Estamos vivendo mais do que uma revolução dos cabelos brancos

Antropóloga Débora Diniz: estamos vivendo uma revolução estética

Maya Santana, 50emais

Esta reportagem de Constança Tatsch para o Globo trata da onda grisalha, milhares de mulheres deixando de pintar o cabelo, que todos nós estamos assistindo. Foi-se o tempo em que a mulher se sentia obrigada a tingir as madeixas, porque cabelo branco era sinal de “desleixo”. Rompeu-se o ciclo e, hoje, cada uma faz o quer com seu próprio cabelo. Tentei deixar o meu natural, sem tinturas. Mas acabei voltando às tintas. Claro que há muita gente que, como eu, acha que ainda não chegou o momento. Sei que mais dia menos dia, vou cortar o cabelo bem curto e deixar os fios brancos tomarem conta, como é a tendência. A população vai envelhecendo rapidamente. Essa reportagem mostra, na verdade, que a aceitação do grisalho é apenas uma das facetas de uma revolução bem mais ampla no comportamento das mulheres.

Leia:

Os cabelos brancos eram coisa de vovozinha e uma geração conquistou o direito de pintá-los. Agora, décadas depois, mulheres passaram a abandonar a tintura em busca de liberdade e contra a pressão social pela juventude eterna.

São as mulheres mais novas, com 40, 50 anos que assumem os brancos

— Para uma geração, hoje mulheres de 70, 80 anos, pintar o cabelo foi a grande revolução: de reconhecimento em um lugar social, o não confinamento à cadeira de balanço, ser a pessoa velha. Então quando falamos numa revolução dos cabelos brancos, é de uma geração muito mais jovem — afirma a antropóloga Débora Diniz, professora visitante na Universidade Brown, nos EUA.

Para a antropóloga, mais do que “Revolution Gray” (Revolução Grisalha), estamos vivendo uma revolução estética, composta por mulheres que não só querem deixar seus cabelos naturais, como provavelmente não vão fazer cirurgias reparadoras estéticas — a não ser as necessárias por conta de saúde — e vão aceitar rugas como marcas do seu reconhecimento geracional.

— É a afirmação da possibilidade da existência do próprio corpo sem a sua adequação a um único padrão de beleza feminino. A possibilidade de existir com o branco, a possibilidade de existir com as rugas, com o corpo com outras formas, foram conquistas do feminismo. Então, pode não ser uma atitude individual feminista, mas foi uma conquista do feminismo.

Independentemente do tipo de cabelo, cada vez mais mulheres aderem ao grisalho

Cabelos longos e pintados
Enquanto na cultura latino-americana, e em especial na brasileira, a expectativa é de que a mulher não só tenha cabelos coloridos, mas longos, a própria Débora viveu sua dupla revolução: cortou curtinho e parou de tingir.

— É muito interessante porque as pessoas perguntam se eu “assumi os brancos” e eu digo “é, eu saí do armário”. Não é uma explicação irônica: sair do armário é, sim, sair de um confinamento estético para inúmeras possibilidades como cortá-lo curto e permitir que ele ficasse como a natureza quer na minha idade, aos 49 anos.

A antropóloga ressalta, porém, a importância disso não se tornar mais uma obrigação ou cobrança para a mulher. Cada uma decide se, como e quando quer pintar seus cabelos.

— As nossas conquistas individuais, comunitárias, feministas não são um ditame para todas as mulheres, de todas as gerações, em todos os tempos.

A criatividade fica por conta de cada um

São as de 40, 50 anos que assumem os brancos
O cabeleireiro Fred Silveira, da rede Werner, de Ipanema, tem recebido muitas clientes querendo fazer a transição ou a manutenção dos brancos. Ele percebe uma questão geracional.

— Acho que é mais um ato de liberdade das mulheres. Algumas reclamam da tintura, acham um sacrifício e perda de tempo, e outras por curiosidade para ver como vai ficar. São as mulheres mais novas, com 40, 50 anos que assumem os brancos. Nunca vi as de 70, 80 virem para fazer a transição. É uma coisa da mulher empoderada, de atitude, de quem trabalha e é moderna.

Segundo Fred, o fio branco é poroso e indisciplinado, então é preciso hidratar mais. Além disso, ele recomenda ter um bom corte, mais moderno e arrojado, “para não ficar ultrapassado”.

Deve ser bem trabalhoso cuidar de cabelo tão longo, mas é maravilhoso

Assumiu os brancos aos 58 anos
O cabelo é grisalho quando tem entre 30 e 50% de fios coloridos. Para ser branco, mais de 90% dos fios devem ser branquinhos mesmo. O cabeleireiro diz que o cabelo branco “é tão difícil” e não acontece só com quem tem idade: uma cliente sua de 36 anos só tem uma mecha escura na nunca.

Livres aos 30, 40, 50, 60…
Aceitar os cabelos brancos trouxe liberdade para a food stylist Lou Bittencourt, 60 anos, que encontrou os primeiros brancos aos 35 e, aos 40, começou a pintar. No começo, as raízes eram retocadas mensalmente. Nos últimos anos, se sentia obrigada a pintar uma vez por semana. Quando ia à farmácia, já comprava quatro tinturas, com medo que faltasse. Para não prejudicar o tom, abandonou a hidroginástica, que adorava.

Então, aos 58 anos, decidiu que não ia mais abrir mão das coisas por causa do cabelo e assumiria os brancos. Teve gente que disse para ela não fazer, mas estava decidida. Quando já estava com uns quatro dedos de raiz, fez mechas prateadas no cabelo inteiro para misturar um pouco a parte nova com a antiga e hoje tem a cabeça grisalha.

Os muito curtinhos também têm seu charme, além de serem bem práticos

Eu estou gostando muito
— Mesmo quem dizia para não fazer, hoje diz que estou ótima. Me adaptei tanto, não pintaria de novo de jeito nenhum. É uma sensação de liberdade que não tem preço.

Atualmente, a dúvida de Lou é se corta curto e repicadinho ou deixa crescer. Ela tenta “fazer um contraste”, usando rímel, blush e batom o dia todo:

— Tem que compensar se não parece desleixo. Dizem que envelhece, mas em mim deu uma rejuvenescida porque o castanho escuro pintado ficava pesado, e tenho aquele cabelinho na testa, que sempre ficava estranho. Eu estou gostando muito.

Leia também:
Cabelos brancos e grisalhos: como adotá-los com charme e leveza
Com tantas adeptas, onda dos cabelos brancos chegou para ficar
Essa Rita Lee sou eu, com meus cabelos brancos, minhas rugas…

Compartilhe!

43 comentários

  1. Sou projetista e vendedora de móveis estou necessitando trabalhar.tenho experiência e disponibilidadede horário .

  2. Tentei várias vezes,por ordem médica,tmbm,mas agora assumi de vez ,e tomando coragem de cortar

  3. Tomando coragem p cortar

  4. Lúcia. Helena da Cruz Inácio

    Tenho 62 anos e decidi a não pintar mais meu cabelo e está bem branco adoro do jeito que está. Tintura jamais.

  5. MARTA VITOR DE LIMA

    Estou com 56 anos e estou amando meu grisalhos.foi difícil mas já acostumei.

  6. Tenho 62 anos,assumi os cabelos brancos,aos 61.Optei por um corte curto.Que Alias sempre gostei muito.Ja estou com os cabelos quase totalmente brancos.Estou Amando!Acho um processo absolutamente natural ,não entendo tanta polêmica,por causa de um processo tão natural e leve…e no meu caso não tem nenhum aspecto de desleixo e nem de envelhecimento .E não me obrigo a usar maquiagem ,diariamente pelo fato de ter cabelos brancos…O que eu acho que realmente é relevante é um bom é um bom corte.

  7. Tenho 62 anos,assumi os cabelos brancos,aos 61.Optei por um corte curto.Que Alias sempre gostei muito.Ja estou com os cabelos quase totalmente brancos.Estou Amando!Acho um processo absolutamente natural ,não entendo tanta polêmica,por causa de um processo tão natural e leve…e no meu caso não tem nenhum aspecto de desleixo e nem de envelhecimento .E não me obrigo a usar maquiagem ,diariamente pelo fato de ter cabelos brancos…O que eu acho que realmente é relevante é um bom corte. Mas isso é importante também em todos os tipos de cabelos e em qualquer idade.Acho tudo que é natural é mais harmonioso.

  8. Com 50 e poucos anos parei de pintar e cortei bem curtinho mas não tive paciência e tingi de novo…tempos depois tentei não pintar mais e novamente retornei as tintas… 3 dias depois estava completamente arrependida…quando fiz 65 resolvi não tingir mais e assumir de vez meus gris… no inicio foi difícil, o cabelo estava tricolor rs… me perguntavam se eu estava desgostosa da vida kkkk muitas críticas…Hoje, 2 anos depois só recebo elogios!!!

  9. Francisco Holanda craveiro

    O que aconteceu foi que a mídia criou um certo preconceito em referência aos cabelos brancos, fica aqui minha indagação, se no início da vida todos nós já chegássemos de cabelos brancos? E, com o tempo ficassem mesclados com a chegada dos pelos negros, será que essa mesma mídia industrial lançaria produtos pra tingir os cabelos, encobrindo os fios negros, conservando assim os belos e originais cabelos brancos?

  10. Lília Mara Vasconcellos

    Perfeito… Me reconheci no texto. Grata.

  11. Estou feliz com os meus. Colori pela primeira vez aos 40 e aos 50 deixei o processo que era bem desconfortável . Não necessariamente curto, posso optar por médios também. Longos se desejar mas sempre cuidando dos fios pois meus cabelos são expressão de minha feminilidade e bem estar comigo! Se o outro não gostar do natural que se resolva consigo e deixe a vida nos levar em paz.

  12. Maria Angélica Tasso

    Assumi meus grisalhos a um ano. Hoje aos 56 anos ainda tenho alguns fios com cor de tintura que ainda não desapareceram com os cortes feitos de 3 em 3 meses, mas estou chegando lá. Adoro meus grisalhos e não volto mais para as tinturas. Me sinto perfeita, feliz e bonita.

  13. Tenho 68 anos e desde os 50 me assumi com os brancos na época em que as mulheres ainda nao se assumiam. Muitas me criticavam e teve quem falasse ser desleixo, mas com bonito corte curtinho sempre me senti mais EU. Hoje virando moda.Mas necessário um contraste, sempre e nao aparenta minha idade.

  14. Tenho 45 e cabelos brancos desde os 25… resolvi assumir à 2 anos é me sinto ótima é uma sensação de liberdade maravilhosa. Uso curtinho com cortes modernos e o tal desleixo não existe.

  15. Lina Cleia da Feminino Mazaron

    Tenho 36 anos e cabelos brancos desde os 25,e assumi há um ano meus branquinhos ainda não sou grisalha mas estou quase lá .

  16. Elizabeth Nunes De Sousa

    Após uma mastectomia resolvi assumir meus cabelos brancos. Anteriormente usava henna e tentei pintar uma única vez, mas não gostei do resultado Adorei a matéria pois pode ajudar algumas mulheres a se livrar do jugo da tintura. Uso meu cabelo na altura dos ombros e ele é lindo!

  17. Já fazem dois anos que não pinto mais, uma descoberta que não me arrependo. Ficou tão bom, que admiro todos os dias.
    Quando se está na transição, não tem como imaginar o resultado final, que por sinal deixa a maioria satisfeito.
    Eu recebo muitos elogios tanto de mulheres como de homens, falam, cabelo lindo!!!
    Eu amo, foi tudo de bom..
    Escolha perfeita….

  18. Denize Leme de andrade

    Assumi meus brancos em 2017, aos 56 anos, e amei! Sempre usei cabelo curtinho, mesmo assim a transição é difícil. Cortei muito curto 2 vezes, até igualar. Ainda tenho cabelos escuros então ficou bem grisalho. Uso uma máscara do tipo roxinho que deixa os cabelos muito sedosos. Gosto do tom prateado.

  19. Decidi aos 56, foi libertador, amo meus cabelos brancos e não ligo para as críticas

  20. Tenho 40 anos, tentei pintar, achei até elegante rs , enfim, optando por não pintar agora pois destruiu meu cabelo logo que foi pintado. Para algumas pessoas é necessário pintar e tem o meu respeito. Sou linda na minha idade rsrs

  21. Tenho 65 anos, cabelo curto e deixei de pintar tem dois meses. Estou adorando. Os brancos estão surgindo naturalmente. Tintura nunca mais. No início é complicado fica com várias cores, mas um pouco de paciência vai valer a pena. Seja natural.

  22. Maria Raimunda Santos Portela

    Eu, desde os 14 anos já começei a ver os primeiros fios brancos. Com vinte e poucos já pintava, estava cansada pois era toda semana e já não cobria mais, estava preocupada com a minha saúde, e há um anos os cabelos começaram a cair demasiadamente. Agora aos 51 anos exatamente há 3 meses assumi, cortei bem curtinho pois sempre gostei de usar assim estou amandoo… Me aceitei de cara, rsrsrs… Suando alguém vem me perguntar, já respondo logo que estou amando de mais. Daí a pessoa mesmo que não goste não tem coragem de falar o contrário. Quando agente se ama e de aceita ninguém às pessoas respeitam!

  23. Não adianta vc tingir os cabelos de branco para loiro, tem algumas pessoas que até ainda fica mais jovem e combina ,mais tem umas pessoas que ficam com aparência de mais velha, porque não são os cabelos e simplesmente o rosto que está velho, aparecia diz a sua idade,e não a cor dos cabelos

  24. Eu tenho 56 anos ,pintei muito anos meu cabelo, antes de começar a moda , assumi a mudança da cor de loiro para os brancos,eu ouvi muitos comentários bom e ruim,mais eu não importava ,o que importa realmente e sua própria opinião, hoje estou feliz com os meus brancos,recebo muitos elogios,( Eu tive a certeza que não são as cores que vc pinta os seus cabelos mudarem VC,mais sim a sua decisão e opinião e se amar.❤

  25. Olá tenho 43 anos e já aderi meus brancos consei de pintar não durava muito tempo a tintura amigos e parentes falam pra pintar e novo mas pra já chega mas cedo ou mas tarde vai ficar branco mesmo que seja logo e estou gostando como está

  26. Adorei isso tenho 63 e não quero ser escrava de tintura ! Amei

  27. Parei de tingir faz uns 10 meses, fiz um corte faz 8 meses. Tenho 43 anos, fui muito recriminada por família, amigos e marido. Ignorei as críticas. Não é a minha primeira transição. Passei por algo parecido quando parei de alisar e assumi meu crespo. Agora tenho uma coroa grisalha e crespa. Só não está mais parecido com a foto da matéria porque ainda precisa crescer.

  28. Ótimo texto. Por um erro do cabeleireiro, tive quebra química pintando os cabelos. Deixei de pintar para recuperar-los. Adorei o resultado e os elogios que se seguiram.

  29. Eu tenho 60 anos,passei ma’quina zero nos cabelos no ano passado.nao cortei mais e nem pintei.eu estou adorando meus grilhasos.assim nao preciso mais ter preocupaçaoem comprar tinta e usarnos cabelos.eu me sinto bem e livre sem ter q ouvir cri’ticas e aceitar minhas rugas.as minhas amigas adoraram mas algumasainda usam tibta porparecerem velhas

  30. Nos meu 47 anos comecei a ter alergia a tintura ,e mesmo assim fui trocando de marca na insistencia para dar certo até um dia. A medica me falar se eu continuasse ia morrer , tive uma alergia muito grave então parei com as tinturas tem 2 anos ,foi demorado me aceitar mas to amando ….
    Nao e facil mas a sensaçao de liberdade e muito boa e ter um corte bem moderno ajuda a alto estima da gente .

  31. Tenho 39 anos e o cabelo completamente branco! Eu amo. Os primeiros fios apareceram aos 12 e aos 30 já tinha mais de 80% branco. Para mim, significam liberdade de expressão e de quem eu sou.

  32. Jussara Teresinha G. Machado

    Aos 59 anos decidi não pintar mais, foram oito meses de transição, cortei, tbm fiz luzes p/ disfarçar, cortes mensais e passei a usar shampo e condicionador desamareladores, desde então!! Apesar de ouvir comentários negativos, nada me fez desanimar, em contraponto recebi dezenas de elogios, principalmente por me acharem corajosa e decidida. Hoje prestes a completar 63 anos, me sinto bem e nada envelhecida, continuo recebendo elogios, inclusive pela aparência dos fios e cor dos meus grisalhos, valeu mto a pena!!

  33. Eu assumi aos 56. Foi libertador, curto charmoso e muito prático..

  34. Célia Regina Cortez

    Estou chegando nos 70.Estou bem, porém os cabelos tendo que pintar todos os meses estava me chateando.Deixei de pintar, fiz luzes , cortei um pouco.Estou me sentindo muito bem e bonita , apesar das críticas .

  35. Olá , bom dia!!!! Comecei a ter fios brancos antes dos vinte e cinco anos , pintei por muito tempo…. Hoje aos 52 anos , resolvi assumir os grisalhos , uma experiência única/nova……mas libertadora

  36. Liberdade …. esse é meu nome !

  37. Desde 2015 parei de tingir os cabelos. Se eu soubesse que seria tão bom, que me sentiria bonita, teria parado há muito tempo. Não houve trauma, nem me senti velha. Ao contrário, renovada.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos marcados com asterisco são obrigatórios. *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.