O surpreendente lado bom do envelhecer

Estudos recentes mostram mais satisfação sexual, saúde e capacidade mental com a idade

Estudos recentes mostram mais satisfação sexual e maior capacidade mental com a idade

Este artigo de Zaria Gorvett, da BBC Future, tenta mostrar “por a mais b” que a idade traz uma série de vantagens para o ser humano. Vantagens que precisam ser realçadas para que o envelhecimento seja percebido não apenas pelo seu lado negativo. Como tudo na vida, o avançar da idade tem duas facetas e, por isso, também apresenta pontos positivos. Estudos mostram que traz uma maior satisfação sexual, a capacidade mental se desenvolve enormemente assim como a habilidade para resolver problemas. Concordo com tudo isso. E acrescento o que considero ser outra dádiva da idade: a independência.

Leia o artigo da BBC

Bem-vindo à era do envelhecimento. Habitado por mais de 800 milhões de pessoas com mais de 60 anos e por mais centenários do que a população total da Irlanda (cerca de 329 mil), o mundo está tendo que se preparar para as consequências econômicas e sociais dessa situação.

De um dilúvio de doenças à pele flácida e à perda gradual dos sentidos, a velhice é assombrada pela perspectiva de menos oportunidades e mais intervenções médicas. Mas será que há um lado bom em se juntar ao grupo dos grisalhos com mais de 60 anos?

Hoje as pesquisas científicas mais recentes sugerem que ficar mais velho não é um processo simples de decadência, e que o auge da vida pode acontecer mais tarde do que imaginamos. Vejamos aqui alguns benefícios do envelhecimento.

Não faltam gírias para descrever os efeitos destrutivos do envelhecimento no cérebro. Mas em várias habilidades vitais, as mentes mais velhas acabam sendo mais inteligentes.

Segundo o linguista Michael Ramscar, da Universidade de Tubingen, na Alemanha, a ciência compreende mal a maneira como o cérebro envelhece. “O número de neurônios no cérebro humano atinge seu auge cerca de 28 semanas depois do nascimento, mas metade desses neurônios morre até o fim da adolescência. Como normalmente não observamos esse período como sendo de declínio, medir a capacidade do cérebro em termos de número de neurônios não é um bom indicador”.

Uma das pesquisas mais abrangentes já realizadas, chamada Estudo Longitudinal de Seattle, acompanhou as habilidades mentais de 6 mil pessoas desde 1956, avaliando-as a cada sete anos.

Enquanto os mais velhos não se mostraram tão bons em matemática e demoravam mais tempo para responder a comandos, eles eram melhores em aspectos como vocabulário, orientação espacial, memória verbal e capacidade de resolver problemas entre os 40 e 50 anos do que quando estavam na faixa dos 20.

Gary Small, que estuda psiquiatria geriátrica no Instituto de Pesquisas Cerebrais da Universidade da Califórnia, acredita que isso se deve ao conhecimento adquirido nesses anos a mais. “As pessoas desenvolvem uma perspectiva maior do que é importante, e a capacidade de resolver problemas é refinada depois de anos de prática. E há o acúmulo de certos tipos de conhecimentos – o que chamamos de inteligência cristalizada”.

É um padrão sustentado pela biologia. Os sinais nervosos são isolados pela mielina, um material gorduroso que envolve as terminações dos neurônios. A substância aumenta a velocidade com que os sinais elétricos são transmitidos, e até agora acreditava-se que era algo que se deteriorava com a idade. Não é bem assim.

“Conforme envelhecemos, o isolamento dessas terminações aumenta, na realidade. Os axônios disparam mais rapidamente em pessoas de meia-idade do que em jovens. Há um pico de desempenho dessas células cerebrais nessa época”, afirma Small.

Menos resfriados
Não é só o cérebro que se torna mais sábio com a idade. O sistema imunológico humano encontra milhões de perigos em potencial todos os dias, e precisa aprender a identificá-los.

Para isso, produzimos os glóbulos brancos do sangue, que adotam a aparência molecular de milhões de invasores diferentes. Quando reconhecem um inimigo, elas permanecem nas redondezas, formando uma “memória imunológica”. Assim, da próxima vez que o vilão aparecer, o corpo poderá reagir mais rapidamente. Clique aqui para ler mais.

Compartilhe!

3 comentários

  1. 56 anos despidos de sonhos, de projetos, de explicações, de entendimentos, e, pela primeira vez, verdadeiramente vivendo e amando cada milésimo de segundo “do agora”. Decididamente “meu melhor momento”.

    • E cada vez ficará melhor , já estou 10 anos na sua frente e o viver está ótimo.
      Ainda que o poder financeiro ñ seja o mesmo sou mais feliz.
      Ainda que a beleza fisica ñ seja a mesma sou mais feliz.
      Asaúde é a mesma coisa , desde jovem já tínhamos dor nas costas, carregava- se os filhos e o mundo nas costas. ( como chefes, empregadas, escolas de filhos etcs.)
      E agora ainda tenho Deus ao meu lado.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos marcados com asterisco são obrigatórios. *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.