Livro dá dicas de como se vestir depois dos 60 anos

A dama da moda Costança Pascolato acaba de relançar "O Essencial"

Costanza Pascolato, 74 anos, acaba de relançar “O Essencial”, manual de estilo

Finalmente, as mulheres que passaram da meia idade começaram a ter a atenção que merecem quando o assunto é moda. O que vestir depois dos 50 ou 60 anos? Esta pergunta já está sendo respondida pelo mercado que percebeu a importância desse segmento da sociedade – uma sociedade que envelhece a olhos vistos. Neste contexto, surge este “O Essencial”, o manual de estilo que Costanza Pascolato relançou recentemente, com um capítulo especial dedicado à moda para a terceira idade.

Leia o artigo:

Constanza Pascolato, 74 anos, ícone de elegância no Brasil, lança o livro “O Essencial”, que funciona como um guia de moda e elegância, com dicas de como se vestir na terceira idade. A empresária e consultora de moda Constanza Pascolato, considerada um ícone de elegância no Brasil há décadas, relançou, recentemente, através da editora Jaboticaba, o livro “O Essencial”, cuja primeira publicação aconteceu em 1999.

Costança P2

A edição atual, que funciona como um guia de moda e elegância, traz como novidades, fotos contemporâneas, um capítulo sobre compras pela internet e um texto inédito sobre maturidade, com dicas sobre a forma de vestir na terceira idade. De acordo com Constanza, a inclusão do capítulo foi motivada por algumas razões.

“O Brasil mudou muito. Lembro que, na década de 40, os idosos não andavam muito nas ruas. E, ao comparar períodos mais recentes, como a realidade de hoje com a de 15 anos atrás, quando lancei o livro pela primeira vez, também é possível ver muitas diferenças deste âmbito. Hoje, vejo a terceira idade vivendo com mais energia e aceitação em relação aos outros e a si mesma. Outro motivo foi a minha curiosidade pessoal em acompanhar o comportamento das pessoas ao longo do tempo”, revela a consultora.

Assim, como o comportamento e por consequência dele, é visível que a moda para a terceira idade também se encontre em um processo de reinvenção. Porém, ao contrário do que muitos pensam, não há tendências específicas para o segmento. Clique aqui para ler mais.

0 Compart.

5 comentários

  1. Lúcia M. S. Oliveira

    Muito interessante poder ver que a idade não interfere no bom gosto , na auto-estima,e muito menos no amor á vida.A vida é o maior estímulo.

  2. terezinha rosa camilo

    TENHO 64 ANOS GOSTO MUITO DE CALÇA LEGUY.E ME SINTO BEM

  3. Linda, chic e minha “ídala”.
    Parabéns.
    Beijos , com muito carinho.
    Mirian

  4. E eu fico fascinada com tamanha classe e elegância Você tem beleza, talento e humildade.
    Eu posso dizer isso pois tive o prazer de trabalhar com você durante muitos anos na redação da Revista Claudia. Você é isso Costanza. Um grande beijo.

  5. Rosangela Scheithauer

    Que linda, quanta classe e elegancia.
    Quando eu crescer quero ser como voce.

    Um abraco de Viena (Áustria)

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos marcados com asterisco são obrigatórios. *

*