Bill Gates explica por que se sente mais feliz agora, aos 63 anos

Magnata e filantropo, 63, cuida do corpo e da mente: tem até clube de leitura

Maya Santana, 50emais

Bill Gates, apelido de William Henry Gates III, começou cedo a construir seu império. Aos 17 anos, já havia criado o seu primeiro programa de computador. Entre esse trabalho e agora, conseguiu acumular uma fortuna avaliada em 101 bilhões de dólares. Só não é mais rico do que o criador da Amazon e proprietário do jornal Washington Post, Jeff Bezos, dono de 112 bilhões de dólares, o primeiro da lista. Embora não tenha nascido numa família rica, Bill Gates estudou nos melhores colégios e chegou até Harvard, a prestigiosa universidade americana, em Boston. Pela vida que levou, imaginava-se que que se sentisse feliz em qualquer idade. Mas não. Perguntado se se sentia feliz, ele disse que sim: “Quando eu tinha 30 anos, não achava que pessoas na faixa dos 60 anos fossem inteligentes ou se divertissem muito. Agora, eu tive uma surpresa.”

Leia o artigo publicado pela revista Época:

Um um bate-papo na comunidade Reddit, o cofundador da Microsoft, Bill Gates, recebeu uma série de perguntas relacionadas a assuntos humanitários, desde tópicos como mudanças climáticas até o futuro da educação. Em 30 minutos da sessão ao vivo, o empresário passou a responder perguntas sobre sua vida pessoal, como “Você é feliz” e “O que te faz feliz?”.

Com 63 anos, Gates — o segundo homem mais rico do mundo, de acordo com a Forbes — respondeu que é feliz. “Quando eu tinha 30 anos, não achava que pessoas na faixa dos 60 anos fossem inteligentes ou se divertissem muito. Agora, eu tive uma surpresa. Pergunte-me em 20 anos e eu vou dizer o quão inteligentes são as pessoas de 80 anos”.

Para a segunda pergunta, Gates disse: “Algumas pessoas dizem que, quando seus filhos estão bem, é gratificante e, como pai, eu concordo completamente. Às vezes, seguir os compromissos consigo mesmo, como fazer mais exercícios, também melhora o nível de felicidade”, segundo reportagem do Inc.

Veja quatro práticas seguidas por Bill Gates em busca da felicidade:

1- Respeito aos compromissos
Como as pessoas se tornam mais inteligentes à medida que envelhecem, não se trata de aumentar o conhecimento intelectual ou acumular mais riqueza. Trata-se de escolher e seguir intencionalmente o que é mais importante — seguindo seus compromissos, indica Gates.

Talvez você se sinta preso a um emprego sem futuro, tenha escolhido a carreira errada ou acredite que foi feito para outra coisa, algo mais significativo. Embora seja normal questionar sua orientação profissional ou motivação para o trabalho, esses sentimentos não devem ficar a toda hora na sua mente quando você sabe que pode realizar algo maior.

De acordo com o empresário, se você enfrenta pensamentos do tipo “e se…”, comece sua jornada com esta pergunta: “Estou fazendo o que eu quero — o que mais importa para mim?”

2- Generosidade
O falecido guru motivacional Jim Rohn disse: “Só dando você é capaz de receber mais do que você já tem”. Por meio de sua fundação, Gates conseguiu esse resultado em uma escala que a maioria de nós não conseguiria entender.

Em 2006, seu amigo próximo Warren Buffett assinou documentos que doaram US$ 31 bilhões de sua fortuna para financiar o trabalho da Fundação Gates no combate a doenças infecciosas e na reforma da educação.

Considere, então, doar para instituições próximas de sua casa. A ciência confirmou que o ato de doar faz bem para a nossa saúde e evoca gratidão. Um relatório da Harvard Business School concluiu que as recompensas emocionais são maiores quando a nossa generosidade está ligada a outras pessoas, como contribuir para uma campanha social via crowdfunding.

E a doação não precisa se restringir ao dinheiro. Avalie também o impacto positivo de disponibilizar seu tempo, orientar os outros, apoiar uma causa, combater a injustiça e ter uma mentalidade de fazer antes de receber.

3- Corpo tratado como templo
Gates disse também que o exercício físico leva à felicidade — ele é um ávido jogador de tênis. Pesquisas mostram que atividades físicas melhoraram o humor e diminuem os sentimentos de depressão, ansiedade e estresse.

Para quem tem pavor a academias lotadas, o empresário afirma que seu humor pode melhorar com um exercício simples, não importa sua intensidade ou duração.

Um estudo realizado com 24 mulheres diagnosticadas com depressão mostrou que exercícios de qualquer intensidade diminuem significativamente os sintomas da doença. De fato, reduziu o humor deprimido 10 e 30 minutos após a atividade física.

4- Família como prioridade
É muito difícil equilibrar o tempo que dedicamos ao trabalho e a família. Afinal, as horas extras e estresses diários acabam sobrecarregando a nossa rotina.

No entanto, separar um período do dia para os momentos de prazer também é importante. Ver séries, filmes, passar mais tempo com quem nós gostamos são alguns exemplos.

No caso de Gates, ele revelou quais são as suas séries favoritas. “Black Mirror”, “Narcos”, “This is Us” e “Friday Night Lights” fizeram e fazem parte de seu momento “descontração”.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos marcados com asterisco são obrigatórios. *

*