“Elena”, um dos mais festejados filmes nacionais

A diretora mineira Petra Costa, de 29 anos, passa no teste

Uma das cenas do filme da diretora mineira Petra Costa, de 29 anos

Entre os tantos caminhos abertos pelo documentário brasileiro, poucos oferecem tantas armadilhas quanto o do registro em primeira pessoa. Como transformar, por exemplo, uma tragédia íntima em um filme abrangente? A diretora mineira Petra Costa, de 29 anos, passa no teste em Elena, seu longa de estreia, vencedor de quatro prêmios no Festival de Brasília de 2012: melhor documentário (segundo o júri popular), direção, montagem e direção de arte; prêmio de Melhor Documentário no Films de Femmes (França) e com menções honrosas no Festival Internacional de Cinema de Guadalajara (México) e no Festival Internacional de Documentários ZagrebDox (Croácia).

A cineasta foi a Nova York para repetir uma viagem feita no fim da década de 80 pela irmã mais velha, Elena — na época, ela queria tentar a sorte como atriz. Não convém revelar quando ou como Elena morreu; afinal, quanto menos se sabe, maior o impacto. Apesar do excesso de cacoetes de fitas de arte (são muitas as cenas desfocadas, além da narração em off excessiva), Petra usa um rico acervo de imagens para compartilhar com o público a dor da perda e as tentativas difíceis de superação. Assista ao trailer do filme:

Compartilhe!

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos marcados com asterisco são obrigatórios. *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.