‘Cinquentinhas’ são diferentes das ‘cinquentonas’ de anos atrás

Patricia Pillar é uma das "cinquentinhas": linda e cheia de vitalidade

Patricia Pillar ( 52 anos em janeiro) é uma das “cinquentinhas”: linda e cheia de vitalidade

MCélia, viva50.com.br –

As novas “cinquentinhas” não têm nada a ver com as “cinquentonas” de 20 anos atrás.

Volte 20 anos no tempo e se lembre: quem tinha 50 anos, era considerada “velha”. Atualmente, uma mulher de 50 anos está longe de ser chamada de “velha”. As coisas estão muito diferentes da época das nossas mães!

Chegando aos meus 50, comecei a me olhar no espelho e não via grandes mudanças. Meu ritmo de vida continua o mesmo. Então, por que o medo de virar a curva dos 50?

Eu acredito que nesta fase de pré e pós-50 anos é menos sobre a idade da invisibilidade e mais a idade em que nossa autoestima está florescendo, com menos cobranças, menos ansiedades, menos exigências. Estamos cada vez mais nos tornando visíveis… Para nós mesmas!

Déborah Block, 52: outro exemplar da tribo

Déborah Block, 52: outro exemplar da tribo

Enquanto os homens pós-50 anos estão encontrando, na maioria das vezes, o sucesso profissional, algumas mulheres pré e pós-50 estão querendo e tentando voltar ao mercado, pois seus filhos saíram de casa, suas vidas estão mais tranquilas e um emprego ou um negócio próprio é um novo desafio. E essa nova mulher quer esse desafio, ela precisa se sentir viva.

Estudos mostram que muitas mulheres quando chegam aos 50 anos (ou perto disso) começam a enfrentar uma crise de identidade, abaladas às vezes por um divórcio, pelo ninho vazio, pela perda do emprego etc. Essas mudanças dramáticas levam as mulheres a procurar novas formas de reconstruir a sua identidade e a redefinir quem elas são. Para muitas, essas mudanças as fazem descobrir uma nova mulher. Clique aqui para ler mais.

0 Compart.

3 comentários

  1. adoro as publicações dessa página, sempre muito informativas e demitificadoras em relação a idade..Eu tenho 52 e sou jovem me sinto assim!
    muito obrigada!
    Giselle.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos marcados com asterisco são obrigatórios. *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.