Homenagem bonita dos paulistanos a Elza Soares, à beira dos 90

O gigantesco painel, de 870 m2, fica na Rua da Consolação, na altura do numero 1681. Foto: 50emais

Elza Soares é aquele tipo de cantora que ganha notoriedade, torna-se famosa, depois, é deixada no ostracismo. E só muitos anos mais tarde, resgatada do esquecimento, volta a ser reconhecida como a estrela de primeira grandeza que é.

Devemos a Caetano Veloso o gesto providencial de apresentar Elza novamente ao Brasil, ao convidá-la para gravar com ele a música”Língua“, do álbum Velô, de 1984. Às vésperas de completar 90 anos (em junho), a cantora, que casou-se aos 13 anos e perdeu quatro dos sete filhos, nunca foi tão reverenciada.

Ganhou em vida uma alentada biografia, escrita por Zeca Camargo, e acaba de receber dos paulistanos a homenagem maior do Dia Internacional da Mulher, neste domingo(8): um painel de 870 m2 num edifício localizado em uma das principais vias de São Paulo, a Rua da Consolação.

Leia também: Elza Soares ganha titulo de a “Melhor Cantora do Milênio”

Eu estive lá e vi de perto o imenso rosto, que tem de um lado a palavra Deusa e do outro, Elza. Foi criado por Francio de Holanda – presente do bloco de carnaval Acadêmicos do Baixo Augusta a São Paulo. Causa um enorme impacto com seus 35 metros de altura.

Virado para o centro da cidade, a melhor vista é de quem sobe a Consolação. Foto: 50emais

Uma homenagem justa àquela que é símbolo da luta pelos direitos das mulheres, sobretudo das mulheres negras, no Brasil; à artista que substituiu Ella Fitzgerald em shows na Europa (década de 1970) e ganhou da BBC de Londres, no final do século 20, o título de “A Melhor Cantora do Milênio.”

Salve, Elza!

Ouça o álbum que ela lançou em 2018:

Compartilhe!

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos marcados com asterisco são obrigatórios. *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.