Um espetáculo que brinca e discute o desejo e o sexo na velhice

Atores Roberto Frota, Anja Bittencout e Vanja Freitas dão um show
Fotos: Divulgação

O título deste post resume bem a peça “Só Acaba Quando Termina – Crônicas do Desejo na Velhice”, que estreia na segunda-feira, dia 19, às 21 horas, na plataforma zoom. O texto é de Tania Celidonio e a direção de Marcos França, com a participação dos atores Roberto Frota, Anja Bittencout e Vanja Freitas. Eu vi esse pessoal fazendo uma leitura da peça e recomendo expressamente, porque é um espetáculo inteligente, engraçado e, ao mesmo tempo, faz a gente pensar.

Para assistir à peça é preciso acessar o site, a partir das 20h40, e clicar em “clique aqui para assistir”. A capacidade máxima da sala do zoom é de cem pessoas. Se você quiser ver, mas a lotação estiver esgotada, não se preocupe, a peça estará em cartaz toda segunda-feira, sempre às 21h, até 9 de novembro.

Desinteresse pela nossa infelicidade – Nas janelinhas do Zoom as duas atrizes e o ator expõem a força e a fragilidade da velhice diante de uma sociedade obcecada por corpos jovens e com um olhar preconceituoso sobre a sexualidade dos idosos.

 A escritora francesa Simone de Beauvoir fez um alerta no livro A Velhice, de 1970:  “se os velhos manifestam os mesmos desejos, os mesmos sentimentos, as mesmas reivindicações que os jovens, eles escandalizam”. É como se idosos não tivessem o direito de sentir paixão ou ciúme. E ainda fossem obrigados a dar exemplo de virtude e bom comportamento. “Antes de tudo, exige-se deles a serenidade; afirma-se que possuem essa serenidade, o que autoriza o desinteresse por sua infelicidade”, afirma a escritora.

Peça será apresentada às segundas-feiras, até o dia 9 de novembro

Amor, desejo e sexo – “Já vi esse filme e não gostei”, comenta a autora Tania Celidonio. “E é contra esse estado de coisas que estamos levantando a poeira da velhice”. Em cena, os três atores falam sobre amor, desejo e sexo com naturalidade, mesmo quando abordam temas mais cabeludos como masturbação, ciúme, tesão ou falta de tesão, impotência, orgasmo e as dificuldades para namorar e transar depois dos 60.

“A peça parte do desejo e do sexo para falar sobre como a sociedade e nós mesmos encaramos a velhice”, explica o diretor Marcos França. “O sexo é um estopim, um mote para discutir outras ideias sobre o envelhecimento”, conclui.

Em cena, os três atores falam sobre amor, desejo e sexo com naturalidade, mesmo quando abordam temas mais cabeludos como masturbação, ciúme, tesão ou falta de tesão, impotência, orgasmo e as dificuldades para namorar e transar depois dos 60.

Só Acaba quando Termina – Crônicas do Desejo na Velhice foi escrita a partir de uma pesquisa feita pela autora nos anos 2017 e 2018.  Cerca de 250 idosos responderam à várias perguntas via internet, todas relacionadas à importância do sexo e do desejo para uma geração que foi jovem nos anos 1960 e 1970.

Os depoimentos deram origem ao livro Mistérios da Libido na Velhice (Amazon), uma amostra significativa do que acontece na realidade e no imaginário de pessoas maduras que raramente falam ou são ouvidas sobre essa fase de suas vidas.

Veja um trecho do espetáculo:

0 Compart.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos marcados com asterisco são obrigatórios. *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.