Fernando Pessoa, Carlos Drummond de Andrade, Mário Quintana e Ferreira Gullar. Cada um com sua fina, individualíssima e fascinante concepção do que é “Ano Novo”. Leia: Ano Novo, Fernando Pessoa Ficção de que começa alguma coisa! Nada começa: ... Leia Mais »

Carlos Drummond: É dentro de você que o Ano Novo cochila

Maya Santana, 50emais Para receber de braços abertos 2019, depois desse duro 2018, e entrarmos o novo ano embalados pela inspiração, selecionei este conhecido poema de Carlos Drummond de Andrade, com sua fina, individualíssima e fascinante “Receita de Ano Novo”. Quem nunca leu, vai saboreá-lo como iguaria; quem já conhece, com certeza, se alegrará com a oportunidade de relembrar essa ... Leia Mais »

O Peru de Natal, Mário de Andrade

50emais O nosso primeiro Natal de família, depois da morte de meu pai acontecida cinco meses antes, foi de conseqüências decisivas para a felicidade familiar. Nós sempre fôramos familiarmente felizes, nesse sentido muito abstrato da felicidade: gente honesta, sem crimes, lar sem brigas internas nem graves dificuldades econômicas. Mas, devido principalmente à natureza cinzenta de meu pai, ser desprovido de ... Leia Mais »

Para saudar o Natal, Cantiga dos Pastores, de Adélia Prado

50emais Ą meia noite no pasto, guardando nossas vaquinhas, um grande clarão no céu guiou-nos a esta lapinha. Achamos este Menino entre Maria e José, um menino tão formoso, precisa dizer quem é? Seu nome santo é Jesus, Filho de Deus muito amado, em sua caminha de cocho dormia bem sossegado. Adoramos o Menino nascido em tanta pobreza e lhe ... Leia Mais »

‘A última lição’ fala do desejo de morte de uma nonagenária

Maya Santana, 50emais O tema deste filme francês, A Última Lição, em cartaz desde quinta-feira, 22 de dezembro, não poderia ser mais atual: cansada de viver, Madeleine, 92 anos, decide dar adeus à vida. Ela marca a data de sua morte e toma todas as providências necessárias para atingir seu objetivo. Mas, quando informa sua decisão à família, surgem os ... Leia Mais »

A linda história do Natal contada através do cordel

Maya Santana, 50emais Já postei este vídeo aqui no 50emais. Como é muito criativo, estou postando de novo. É um cordel contando a história do Natal, uma adaptação utilizando símbolos nordestinos. Quem já viu vai gostar de ver de novo. Quem ainda não viu não pode perder. O texto e a locução são de Euriano Sales. Pode-se até discordar das ... Leia Mais »

Já não se morre de velhice, Cecília Meireles

50emais Como se morre de velhice ou de acidente ou de doença, morro, Senhor, de indiferença. Da indiferença deste mundo onde o que se sente e se pensa não tem eco, na ausência imensa. Na ausência, areia movediça onde se escreve igual sentença para o que é vencido e o que vença. Salva-me, Senhor, do horizonte sem estímulo ou recompensa ... Leia Mais »