Arquivos de Tag: Crônica

A vida é isso, pequenas felicidades sorvidas gole a gole

Déa Januzzi – O filho saiu, resolveu bater asas – e ela ficou sozinha piando sozinha nesta gaiola doméstica. Pensou que poderia fazer o que quisesse, mas o que ela quer mesmo? Ela queria liberdade? Para que mesmo serve a liberdade? Se ela está aposentada, a faxineira veio para deixar a casa limpa e perfumada? Antes, com certeza, iria à ... Leia Mais »

Esqueci o fogão ligado e meu “ato de amor” virou carvão

Elisa Santana – Silenciei a panela que fervia fazendo um barulho insuportável, tirando a tampa. Acho que acordei nervosa, porque só quando estou impaciente é que algumas coisas me incomodam. Preparo uma calda para terminar um doce que estou fazendo. A calda ferve, fazendo a tampa bater contra a panela, e o som incomoda. Pensando bem esse é um barulho ... Leia Mais »

Passei a virada do ano comigo mesma. E gostei muito

Elisa Santana – Peguei um resfriado insuportável logo depois do Natal. Fiquei péssima. E como não costumo ficar resfriada facilmente, quando ele chega monta e campea. Fico uma semana pelejando. Desta vez não foi diferente. Comecei a sentir os sinais no domingo. Na segunda, apesar de ter trezentas coisas para fazer, só queria ficar quieta. Eu, fingindo que não sei ... Leia Mais »

Ainda dá tempo de pegar carona numa estrela e saudar o novo ano

Déa Januzzi Ainda dá tempo de pegar carona em uma estrela e saudar o novo ano, pois só Ela pode mostrar o caminho. Assim como fez com os reis magos Belchior, Baltazar e Gaspar que estavam perdidos, pois não sabiam onde encontrar Jesus, Maria e José. Então, uma estrela nasceu no céu para orientá-los até Belém. Tendo a Estrela de ... Leia Mais »

Um presente de Natal que acendeu todas as minhas luzes internas

Déa Januzzi O presente chegou antes do Natal, época em que dá uma vontade danada de sumir, ou, então, de viajar para outro planeta. Antes de abrir o presente, ela teve uma estranha sensação de conforto e paz. Uma caixa vermelha, onde estava escrito: “Passaporte da prosperidade, com visto para a abundância”. Curiosa, ela abriu na primeira página, reservada para ... Leia Mais »

Antes que o choro fique engasgado para sempre na minha garganta

Déa Januzzi De repente, as mulheres pararam de chorar. Quase ao mesmo tempo em que os homens se permitiram chorar, cozinhar, dividir as tarefas domésticas e a criação dos filhos, as mulheres passaram a ter vergonha de chorar, principalmente em público. Chorar virou sinônimo de fragilidade, de desequilíbrio emocional, de fracasso. Eu, que chorava por pouca coisa, contive as lágrimas, ... Leia Mais »

Eu cansei de ouvir conceitos sobre envelhecer bem

Déa Januzzi – Se eu deixar de fumar, parar de tomar vinho, praticar atividade física regularmente. Se levar uma vida equilibrada, sem dívidas, planejada, com viagens pelo menos uma vez por ano, se tiver contato com a natureza, se viver perto do mar, se minha alimentação constar de orgânicos e sucos verdes, se eu não colocar frituras nem embutidos nem ... Leia Mais »

Esvaziem os teatros. Apaguem as telas. Uma rainha morreu

Elza Cataldo* – Silêncio. Esvaziem todos os teatros. Apaguem todas as telas. De todos os tamanhos. Emudeçam os instrumentos para que ninguém possa dançar ou cantar hoje. Uma rainha morreu. Quem mais poderá encher nossa vida de elegância, dicção perfeita, gestos graciosos e olhar matreiro? Vai demorar anos, talvez um século para aparecer novamente alguém com o talento de Marília ... Leia Mais »

Precisamos fazer a revolução dos cabelos brancos

Déa Januzzi – Acordei de madrugada com vontade de escrever uma carta a mão, com papel de linho e caneta tinteiro. Caprichei na caligrafia, afinal, tenho letra bonita, redonda, igual à de uma professora primária. Será que hoje é ensino fundamental? Não sei mais, mas vou desenhar as letras, bordar palavra por palavra, porque perdi a medida do tempo, confundi ... Leia Mais »

Com minha mãe descobri que a velhice é feminina, dura e solitária

Déa Januzzi Ah, Senhor, hoje quero bater à porta do céu, para descobrir os mistérios da vida. Saber, por exemplo, como envelhecer sem fazer tantas acrobacias. Sim, eu queria uma receita que desse certo, que não transbordasse na fôrma, que não desandasse ou queimasse no forno por ter ficado muito tempo no fogo alto do desencanto. Ah, Senhor, seria pedir ... Leia Mais »