Cidade criada para a terceira idade é a que mais cresce nos EUA

Para ser residente do The Villages, na Flórida, precisa ter, no mínimo, 55 anos

Para ser residente do The Villages, na Flórida, precisa ter, no mínimo, 55 anos

Uma ideia que vai se espalhando pelo mundo: cidades com toda a infraestrutura que as pessoas mais velhas precisam. Em The Villages, na Flórida, nos Estados Unidos, criada na década de 70 e hoje com mais de 120 mil moradores, a pessoa só pode se tornar residente se tiver de 55 anos para cima. E, lógico, dinheiro para pagar todo o conforto que a cidade oferece. Como aumenta cada vez mais o número de velhos, The Villages cresce a taxas bem maiores que a média do país. Uma das moradoras, entrevistadas neste artigo do site da BBC Brasil, diz que o lugar é “um paraíso.”

Leia:

A cidade que mais cresce nos Estados Unidos não está cheia de edifícios altos nem viadutos – e o mais provável é que você nunca tenha ouvido falar dela.
The Villages, para muitos, reflete como será a realidade futura americana, uma sociedade com presença cada vez mais marcante de pessoas idosas. Aqui há mais carros de golfe do que automóveis, os restaurantes fecham cedo e ter 55 anos é requisito indispensável para ser morador.

Localizada na região central da Flórida, a cidade tem crescido desenfreadamente desde sua criação, em 1972, como um vilarejo residencial exclusivamente para aposentados.

Moradoras jogando tênis

Moradoras jogando tênis

Paraíso tropical
Mark Woodland trabalhou como DJ na Filadélfia por 35 anos. Há alguns anos vive em The Villages.
A BBC Mundo, o serviço em espanhol da BBC, o encontrou logo de manhã em um dos extensos campos de esporte da cidade, com dezenas de amigos, todos orgulhosos membros do clube de aeromodelismo.

“A gente aqui é muito amigável. Trabalhamos muito a vida toda e estamos aqui para relaxar, dedicar tempo para nós mesmos”, diz, enquanto opera um sofisticado avião de controle remoto.

O barulho da frota de aeronaves em miniatura é o único que se ouve nesta cidade de grama minimamente cortada e aparência quase antisséptica.

Carros, aqui, só os de golfe, o meio de transporte quase universal para seus moradores. The Villages é o maior concessionário deste tipo de veículo nos EUA – e possivelmente no mundo. Cada um custa entre US$ 10 mil e US$ 20 mil.

Casal de aposentados curtindo a vida numa das ruas de The Villages

Casal de aposentados curtindo a vida numa das ruas de The Villages

“Vendemos cerca de 3 mil ao ano”, disse Joe Morreale, gerente de vendas do local. “De 2009 para cá, dobramos nossas vendas”. Não é barato viver aqui. E a composição demográfica indica que quase não há negros e latinos entre os moradores.

Leia também:
Surge o primeiro condomínio construído para idosos no Brasil
Conheça a vila holandesa projetada para os mais idosos
Em SP, um condomínio residencial para quem tem mais de 50 anos

Até o futuro
The Villages é a área metropolitana com a maior expansão populacional nos EUA, segundo o censo. Cresce a uma taxa anual de 5,4%, quase o dobro de Myrtle Beach, na Carolina do Sul, que tem o segundo maior ritmo de crescimento no país.

Moradoras de The Villages  dançam numa festa organizada na cidade

Moradoras de The Villages dançam numa festa organizada na cidade

Sua população é de 114 mil pessoas. Há 25 anos era praticamente um pântano deserto. Clique aqui para ler mais.

Compartilhe!

24 comentários

  1. Adorei a ideia ja fui 6 vezes para os Estados Unidos,o ano passado passei o natal e a virada do ano em Nova York vou sempre no final do ano esse ano não irei o dolar anda muito alto,adoraria morar num lugar assim tenho 63 anos aposentada tenho uma renda mais ao menos casa própria.mas sera que teria coragem de abandonar o Brasil

  2. Se eu pudesse iria visitar este lugar. Deve ser o paraíso.

  3. Gostaria muito de conhecer este lugar, adorei a idéia de morar num residencial assim.

  4. Esse condomínio parece maravilhoso mas a simples observação sobre a ausência de moradores negros ou latinos me cheira a preconceito deslavado.

    • Também me chamou atenção, foi como se informassem que esses dois grupos, não seriam bem-vindos.

    • Celia Andrade Matulevicius

      Deixou claro q o custo é alto, q são pessoas q trabalharam a vida inteira e hj conseguem morar lá, visto pelo lado q a maioria dos latinos e negros são cubanos e outros imigrantes ilegais, não tem condições de morarem ali sem trabalhar é uma cidade para aposentados, eu amaria morar em Naples na Florida, mas tb é mto caro para latino, essa é a realidade, aposentadoria de latino é em reais.

  5. Bem que os empreendedores brasileiros poderiam se “ligar” nessa grande ideia e lançar no mercado brasileiro, algumas “vilas experimentais”. Se eu tivesse dinheiro, com certeza investiria nesse segmento.

  6. Maria José do Carmo Mármori

    Gostaria de conhecer um lugar assim no Brasil

  7. Maria José do Carmo Mármori

    Gostaria de mais informação sobre esse paraíso !!! Nós brasileiros podemos ter direitos?

  8. Tem Como algum estrangeiros idoso SE filiar a esse “the Collage”?ou é so p/ americanos?

  9. Se eu não engano, tem um residencial para idosos na Paraiba

  10. Já faz algum tempo que sonho com um lugar assim. Nem precisa ser uma cidade específica para idosos. Pode ser um bairro ou condomínio com toda a estrutura necessária para esse público. Mas tem que ser no Brasil, aqui é que é s nossa terra. Quem souber de alguma coisa, com certeza, me informe, por favor.

  11. Tenho 57 anos, quero fazer amizades com pessoas com essa faixa de idade ou mais.

  12. Adoro o usa, mas são cheios de preconceitos. Tenho amiga q mora num condomínio desses em Miami..achei um espetáculo. a estrutura é fantástica.

  13. Estou indo conhecer a Cora residencial sênior em sampa. É uma dica

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos marcados com asterisco são obrigatórios. *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.