Cora Coralina – Saber Viver

Carlos Drummond de Andrade: “Mulher extraordinária, diamante goiano”

Maya Santana, 50emais

Cora Coralina – Anna Lins dos Guimarães Peixoto Bretas – nasceu na Cidade de Goiás. Passou quase a vida inteira como doceira. Morreu perto de completar 96 anos consagrada como uma das maiores escritoras brasileiras, “diamante goiano cintilando na sua solidão”, como escreveu Carlos Drummond de Andrade. E seu primeiro livro só foi publicado em junho de 1965 -Poemas dos Becos de Goiás e Estórias Mais -, quando já chegava aos 76. Entre as muitas preciosidades que escreveu está esse “Saber Viver”, poema que reflete toda beleza e elevação do espírito de Cora Coralina.

Leia:

Não sei… se a vida é curta
ou longa demais para nós,
mas, sei que nada
do que vivemos tem sentido,
se não tocamos o coração das pessoas.

Muitas vezes basta ser:
o colo que acolhe,
o braço que envolve,
a palavra que conforta,
o silêncio que respeita,
a alegria que contagia,
a lágrima que corre,
o olhar que acaricia,
o desejo que sacia,
o amor que promove.

E isso não é coisa de outro mundo,
é o que dá sentido à vida.
É o que faz com que ela não
seja nem curta, nem longa demais,
mas que seja intensa, verdadeira,
pura enquanto ela durar…

Veja o ator Juca de Oliveira declamando o poema:

Compartilhe!

Um comentário

  1. Explosao de emoções quando leio poesias de cora coralina

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos marcados com asterisco são obrigatórios. *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.