Uruguai: 1º a deixar produzir e vender maconha

É o primeiro país do mundo a embarcar nesta experiência com a erva

Uruguaios vão poder comprar a erva em farmácias

A estrutura montada pelo governo do Uruguai  para gerenciar o negócio da maconha  no país ainda precisa ser testada antes de se dizer que o respeitado presidente e ex-guerrilheiro Pepe Mujica acertou ao tornar a nação vizinha, de três milhões  e meio de habitantes, a primeira no mundo onde o Estado controla  toda a cadeia de produção da erva, do cultivo à venda. O objetivo da lei uruguaia, aprovada nesta terça-feira, é, de acordo com o governo,  tirar poder do narcotráfico e reduzir a dependência dos uruguaios de drogas mais pesadas. Como não há experiência como esta em qualquer outro lugar do planeta, é preciso tempo  para ver se o presidente Mujica tem razão.

Leia o artigo publicado por O Globo:

O Uruguai tornou-se nesta terça-feira o primeiro país do mundo a legalizar a produção, a distribuição e venda de maconha sob controle do Estado. O projeto foi aprovado após 11 horas de discussão no Senado, após ter passado pela Câmara. A sanção do presidente José Pepe Mujica é tida como certa. Segundo o governo, o objetivo da lei é tirar poder do narcotráfico e reduzir a dependência dos uruguaios de drogas mais pesadas. A lei foi atacada pela oposição. O líder colorado Pedro Bordaberry disse que ‘não se pode fazer experimento com isso, são coisas muito sérias’.

Já o senador governista Ernesto Agazzi defendeu o projeto e foi irônico ao falar da estratégia de combate às drogas em vigor no mundo. ‘Não sei se a guerra às drogas fracassou. Para alguns ela tem funcionado muito bem, alguns têm ganhado muito dinheiro’, disse. Mas como vai funcionar essa nova lei?

Pepe Mujica, 78 anos,  ex-guerrilheiro, amigo de Darcy Ribeiro

Pepe Mujica, 78 anos, ex-guerrilheiro, amigo de Darcy Ribeiro

Abaixo a BBC responde a várias perguntas para ajudar o leitor a entender como vai funcionar a liberação da maconha no Uruguai.

Quem vai supervisionar a ‘indústria’ da maconha?

Pela lei, o Estado assume o controle e a regulação das atividades de importação, produção, aquisição, a qualquer título, armazenamento, comercialização e distribuição de maconha ou de seus derivados. Uma agência estatal, o Instituto de Regulação e Controle de Cannabis (IRCCA), ligado ao Ministério da Saúde Pública, será responsável, por sua vez, por emitir licenças e controlar a produção, distribuição e compra e venda da droga. Em suma, todas as fases do processo terão, de alguma forma ou de outra, a presença do Estado .

Quem pode comprar e plantar maconha?

Todos os uruguaios ou residentes no país, maiores de 18 anos, que tenham se registrado como consumidores para o uso recreativo ou medicinal da maconha poderão comprar a erva em farmácias autorizadas.  Além disso, os usuários poderão ter acesso à droga de outras duas maneiras:

Autocultivo pessoal (até seis pés de maconha e até 480 gramas por colheita por ano) . Clubes de culturas (com um mínimo de 15 membros e um máximo de 45 e um número proporcional de pés de maconha com um máximo de 99). A lei limita a quantidade máxima que um usuário pode portar: 40 gramas. A legislação também determina o máximo que uma pessoa pode gastar por mês com o consumo do produto.

Ainda não está claro, no entanto, qual será o preço da maconha legal. Embora o governo pretenda competir com o narcotráfico estabelecendo preços de mercado – por exemplo, US$ 1 (R$ 2,30) por grama -, organizações de consumidores asseguram que essa meta será difícil de ser cumprida. Clique aqui para ler mais.

 

Compartilhe!

2 comentários

  1. Achei o governo do Uruguai muito audacioso e sensato. Vamos ver no que vai dar. Espero que esta indústria da droga mude de cara com os traficantes fora do negócio. Será bom pra o consumidor e para a economia do país.

  2. Ja estava na hora de algun Pais tentar ver como vai funcionar,pois a porcentagem no mundo de quem a utiliza eh enorme,espero que funcione pro lando bom da coisa…….

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos marcados com asterisco são obrigatórios. *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.