O que fazer depois da aposentadoria, quando o tempo é todo nosso

A ex-professora de inglês Rachel Bassan aproveitou o tempo para escrever um livro

Jane Fonda chama de o “terceiro ato” a esta última etapa da existência, a partir dos 60 anos de vida. É quando, apesar de todos os percalços trazidos pelo envelhecimento, a vida ganha um novo significado, por causa da liberdade que se adquire com a chegada da aposentadoria.

Liberdade para sermos, talvez pela primeira vez na vida, quem genuinamente somos. E para fazermos tudo que temos vontade e não tivemos tempo ou oportunidade de fazer antes da aposentadoria.

Um caso que serve de exemplo é o de Rachel Bassan que, aos 67 anos, acaba de lançar seu primeiro romance “Bela de Odessa”, contando a história de uma família judia na Revolução Russa, em 1917.

Leia também: Você gostaria de escrever um livro? Veja aqui como começar

Rachel nasceu no Rio de Janeiro e é neta de imigrantes judeus russos. Curiosa por suas raízes judaicas, depois de muitas viagens e pesquisas de campo, leituras e entrevistas, debruçou-se sobre o livro, lançado em meados de setembro.

Neste vídeo, Rachel conta o quê a levou a escrever um romance:

View this post on Instagram

Meu segundo ato!

A post shared by Rachel Bassan (@rachelbassan) on

Rachel Bassan: o encantamento de ter o tempo todo para si, da descoberta da liberdade
Compartilhe!

Um comentário

  1. Os assuntos abordados, bem como as sugestões publicadas, são conteúdos valiosos para o enriquecimento cultural.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos marcados com asterisco são obrigatórios. *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.